Guiana-Venezuela… Um conflito latente na América do Sul

(Mapa da área territorial da 5ª Divisão de Infantaria do Exército Venezuelano onde se observa à direita metade do território da Guiana como parte integrante do estado Venezuelano in http://www.ejercito.mil.ve/images/quinta_division.gif)

Embora muitos temam a renovada força militar venezuelana e o carácter mais ou menos imprevisível do seu presidente Hugo Chavez, poucos conhecem contudo que a haver um conflito militar envolvendo a Venezuela bolivariana e uma outra nação, este será com toda a probabilidade um conflito contra… a Guiana e não contra os EUA…

O primeiro indício surgiu em 13 de Março de 2006 com a adição de uma oitava estrela à bandeira venezuelana, com a explicação de que seria um tributo à contribuição da província da Guiana na luta da independência venezuelana no século XIX…

Mas simultaneamente o site do exército venezuelano passou a mostrar nos mapas que definem as áreas de responsabilidade de cada uma das suas seis divisões um mapa a verde que surge novo território a Este… ou seja, cerca de metade do território da Guiana… E agora passem o rato sobre o link de cada uma destas divisões de infantaria… sim, o território à esquerda aparece como parte integrante do mapa da Venezuela mas não possuí nenhuma divisão assignada a ele… ainda?

De facto, a Venezuela reclama como seu este território desde 1966, uma reclamação semelhante à Argentina sobre as Malvinas já que também opôs o Reino Unido a uma nação latino-americana… A primeira reclamação formal na ONU surgiu e 1963, reclamando então a Venezuela todos os territórios a oeste do rio Esequibo. A independência da Guiana do Reino Unido em 1966 não aplacou a questão, levando até à ocupação militar de uma ilha fronteiriça pelo exército venezuelano de então, uma ocupação que subsiste até hoje…

Em 2002, uma fragata da marinha venezuelana entrou nas águas territoriais da Guiana, para recuperar um navio de pesca capturado pela guarda costeira da Guiana, no que se lhe opôs o navio patrulha da Guiana “Esequibo” e a fragata, levando esta última a retirar-se sem disparar um tiro…

Se algum dia houver um confronto militar aberto entre os dois países a vantagem venezuelana fará impôr um desfecho certo… dado que os 1600 soldados, 3 patrulhas e zero aviões pouca oposição poderão fazer ao renovado petro-exército venezuelano…

Fonte: DefesaNet

About these ads
Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci, Política Internacional, Sociedade | 154 Comentários

Navegação de artigos

154 pensamentos em “Guiana-Venezuela… Um conflito latente na América do Sul

  1. Desconhecia este conflito… mas há mais na América do Sul. Brasil e Paraguai, Bolivia e Chile, Bolivia e Paraguai… Na América Central aqueles pequenos estados não se entendem… México e EUA, EUA e Canadá… há regiões independentista em quase todos os estados do continente americano, inclusivamente no EUA (Texas e Califórnia, para não falar dos saudosistas da Confederação!).

  2. A América do Sul está cheia de conflitos latentes e de disputas territoriais mal resolvidas… Talvez por isso estejamos a assistir a um paulatino, mas constante rearmamento dos seus exércitos que parece paradoxal num clima de paz generalizado… Isso e a dita “vaga populista” que se estende a muitos países cansados das promessas falhadas do neoliberalismo e da globalização…

  3. E não irão os Estados Unidos fornecer material militar à Guiana para defrontar a Venezuela, ou será que a Guiana é mesmo tão fraca que mesmo armada não vai lá? Mercenários Americanos poderão entrar na luta?
    abraço

  4. Nem se os EUA encharcassem a Guiana de equipamento ela conseguiria resistir a uma ofensiva clara e frontal da Venezuela… Mas é claro que se ela fosse atacada isso daria um excelente e inquestionável pretexto aos EUA e à Colômbia (o seu aliado mais fiel na região) para afastarem Chavez do poder… E este pode ser muita coisa, mas não é burro e sabe bem que não lhe interessa dar argumentos a ninguém… Por isso, pelo menos enquanto Buxo estiver na presidência não se vai atrever a nada… Quanto este sair… É que talvez tente algo… Chavez é um militar de profissão e como tal acredita nas soluções militares… O seu regime tb precisa de prestígio internacional para sobreviver e uma anexação seria positiva para esta via… E o adversário é fraco… E a grande potencia regional dominante que é o Brasil não parece interessada em defender a Guiana… Condições para vencer há, mas também há uma grande (quase certo) risco de um ataque desencadear uma resposta dos EUA…

  5. sa morais

    Por falar em guianas… Lembro-me sempre da colónia que a França tem por esses lados, um départements d’outre-mer, ou seja, uma provincia ultramarina…

  6. Pois, não eram só os EUA que reagiriam a essa invasão. Como se sentiria a França com uma guerra junto às suas fronteiras, e como se sentiriam os compadres da Agencia Espacial Europea com uma guerra ao lado da plataforma de lançamento do. È que a França está a agarrar-se ao lugar de quartas forças armadas mais poderosas e na AEA estão amigos tipo Espanha que têm muita influencia na região( e meia duzia de navios de guerra lá também).

  7. Pestana

    Alguém por aqui acha que a China vai atacar a Formosa? Julgo que ninguém. Uama atitude de soberania não significa quie se passa à acçaõ e no caso da Venuzuela naturalmnte que isso não vai acontecer. De resto, a mesma atitude de soberania foi feita em relação às Malvinas, e ninguém fala disso. Mas a Guiana, coitada, lá esta o mlandrão do Cheves a fazer das suas, a meter-se com a inocente Guiana.

  8. Pestana: Este mapa é um link DIRECTO para o site das forças armadas venezuelanas… Não há aqui invenção ou opinião… Passe o rato por cima da imagem e faça properties se tiver dúvidas… E não não gosto do estilo de Chavez, embora reconheça algum prazer quando vejo alguém a falar tanto e tão mal desse odiento presidente que é Bush…

  9. yuri radd

    Oi, me interesso muito por disputas territoriais, principalmente os da América do Sul. Conheço vários, mas vivo descobrindo disputas que eu não conhecia. O Brasil teve vários e em alguns deles o Brasil saiu perdendo, por exemplo: perdemos cerca de 19.500KM quadrados para a Guiana na chamada questão do Pirara , territórios cedidos ao Peru, sendo que estes haviam sido comprados da Bolívia, e ainda, para comprar o Acre, cedemos parte de Rondônia( se olharem em um mapa, é onde fica Riberalta) além de parte da bacia do paraguai. Por fim , pelo que sei, ainda perdemos a Cisplatina( Uruguai) e a Guiana Francesa. Por favor, caso descubra mais algum, ou tenha dados detalhados sobre os que citei, por favor, escreva matérias sobre isso.

  10. yuri:

    Daquilo que sei existem alguns conflitos territoriais em que o Brasil está envolvido:
    1. Região comum Argentina-Brasil-Paraguaia
    2. Ilhas com o Uruguai (Quarai e Invernada)
    3. Argentina (zona de fronteira)
    4. Guiana (Pirara)

    E é o que sei…
    As minhas fontes são o lacónico:
    https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/br.html
    e o melhor:
    http://www.globalsecurity.org/military/world/war/disputes.htm

  11. fj miller

    Acho que o chaves esta mais para chapolim colorado, so agita, esta indo na contra-mão da historia…quero ver por aqui a reação do proximo presidente
    brasileiro, depois que o lula sair…nossos militares não concordam muito com
    a filosofia do PT.

  12. Claudio Quadros

    MORTER HUGO CHAVES
    UM CRA DITADO COMUNISTA
    COMO DIZIA MEU AVÔ COMUNISTA BOM E COMUNISTA MORTO VAMOS
    ARRAZA COM MERDA VENEZUELANO HUGO CHAVES SOMOS 200 MILHOES HABITANTES BRASILEIROS TEMOS ARAMAS E CORAGEM ENFRETA QUALQUE
    LA CUCARATE SUL AMERICANO PORQUE SOMOS BRASILEIROS VENCE ATE ESPIGARDA CHUBO
    PORCARIA MIG SU RUSSO NAO VALE NADA AMIGOS
    SO MAIS NOSSOS AMX F-5BR MIRRAGE AMX ATE XAVANTE
    BRASILEIRO VOLTA DITADURA MILITA

  13. Fernanda França

    Acho que os Estados Unidos está no fim de seu imperialismo…. pois é assim que eu vejo , como uma superpotência se comporta quando , está perdendo seu pódio de melhor do mundo. Bush está com medo do Dragão (China), que acredito eu se tornará uma superpotência daqui alguns anos. O poder dos E.U.A. sob os países latinos-americanos é muito forte , somos com certeza seus servos …… Temos de ficar de olhos abertos.

  14. Anónimo

    precisamos mde pas nao de guerra

  15. Edson Márcio

    Este reavivamento de conflitos / ressentimentos nacionais, ainda que em fase inicial, são decorrentes do declínio claro do poderio dos EUA.
    Os “servos” perceberam que antigas questões mal resolvidas serão menos discutidas pelo império posto que este tem assuntos mais urgentes para tratar.
    Sim, a China será muito provavelmente a próxima potência hegemônica politica e militarmente (o fato deterem explodido um satélite velho como “experimento” deixou claro ao resto do mundo em que nível se encontra seu arsenal e desenvolvimento militar).
    Eu particularmente temo a supremacia chineza, não por que morra de amores pelos EUA, mas por não ver com clareza qual será o papel da China enquanto potência hegemônica, os EUA bem ou mal “tentam” passar um quadro politicamente e moralmente correto, mesmo que seja jogo de cena, não se observa isto das atitudes chinesas.
    Já aconteceu de eu estar em um emprego com um chefe horrível, eu sair do emprego (dando graças a Deus) e quando achei outro, o patrão era pior que o antecessor. Eu vejo EUA pensando no meu primeiro patrão, intragável em certos aspectos, mas é o próximo? Como será?

  16. Sempre gostei de historia e agora que me falaram do assunto do Território da Reclamação,cerca da Venezuela,ainda mais interessado fiquei.Mas pelo que li acima não compreendi bem o problema.Gostaria de mais detalhes e recuar ainda mais no tempo.Por exemplo desde a colonização espanhoila.Embora sucintamente.

  17. Luis:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Guaiana_Essequiba
    mas de facto, na net não há muitos dados…

  18. Chávez e a ‘Zona en Reclamación’

    “Se o ser humano não se preocupar com aquilo
    que está distante, ele encontrará tristeza
    muito próximo de si.” (Confúcio)

    A Guiana Essequiba, ‘Território Esequibo’, ou como os venezuelanos a apelidaram – ‘Zona en Reclamación’ (Zona em Disputa), é a região do Planalto das Guianas, compreendida entre o rio Cuyuni e o rio Essequibo (159.500 km²), representando aproximadamente 66% do território da República Cooperativa da Guiana considerada pela Venezuela como parte integrante de seu território e cuja soberania reclama a nível internacional, através do acordo de Genebra de 17 de fevereiro de 1966.

    HISTÓRICO

    Em 1620, os holandeses construíram numa ilha denominada Essequibo, o Forte Kijkoveral, que seria o centro da administração da Companhia das Índias Ocidentais. Em 1648, o Rei da Espanha através do Tratado de Munster reconheceu as colônias da Companhia ao longo da costa Sul-Americana.

    Os conflitos Europeus, sobremaneira as Guerras Napoleônicas, fizeram com que as colônias da Guiana ficassem sucessivamente sob controle britânico e francês; após a derrota de Napoleão, porém, a Holanda retomou o controle de suas colônias americanas.

    No início do século XIX, os agricultores ingleses enfrentaram grandes prejuízos econômicos e, em função desses, muitos tiveram de hipotecar seus bens aos agentes financeiros holandeses. O movimento para que a colônia se tornasse uma possessão inglesa tomou corpo, e foi efetivado formalmente em 1814, com a assinatura do Tratado de Londres.

    Sob controle britânico, as colônias foram unidas como Colônia da Guiana Britânica em 1831. A Venezuela, nesse período, tornara-se República, separando-se da Colômbia e o Brasil tornou-se independente de Portugal. A partir destas mudanças políticas, novas diretrizes administrativas foram criadas, especialmente na Guiana Britânica, que iniciou uma determinada exploração e ocupação das regiões do interior, demandando o reconhecimento de suas fronteiras. Neste contexto, aparece a figura de Schomburgk, dando início à contenda entre Espanhóis e a Guiana Britânica.

    LINHAS DE SCHOMBURGK

    Robert Schomburgk foi contratado para definir as fronteiras da Guiana Britânica e, para tal, chegou à região em 1835. Como resultado de suas expedições, elaborou um mapa da Guiana e formalizou a proposta britânica que serviu de base para as negociações a respeito das linhas de fronteira entre Guiana, Venezuela, Brasil e Suriname. Os especialistas venezuelanos e brasileiros criticaram com veemência a maneira como essa questão foi decidida.

    Schomburgk propôs como fronteira com a Venezuela a linha que sai de Amacuro até a boca do Cuyuni, seguindo o divisório de águas do Cuyuni e do Mazaruni até o Roraima, e dali descendo o Cotingo, Surumu e Tacutu. Esta linha ficou conhecida como a Linha Schomburgk.

    ACORDO DE GENEBRA

    No princípio da década de 60, com o governo do People’s Progressive Party (PPP) da Guiana se empenhando sistematicamente para a independência, a Venezuela manifestou preocupação em relação à questão do Essequibo, considerando que o debate a respeito do assunto já não se limitaria apenas à Grã-Bretanha. A independência da Guiana significaria o reconhecimento das atuais fronteiras por todos os países que reconhecessem o novo Estado.

    A Grã-Bretanha insistia que a demanda venezuelana não procedia, e que tudo fazia parte de um processo eleitoreiro, do então candidato, Raul Leoni ao governo venezuelano visando a influenciar as eleições. Logo que Leoni assumiu a presidência, o Congresso Nacional aprovou, em fevereiro de 1965, um novo mapa oficial do país onde a área do Essequibo passou a constar oficialmente como ‘Zona en Reclamación’ e os correios passaram a utilizar, nas correspondências internacionais, um selo com o novo mapa e a frase: “hacia la reconquista de la Guyana Esequiba”, e as nacionais: “Guyana Esequiba es Venezolana”, provocando protestos do governo inglês.

    A Grã-Bretanha propôs, em Genebra, uma Comissão mista que estudaria um plano de desenvolvimento econômico para a Guiana Britânica, de 1966 a 1972, somado a um projeto de cooperação econômica entre os dois países que renunciariam, por 30 anos, as reclamações por demandas territoriais.

    A Venezuela não aceitou a sugestão britânica e propôs o congelamento por um prazo de 10 anos e que um ano antes de esgotado este interregno, fosse submetido à arbitragem. O resultado da proposta britânica e venezuelana originou o ‘Acordo de Genebra’ firmado em 17 de fevereiro de 1966.

    O Acordo tentava encontrar uma solução através de uma comissão mista de limites, que teria um prazo de quatro anos para encontrar uma saída adequada à disputa territorial. Após esse prazo, se não houvesse uma solução de consenso, o fórum decisório seriam as Nações Unidas.

    Em 1966, a Venezuela ocupou militarmente a Ilha de Ancoro. O Laudo de 1899 dividia a ilha entre os dois países e continua ocupada nestes últimos 42 anos apesar dos veementes protestos da Guiana.

    Em 1968 ocorreu a ‘Insurreição de Rupununi’, na qual fazendeiros e camponeses, à frente de um movimento separatista, que contava com apoio não-declarado do governo venezuelano, ocuparam instalações governamentais, bloquearam estradas e mataram e feriram policiais da Guiana. A Força de Defesa da Guiana agiu prontamente fazendo com que os insurretos, que não contaram com o esperado apoio das Forças Armadas Venezuelanas, refugiassem-se na Venezuela sem opor resistência.

    Mas o que realmente concorreu para o fracasso das operações foi a decisiva atitude do governo brasileiro, que ordenou uma imediata mobilização da Força Terrestre na área da fronteira e a concentração de aviões de combate na região de Boa Vista – RR.

    En 1970, o ‘Protocolo de Porto Espanha’ congelava as pretensões venezuelanas por 12 anos, um ano antes de vencer o prazo, a Venezuela decidiu invocar o ‘Acordo de Genebra’ e propor resolver a questão na ONU. Desde 1983, a Venezuela aceitou continuar debatendo a questão procurando encontrar uma solução pacífica conforme especifica o artigo 33 da Carta da ONU. Desde 1989, ambos os países mantêm conversações sem, no entanto, apresentar qualquer solução para o impasse.

    DEMANDAS ATUAIS

    A Assembléia Nacional Venezuelana aprovou, no dia 13 de março de 2006, o projeto do presidente Hugo Chávez que modificava a bandeira da Venezuela acrescentando uma oitava estrela, estrela essa que era um tributo à contribuição da província da Guiana por sua luta pela independência no século XIX. Chávez disse na ocasião que: “Las ocho estrellas están ahora flameando al viento de Venezuela, las siete estrellas originales y la octava que Simón Bolivar decretó en Angostura como símbolo de la estrella de la victoria”. O Exército venezuelano, comungando com os mesmos sentimentos de Chávez, reporta em sua página oficial na Internet e nos mapas de suas Divisões os limites internacionais do país agregando a Guiana Essequiba.

    Em novembro de 2007, o exército venezuelano destruiu duas dragas da Guiana que eram utilizadas para o garimpo do ouro na região da fronteira. Até hoje não se sabe se as dragas revolviam os sedimentos do rio Cuyuní, que fica em território guianense, ou do rio Wenamú, que divide os dois países. Ninguém ficou ferido, mas o episódio chamou a atenção para a contenciosa tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana.

    FORÇAS ARMADAS

    A Força Armadas da Venezuela tem um efetivo de 56.000 militares, 190 tanques, 6 fragatas, 2 submarinos, mais de 90 aeronaves de combate e mais de 20 helicópteros de ataque, enquanto a Guiana tem 1600 homens, 3 lanchas de patrulha e nenhum avião de combate. O enorme desequilíbrio militar nos leva a inferir que, em caso de conflito, a Guiana contará com apoio de outros países no confronto.

    ESTABILIDADE POLÍTICA AMERICANA

    Hoje, a Venezuela, aproveitando-se da inépcia da política externa brasileira, procura assegurar uma posição política hegemônica na América Latina. A disputa pela ‘Zona en Reclamación’ parece, no momento, ter sido relegada a um plano secundário. Porém, os grupos chamados de pró-essequibanos, com apoio velado das autoridades venezuelanas, proliferam e ganham cada vez mais simpatizantes cujo objetivo final é a recuperação da região de Essequibo.

    A conquista da região pela Venezuela levantaria velhas questões sobre limites em toda Sul-América. A Colômbia tem velhas pendências territoriais contra a Venezuela de modo que, se a Venezuela atacasse a Guiana, a Colômbia encontraria justificativa para reivindicar seus antigos limites com a Venezuela. O Peru, por sua vez, poderia reavivar sua questão fronteiriça com o Equador e nem mesmo o Brasil ficaria de fora já que sobre a Questão do Pirara, até hoje, pairam dúvidas quanto à lisura da forma com que foi conduzida.

    ———————————————————————————

    Solicito publicação

    Hiram Reis e Silva
    Rua Dona Eugênia, 1227
    Petrópolis – Porto Alegre – RS
    90630 150
    Tlf:- (51) 3331 6265

    http://www.amazoniaenossaselva.com.br/
    E-mail: hiramrs@terra.com.br

  19. you not is not i yes not

  20. o caramba as forças desarmadas do brasil ~
    são
    exercito: 10000 criancinhas armadas com gravetos
    marinha : 1 bote e 2 patinho de borracha
    FA: 2 POMBAS
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    BRASIL APANHA DE QUALQUER UM PERGUNTA PROS MILITAR

  21. Não sei…

    “Despesas militares

    * Valor em dólares: $24,94 bilhões(2008 est.)[carece de fontes?]
    * Porcentagem do PIB: 2,8% (2008 est.)”
    http://pt.wikipedia.org/wiki/For%C3%A7as_Armadas_do_Brasil#For.C3.A7a_Militar

    são valores muito significativos…

  22. Fred

    é Clavis, não concordo com a afirmação do biel, mas boa parte desse valor mesmo estimativo é para folha dos ativos e dos pensionistas das FA e não custo efetivo das forças.

    Existem alguns projetos de lei em tramite para desvincular esses gastos com pessoal da despesas militares e vincular as mesmas ao custo do executivo.

  23. o que faria mais sentido, diga-se…
    ao que sei, em Portugal é isso que acontece.

  24. Fred

    É, sentido tem, falta módulo e direção! :)

    Desculpe-me, não resisti em fazer uma piada de físico! ;)

  25. módulo?
    sou licenciado em História…

  26. Fred

    Clavis, em algebra, qualquer vetor tem módulo, direção e sentido, de grosso modo:

    Módulo seria a intensidade,( a direção seria o caminho a seguir e o sentido se ele vai ou volta naquela direção.

    Os vetores e tudo mais na vida :)

  27. Tds as terras conquistadas p/ armas , tomadas do méxico, deveriam ser devolvidas.. se sou presidente do méxico eu ia ao TPI /Haia..e começaria uma guerrila…. Exite portoriquenhos q se acham “Independentes”..o ianks q se cuidem, vão dar trabalho..Arriba hermanos..

  28. gaitero

    Paraguai deveria acabar, metade teria de ficar com o Brasil otra para argentina e outra para bolivia…

  29. gaitero

    Brasil X Paraguai

    Protestos e invasões de terras vão marcar a posse do novo presidente do Paraguai. Conforme revelado nas últimas semanas por Defesanet, na série Missão Paraguai, as terras dos brasiguaios foram invadidas nesta semana e muitas plantações foram destruídas. Nas regiões de San Pedro e Alto Paraná a situação é de extrema instabilidade. Até uma base da Fuerza Aérea Paraguaya foi invadida pelos colonos campesinos.

    A ordem é expulsar os brasileiros que possuem terras no país. Fazendas de familiares das fontes utilizadas nas reportagens de Defesanet foram invadidas hoje. “Estamos todos assustados e não sabemos o que vai acontecer nos próximos dias”, disse uma brasiguaia que não quis se identificar.

    O governo brasileiro acompanha com cautela as ações empreendidas contra cidadãos brasileiros no país vizinho. O presidente Lula viaja na quinta-feira para a posse na sexta-feira de Fernando Lugo.

  30. Fred

    Gaitero, ai são três metades :)

  31. Fred

    Será que cada um tem a Geórgia que merece?

    A FAB acabou de enviar 2 helicopteros esquilos da FAP que desde 2006 estavam no Brasil aguardando verba para a manutenção, ai a FAB BANCOU a (acho que precisava do espaço ;) ) manutenção, esse ano, levou em um C 130 os helis para Assuncion! na faixa, 0800, no vasco, ou de graça como queiram.

  32. paraguai x brasil:
    um tema a seguir, que pode dar que falar brevemente…hei de fazer um artigo sobre isto brevemente
    a… geórgia brasileira?

    sim, seria ridiculo se acabassem sendo usados contra brasileiros…
    aquando da 1ª guerra do iraque, a itália tinha nos seus portos, esperando entrega uma fragatas para o iraque… e tiveram o bom senso de não as entregar.

  33. Esse é um dos nossos problemas , Ven.x Guiana, na verdade o sr chaves..e o iankes vindos do norte m,usando a colômbia, como ponta de lançc deles. E pipocas no fogo e questão de tempo.

  34. Fred

    Não é institucional, o Governo paraguaio não tem interesse nenhum nisso, o problema são os movimentos campesinos, que inclusive essa semana invadiram uma base aérea paraguaia na região de fronteira com o Brasil.

    E que grande parte das fazendas na área de fronteira são de Brasileiros ou descendentes, eles querem tomar as fazendas e já começaram a destruir algumas plantações de girassol e soja.

  35. gaitero

    Cerca de 90 % das terras ditas como da agroindustria pertencem a brasileiros….
    Mas isto não quer dizer nada, eles foram para la sem um tustão começaram a trabalhar e compraram honestamente estas terras, não devem ser tratados como invasores afinal muitos tem filhos com nacionalidade paraguaia..

  36. Fred

    O governo paraguaio administra um PIB por volta de uns 25 bilhões de dólares, só itaipu paga anualmente uns 3 bilhões e meio de dolares, mais que 10 porcento do pib estimado para este ano uns 28 Bi.

    O agronegocio controlado pelos brasiguaios representa uns 20 % do pib deles, se realmente eles expulsarem os brasiguaios, vão fazer o que, pergunto eu? Vai acontecer o mesmo que aconteceu com a bolivia após a nacionalização.

  37. marcelo

    O futuro presidente do paraguai, Sr LUGO é tão responsável pela ação dos “campesinos sien tierras” (ha ha ha !) contra os Brasileiros quanto o PT e LULA , entre muitos outros, são responsáveis pela ação do MST no Brasil.

  38. Da Extrema Direita

    Vamos terminar o que os nossos gloriosos amigos Europeus começaram no seculo XV quando começaram o embranquecimento da Gloriosa America do SUL, ….Aimaras, quechuas, guaranis, evo morales, rafaeis do equador, hugos chaves de vida e toda escoria indígena vc´s serão varridas do mapa…a América é dos conquistadores brancos !!!!!! Tomaremos o que nos é de direito .marcharemos anexando esses suburbios e bolsoes miseráveis e iremos impor nosso idioma e nossa vontade…a América do Sul é dos BRASILEIROS brancos !!!!! a nação mais poderosa do hemisfério SUL…….

  39. PEGASO

    Santa ignorância senhor da extrema direita isso já não se usa eu sou cidadão da cplp sou lusofuno e branco cor de pele sou portugues mas assima de tudo sou unversal. E isso que lhe falta ser menos brazileiros é sere mais universal o brazil fica mais pobre com pessoas com senhor.

  40. Ainda bem q o BRASIL e uma sucursal da Africa na América do Sul , vide os dados do IPEA..deve ser outro país q desconhecemos, pardos p/ africanos e negros p/ os wasp anglosaxônicos.

  41. PEGASO

    Portugal tem por direito internacional sobre oliveiça.Olivença faz parte portugal e mesmo assim ainda continua ocupada por espanha portugal não fronteira deliniada nessa zona com espanha. ta calado a espera de outro timor não pelas armas mas pelo crer ser parte portugal.

  42. se a América fosse dos Brancos (seja lá isso o que for) não seria América…
    A grande riqueza das américas é precisamente o seu cruzamento de sangues que lhe dá tanta riqueza e que encontra no Brasil o melhor exemplo de sã e plena mestilagem no Cabloco (p.ex.).
    Um dia, daqui a 20 ou 30 anos, todo o mundo será uma imensa mistura de raças e gentes, uma mistura que hoje, o Brasil já permite antecipar…

  43. leonel

    ok

  44. Como que o BRASIL é dos brancos, se a maioria no BRASIL e de mestiços , pardos, = a eu e meus filhos de olhos verde e azul ; + ainda assim mestiços..?( Vide IPEA e IBGE 2008 )descendentes de negros indios e luzitanos…e outra + ? Se tá fora da realidade BRASILeira, kara…mt por fora…cai na real.

  45. O q venho dizendo…os problemas estão “adormecidos” em nossas fronteira…temos FAs para segurar e dissuadir nossos hermanos? Temos de ficar espertos, olhos neles…

  46. Olho neles…

  47. Sr. Clavis, mt bem posto..”já nos permite antecipar “…é isso aíh, já é.

  48. O problema é o racismo incubado de uns …

  49. Edmar

    Caros Amigos.:

    Eu já vi alguns jornais e também já vi pela internet o que a Venezuela, ou seja, principalmente o que Hugo Chaves quer.:

    “Hugo Chaves” quer comprar para as suas forças o seguinte.:
    Para a Força Aérea quer de 120 a 150 “Sukhóis SU-30 e SU-35″, de 4 a 6 Bombardeiros supersônicos intercontinentais.., Para o Exercito ele quer de 400 a 600 tanques de ataque e alguns Helicópteros.., e para a Marinha ele quer vários navios e alguns submarinos.., além de outros tipos de armas que aqui não foram citados….

    Mas isso não é apenas para defesa e sim uma ambição de invadir a “Guiana”, possivelmente o “Suriname” e talvez a “Guiana Francesa”. Ah alguns criticos que dizem que até o “Estado de Roraima” poderia estar nos alvos de Hugo Chaves, pois ele quer transformar a Venezuela em uma potência Sul-Americana e implantar o “Socialismo Bolivariano”.

    Então por via das dúvidas acho melhor o Brasil se armar logo e muito bem armado, pois esse Hugo Chaves parece um pouco louco e ambicioso…

  50. Temos de ficar espertos , é bem acordado, olhos neles…

  51. gaitero

    Infelismente apos a crise global que derrubou o preço do petroleo de 150 dólares para pouco menos de 50 dólares. Todas as operações relacionadas com a compra de armamento foi cancelada.

    Muito provavelmente o numero total de SUs não chegará nem a 60.

    O resto, com certeza nem sairá do papel.

    Abraço.

  52. Sr. gaitero…tem certeza que o homem cancelou as compras…?

  53. Pq vc trocou meu Halte-ego?

  54. Fred

    Veja bem Carlos, cancelar não cancelou, o problema dele é que na venezuela, o planejamento orçamentário cotava o barril de petróleo a 60 dólares, o que excedesse, o executivo podia gastar como quisesse, (sem maiores explicações digamos assim), já na casa dos 40 dolares a coisa fica no mínimo complicada, para gastar é necessario aprovações, etc e tal. O que ele comprou tá comprado, para comprar mais ele precisa de financiamento ou subir o preço do barril para mais que 60 dólares, dai a pressão para diminuir a produção.

  55. gaitero

    Segundo um amigo do DB

    Eles começaram o desenvolvimento de um kit de bomba-burra chamado ACAUAN.
    Alguns prazos:
    -MAA-1B: Industrialização em 2010.
    -MAR-1: Em industrialização. Produção em série 2011.
    -MAN-1 (Exocet pintado com o emblema da Mectron ): Industrialização apatir de 2013.
    -ACAUAN: Produção apartir de 2010.
    -A-Darter: Industrialização apartir de 2014.

  56. gaitero

    Ops lugar errado kkk

  57. Carlos:
    “Pq vc trocou meu Halte-ego?”
    -> não troquei… é o sistema que o faz automaticamente, de vez em quando… para ganhar uma imagem permanente (e escolhida) terá que se registar no wordpress.com

    Fred:
    “Veja bem Carlos, cancelar não cancelou, o problema dele é que na venezuela, o planejamento orçamentário cotava o barril de petróleo a 60 dólares, o que excedesse, o executivo podia gastar como quisesse, (sem maiores explicações digamos assim), já na casa dos 40 dolares a coisa fica no mínimo complicada, para gastar é necessario aprovações, etc e tal. O que ele comprou tá comprado, para comprar mais ele precisa de financiamento ou subir o preço do barril para mais que 60 dólares, dai a pressão para diminuir a produção.”
    -> e como tudo indica que durante 2009 o barril andará pelos 40… Isso quer dizer que Chavez terá que apertar o cinto… e a operacionalidade dos Sukhoi vai ressentir-se disso mesmo…

    Gaitero:
    “Segundo um amigo do DB
    Eles começaram o desenvolvimento de um kit de bomba-burra chamado ACAUAN.
    Alguns prazos:
    -MAA-1B: Industrialização em 2010.
    -MAR-1: Em industrialização. Produção em série 2011.
    -MAN-1 (Exocet pintado com o emblema da Mectron ): Industrialização apatir de 2013.
    -ACAUAN: Produção apartir de 2010.
    -A-Darter: Industrialização apartir de 2014.
    Ops lugar errado kkk”
    -> Hehe. não faz mal… valeu pela informação!
    -> O dinamismo da mectron é interessante: sobrevivem não pelo mercado nacional, que nã chega, mas pelas exportações, como aquela para o Paquistão. E com parcerias como aquela com a África do Sul… um modelo a explorar e de resultados provados, está-se a ver. O seu site é que é de uma pobreza estrondosa… http://www.mectron.com.br/index_produtos.html

  58. E isso aí, cara,,estamos cercados de “causos” sanguínolentos..é necessário uma implementação nas FAs em especial marinha e aeronautica , + uns 15 subs altamante furtivos , fragatas (25), e 2500 tanques ,osórios está mt bom..e um exercito altamemente equipado e treinado em número grande pelo perimentro da fronteira amazônica..dizem que pousam helicopteros da venezuela em nosso território…o cenário : ela ataca é a França faz o trabalho sujo , pelo ianks e com o apoio dos ianks, sem invasão, + ataques aereos massivos…é lá vai nós ,BRASUCAS..e temos tratado militar, cedendo o espaço aereo aos franceses…percebeu a jogada dos mesmos…estamos dentro da panela , quem vai acender o fogo..eu ñ sei..o negocio é saber quando?

  59. É bom que se respeite o espaço aereo de qualquer país, especialmente o do BRASIL, no norte, pela FAV. Pode ocorrer uma pane “explosiva” em um dos seu Hellis ,que insistem em pousar em terras BRASLIS…problema é + causos.

  60. gaitero

    Clavis, sobre o ACUAN que eu havia escrito acima, bem ele não será um kit de bombas burras, como eu havia escrito e sim um kit de bombas guiadas, o sistema será Israelense.

    As Bombas Burras de penetração, com 500 KG e 1000 KG já estão prontas, e os testes do ACUAN guiado já começaram.

    Abraço.

  61. Mexer com a Guyana é mexer com a Comunidade Britanica das Nações.Acham que o Chavez tem peito prá isso?Ele pode ser um idiota(como a maioria desses políticos “cucarachos”incluindo o Lula)mas não é louco para tal empreitada, mesmo que o “sapo barbudo”esteja com ele.Como torço para que isso aconteça,só prá ver o circo pegar fogo.Político latino só sabem vociferar,mas são todos cagões.Tem mais é que os “States”tomar conta dessa baderna toda.

  62. simm essa é uma análise racional…
    o problema é que Chavez nem sempre se move apenas nesse campo…

  63. É seria td de bom p o mesmo…um ataque das potencias coloniais…a primeira providência seria invadir as colonias aqui existentes…e ainda q derrotados teriam o ganho moral…etc,etc,etc…nem pensar.

  64. CapitaoMarvel

    ESSE CALHORDA PALHACO DO CHAVES COLORADO SOH SERVE PARA TRAZER INSTABILIDADE A AMERICA DO SUL E SEUS VIZINHOS, NADA DE POSITIVO E BOM ESSE SAFARDANA TROUXE ATEH AGORA PARA O POVO VENEZUELANO, CERCADO DE PUXA-SACOS E BABA-OVOS SOH ABRE A BOCA PARA FALAR BESTEIRA E COM SUA ARROGANCIA PREPOTENCIA E IGNORANCIA LOGO EM BREVE MERGULHARA A VENEZUELA E O SEU POVO EM UMA GUERRA REGIONAL COM A COLOMBIA GUIANA E EEUU, TOMARA LOGO QUE OS EEUU INVADAM E PRENDAM ELE E LEVE PARA UMA PENICENTIARIA NOS EEUU ASSIM COMO FIZERAM COM O NORIEGA DO PANAMA QUE ERA DA MESMA RACA DO CHAVEZ!!!

  65. O panama…a venesuela e outra coisa, seria até derrotada, + levaria mt destroços com eles…colombia, mt ianks e mt BRASUCAS…e lançaria a américa latina a uns 15/20 de atraso economico…td q os ianks querem p nos manterem sob seus tacões..nem pensar…

  66. tem gente viajando aqui… não há possibilidade de haver uma grande guerra na América do Sul, principalmente envolvendo o Brasil, ou comprometendo o desenvolvimento de seus países. o máximo que poderia haver seria uma guerra entre a Venezuela e a Colombia, por interesses próprios, ou entre Venezuela e a Guiana, pelos territórios da Zona En Reclamación. a Ven. e o Brasil se dão bem, e o Chavez não é um retardado qualquer, embora hoje o povo não goste dele e a Ven. esteja indo mal (com racionamento de agua e luz na capital, Caracas), ele melhorou o país desde que assumiu o poder e promoveu a Revolução Bolivariana.

  67. uma guerra entre os países que citas é de facto muito mais provável do que qualquer outra, Jefferson. Mas na Europa, as guerras de contágio, com a ativação sucessiva de redes de alianças regionais estiveram na base de dois conflitos mundiais… um haveria até de envolver o Brasil.
    O gigante continental poderia manter-se alheio a um conflito nas suas fronteiras se este extravasasse de escaramuças fronteiriças e assumi-se uma forma de “guerra total”?
    Não me parece…

  68. Wladmir Alexei

    Caros compatilhadores,me parece que o Chaves ao (re)inventar a Rep. Bolivariana tem um projeto maior, ou seja, buscar a coalisão entre os países de colonização espanhola, particularmente aqueles que Simon Bolivar faz parte de suas histórias de independência e fundar uma única república, qual seja, a grande nação bolivariana. Em seguida iriam reivindicar a revisão dos tratados e das bulas papais que estabeleceram as fronteiras da então colônia portuguesa, no caso do Brasil e dos demais países que eram de domínio espanhol. Poderiam alegar a condição paradoxal de Colombo ter descoberto a América e posteriormente Cabral ter descoberto o Brasil. Exigiriam a revisão do Tratado de Todesilhas, a Bula Intercoetera e mesmo as bases do direito (?)canônico do uti possi detis. Chaves não quer anexar tão somente a guiana ou anexar pequenas frações teritoriais, acho que seu desejo é a união bolivariana e buscar através de pressão aos organismos internacionais a revisão dos marcos fronteiriços brasileiros. Isso certamente geraria uma contenda no campo das relações internacionais que invariavelmente acarretaria em um impasse sem precedente e parigoso que poderia dar início de um conflito armado de proporções não sabidas. Se houvesse a interferência americana em favor do Brasil este apoio poderia siguinificar, em um momento posterior, a instalação de bases militares americanas em nosso país, o controle armado da amazônia e todo seu potencial hídrico e mineral, a sexta frota cuidando do nosso mar territorial e da área do pré sal e por ai vai.

  69. Sou um entusiasta quando o assunto é a expansão territorial do Brasil, haja vista, termos fronteiras mal definidas em grande parte com os nossos vizinhos. Um país forte, tem que ter necessariamente dimensões continentais, forças armadas bem equipadas, dentre outras condições, e é sabido que o mundo sempre terá dominadores e dominados, logo, por que não sermos dominadores civilizados, incorporando os valores democráticos que respeitem direitos e deveres isonômicos, sem preferências étnicas, culturais, etc; cujo estado seja laico como o modelo atual do Brasil. Falei das possibilidades naturais de nos tornarmos uma potência em todos os aspectos, e para isso, se faz necessário anexarmos pacificamente ( comprando ) parte de territórios limítrofes com o Brasil, exclusivamente ao norte e a oeste, cuja ambição passa pela aquisição de uma faixa de terra desde o Acre até o Pacífico passando pelo Peru, com objetivo de construir uma ferrovia ligando o Atlântico ao Pacífico, fazendo alí um mega porto para escoar via um corredor férreo até o Atlântico, podendo ser construído em Belém para a saída para o Atlântico ( Àfrica, Europa e costa leste Americana; já em contrapartida à aquisição desta faixa de terra do Peru, o Brasil pagaria justo preço em espécie, construiria portos em seu litoral ligando ao porto Brasileiro no Pacífico, e consequentemente ao Atlântico sem que seja cobrado porventura taxas existentes, dando tratamento de reciprocidade aos produtos oriundos daquele País que utilizassem este corredor férreo com a finalidade de venda no Brasil ou mesmo de exportá-los via Atlântico. Faço notório que somos uma República Federativa ( leis iguais para todos os Estados membros ), um só idioma, sem conflitos étnicos, recursos minerais e hídricos imensuráveis, solo fértil, clima diversificado por ocuparmos os dois hemisférios, etc, logo, falta algum visionário enxergar esta possibilidade e rumarmos ao topo do domínio mundial, sendo o celeiro na produção de alimentos para erradicar a fome mundial.

  70. muito bom esse testo

    • Otus scops

      “muito bom esse testo”
      só falta a panela…

      • fada do bosque

        ahahahahah Otus!!! Já cá fazia muita falta! :) :) ;)

        • Otus scops

          :D :D :D

        • Para o convocar ‘e simples, basta usar a palavra magica (tipo a palavra secreta que conjura um demonio) e ele aparece logo. A palavra começa por… Ac…
          Experimenta e verás. é infalivel.

        • Para o convocar ‘e simples, basta usar a palavra magica (tipo a palavra secreta que conjura um demonio) e ele aparece logo. A palavra começa por… Ac…
          Experimenta e verás. é infalivel. :-)

  71. Otus scops

    (des)ACORDO ORTOGRÁFICO 90
    alguém me chamou??? :)

    CP

    cala-te e mete o TESTO na panela, tá na hora do jantar!!! :twisted:

    • Riquepqd

      Se o testo do zenilton F. Portes fosse meu, já estaria condenado pelo corujão como o novo Muanmar Khadafi da América do Sul. :D

      E complementando o texto dele, temos as palavras do o presidente Jânio Quadros, “Um pais que dominar do Prata ao Caribe dominaria o mundo”

      • Riquepqd

        “testo”

        Texto fica melhor. :)

      • Otus scops

        Riquepqd
        :D
        “Texto fica melhor.”
        assim é que é “em bom português”!

        quanto ao Zenilton, já estou cansado de paranóias, embora ele parece bem intencionado.
        tu és diferente e já és da família.

        esse Jânio Quadros é um daqueles que fez muito mal ao povo brasileiro, com essas manias de grandiosidade…

        se a América do Sul nunca produziu nenhuma civilização dominadora não era agora que ia fazê-lo, que dizes???
        (pronto, está aberta mais uma batalha…) :twisted:

        • Riquepqd

          HEHEHEHE :D

          “tu és diferente e já és da família…

          …se a América do Sul nunca produziu nenhuma civilização dominadora não era agora que ia fazê-lo, que dizes???…

          (pronto, está aberta mais uma batalha…)”

          Tu batalha (briga) com tua família? Nem eu! pode até haver algum desentendimento, mas depois os laços de sangue falam mais alto.

          Mas aguarde Sábia Coruja do Minho, um novo império está se levantando…

  72. Riquepqd

    E sobre o assunto do post, acho que o Brasil não deve tomar partido, e se comportar como um mediador, é o que se espera uma democracia, potência da região e aspirante a potência mundial.

    E no caso de uma movimentação de tropas de Venezuela pra intimidar a Guiana, o Brasil também deve fazer o mesmo em direção a fronteira de ambos, pra dizer à Venezuela que não toleraremos invasões à margem do direito internacional na América do Sul.

    E no caso de a Grã- Bretanha tentar algo parecido, em solidariedade a sua ex (ou ainda) colônia, como por exemplo enviar navios de guerra para o litoral guianense, o Brasil deve ter a mesma postura, enviar navios de guerra e submarinos para perto deste possível teatro de operações, bem como enviar tropas pra fronteira.

    Assim como não queremos ingerências venezuelanas em território guianense, muito pior aceitar uma intervenção alienígena da Grã-Bretanha na América do Sul. Aqui, agora quem manda somos nós! e a Grã-Bretanha está muito longe de poder conosco em terras sul-americanas.

    • Otus scops

      Riquepqd

      “um novo império está se levantando…”
      agora a sério, acreditas mesmo nisso??? ;)

      “Aqui, agora quem manda somos nós! ”
      uiiiiii, que bravos!!! :twisted:
      já agora quem são o “nós”???

      “a Grã-Bretanha está muito longe de poder conosco em terras sul-americanas”
      nos anos 80 havia um país da América do Sul que pensava exactamente assim e deu-se mal… como se chamava mesmo??? :D

  73. Fred

    Não acredito que o Brasil tomasse algum partido, no máximo, uma movimentação de tropa para as fronteiras para desaconselhar invasões do território nacional e auxílio de possíveis refugiados.

    Bem, minha opinião, claro.

  74. Odin

    A pior besteira que o Chavez podia fazer é atacar a Guiana. Não só a Grã-Bretanha como os Estados Unidos (mesmo com crise), reagiriam a tal aventura venezuelana.

  75. Riquepqd

    Otus

    “…nos anos 80 havia um país da América do Sul que pensava exactamente assim e deu-se mal… como se chamava mesmo???”

    ARGENTINA!!!!

    MAS NÓS SOMOS O BRASIL!!!! Há entre nós uma gigantesca diferença militar, econômica e demográfica.

    1º Atualmente a Argentina é a 4º ou 5º força militar sul-americana, e na época não era muito melhor, na época não ameaçou nem o Chile, com quem ainda tem pendências territoriais, já o Brasil é a maior força da América Latina e não tem com quem rivalizar de perto.

    2º A Argentina foi a guerra não porque achava que poderia vencer a Grã-Bretanha, a ditadura estava ameaçada, então queria um motivo para se perpetuar no poder, e a recuperação das Malvinas tinha forte apelo popular, mas já entrou na guerra sabendo da derrota, foi uma jogada genocida política.

    3º E no caso em questão, a guerra se desenrolou em um teatro de operações em que se exigia um bom poder aero-naval, onde sabidamente a Grã-Bretanha era superior à Argentina, mas no exemplo do post, a guerra se desenrolaria na Amazônia, e na Amazônia não tem para os britânicos porque:

    • Temos de longe os melhores combatentes deste bioma, todos ameríndios nativos da região e ou militares formados no CIGS, a melhor escola de guerra na selva do mundo.
    • Nosso Exército está há milhares de KMs mais próximo ao possível teatro de operações, não preciso nem citar aqui as incalculáveis vantagens disto, e com certeza essa é a nossa maior vantagem.
    • Nosso exército é numericamente superior ao britânico, se a premissa básica de uma guerra convencional é atacar em maior número do que quem defende, então vai ficar difícil pra eles.
    • Os tanques britânicos em maior número e de ultima geração de nada valem na Amazônia, coberta de selva e riscada por rios.

    Em uma guerra na selva, não vence o Exército mais tecnológico, o Vietnã já provou isso, vence o exército mais rústico, audaz e mais adaptado ao bioma, e que esteja com o moral mais elevado.

    Porque na selva não adiantam bombas inteligentes, radares de ultima geração, sistemas de ultima geração de comunicação e orientação, e todas as demais parafernálias carregadas pelos anglo-saxões, simplesmente porque nada disso funciona em uma selva tropical, a umidade extrema e a cobertura da selva impedem que estas coisas funcionem perfeitamente neste bioma.

    Resumindo, não adianta os britânicos tentarem que o azar é certo. :D

    • Uma nota: hoje, ainda que o exercito argentino nao seja mais que uma sombra do que era na decada de 80, a royal navy ainda está em pior estado. Se houvesse nova guerra, a argentina conseguiria e manter o arquipelago com – teoricamente – ainda mais facilidade…

      • Fred

        CP, sei não! Neste exato momento eu estou em BA, acho que provavelmente seria a mesma coisa, nas forças armadas da aqui a coisa está muito feia!

        abraço

        Fred

      • Otus scops

        CP

        a tua britanite leva-te a dizer essas coisas: nos anos 80 a Royal Navy estava pior pior do que agora, foi quase tudo arranjado à pressa e adaptado. a estratégia dos ingleses, a sua determinação, experiência e sabedoria acumuladas foram cruciais.
        agora com 6 Type 45 Daring, são os vasos de guerra mais poderosos à superfície dos oceanos e os 2 porta-aviões estão na forja (1 ainda está de reserva e os Harrier nenhum está desactivado – pensas que eles estão a dormir???) estão melhores do que nos anos 80.
        deixa-te dessas coisas.
        os Guhrkas, os comandos, etc, foi tudo perfeito, a operação nas Ilhas Sandwich do Sul…
        guerra é com os Europeus e os britânicos ainda mais, são os únicos que provaram e já ganharam em todos os cenários, em terra, no mar e no ar!
        God Save the Queen!

        • Bem, le la uns foruns britanicos e volta a este post, Otus… A minha opiniao ‘e identica ‘a deles: uma missao ‘as Falklands teria sempre que ter um forte apoio aereo.
          E onde estao os dois porta_avioes (hermes e invincible) resta o Illustrous de 1978… Sem avioes (os Harriers foram retirados ao servico em março de 2011) como combater nas Falklands?!… pelo menos antes de 2016, com a entrada ao servico (duvidosa…) do ms queen elizabeth.
          Ou achas que os 4 typhoon de mount pleasant fariam alguma diferenca, apesar do estado miseravel da faa…?

          • Otus scops

            CP

            os fóruns dos ingleses devem ser daqueles fanáticos militaristas que ainda deviam querer ter forças armadas do tempo da Rainha Victória. todos os militaristas que polulam nesses espaços tem sempre a mania das grandezas, devem querer ter 10 porta-aviões, 20 submarinos nucleares 5000 tanques de guerra, etc…

            “(1 ainda está de reserva e os Harrier nenhum está desactivado – pensas que eles estão a dormir???)”
            acho que às vezes ligas ao que eu escrevo…
            o Ark royal ainda não foi “vendido” e o HMS Ocean ainda está activo. e os Harriers estão onde??? viste onde foram desmantelados???
            é duvidosa a entrada em serviço do futuro Queen Elizabeth??? só se for na tua vontade e desejo…

            a guerra das Malvinas/Falkland foi também de improviso, eles não estavam totalmente preparados, a própria Margareth Tatcher tinha dúvidas, “but The Old English Fighting Spirit always prevail” …

            quanto aos Typhoon 4 podem ser poucos, mas pelo menos podem rechaçar ataques aéreos por umas horas, enquanto chegavam um contingente aéreo poderoso de Brize Norton via Ilha Ascensão.
            por enquanto é suficiente para o “parque aéreo” de aeronaves de combate actual na América do Sul.
            se algo houver que faça alterar esta relação de forças tenho a convicção que as forças armadas britânicas também acompanharão.
            quando isso acontecer já o petróleo off-shore das Malvinas/Falkland jorra pagando isso e muito mais e esse é que é o centro do problema: a Argentina quer o petróleo tal como a Inglaterra.
            as pessoas que lá vivem, as ovelhas, os pinguins.etc, não são o objecto de amor destes dois povos.

            às vezes fico admirado por certas opiniões levianas e fantasiosas (fruto de odiozinhos, antipatias e preferências subjectivas) que tens perante factos históricos e realidades presentes.
            isso impele-me a escrever estas coisas.
            temos que ir os dois passar uns dias a Inglaterra, vais ver que mudas de opinião sobre o povo inglês em horas, para melhor! :)

            • A verdade dos factos ‘e que os ingleses ja nao tem porta-avioes, so porta-helicopteros e que os Harrier foram todos desativados. O primeiro dos dois novos porta-avioes so estara operacional daqui uns anos e nestes programas (em mais tratando-se de um novo navio e num navio muito complexo) os atrasos sao uma constante…

              Se a argentina atacasse hoje, o Reino Unido teria que pegar no Ocean e readapta-lo para os Harrier que teriam que ser tirados do armazem, repreparados para voo, etc. Demorariam longos meses ate completar o processo… Os 4 typhoon teriam a sorte de terem que enfrentar umas faa muito desfalcadas desde os anos 80, e com os mesmos aparelhos! Mas estariam numa inferioridade de 20 para 1 ! Poderiam ser reforcados, diretamente de inglaterra, com mais aparelhos, mas ate esse processo levaria dias e quando chegassem poderiam nao ter ja pista onde aterrar.
              Em suma: se a argentina quer mesmo retomar as malvinas, agora ‘e a hora. Nao quando os ingleses receberem o queen elizabeth e os f-35…

            • Otus scops

              CP

              nem a propósito:
              http://www.titan-airways.co.uk/news/falklands-air-bridge.html
              adeus Malvinas, olá Falkland!!!
              vamos lá??? :)

              é uma reafirmação de soberania, brilhante jogada.

              mudando de assunto, primeiro dizes “entrada ao servico (duvidosa…) do ms queen elizabeth.” e depois desdizes-te “quando os ingleses receberem o queen elizabeth”. o teu anti-inglaterrismo primário é por demais evidente!!! :D
              ficas ceguinho… :evil:

              “e a argentina atacasse hoje, o Reino Unido teria que pegar no Ocean e readapta-lo para os Harrier que teriam que ser tirados do armazem, repreparados para voo, etc. Demorariam longos meses ate completar o processo”
              isso fizeram eles em horas ou poucos dias…
              e achas que os ingleses não tem espionagem suficiente para se anteciparem e passarem de 4 Typhoon para uns quantos esquadrões em poucas horas???

        • Fred

          Só que quem afundou o Belgrano foi um Submarino com propulsão nuclear! Sem ele a frota argentina não teria ficado nos portos!!!!

          Disso você não fala ne Corujão!!! ;)

          • Mas um aip (ou ate um convencional) tambem teria feito o servico e a um preco muito inferior!

            • Fred

              Acho realmente difícil que um sub convencional mesmo com o AIP que você quiser possa ficar em missão por 3 meses submerso e paralisar uma frota.

              Inclusive no mesmo conflito em questão, a RN ficou fora do raio de ação do TR 1700 argentino, mas perto o suficiente para fazer o bloqueio aéreo das ilhas. Já se o submarino fosse nuclear…..

          • Odin

            O argumento dele a favor da Inglaterra é demagógico. :mrgreen:
            É demagogia barata. :P

            Ele fica incondicionalmente do lado dos países do norte da Europa. Se a Alemanha, a Inglaterra a França e a Finlândia fizerem uma coligação para invadir Portugal, ele ficaria do lado dos invasores. E diria “e eu acho bom!” Agora, se fosse a Rússia ou Espanha a invadir Portugal, ele vai ser um dos primeiros a pegar nas armas. ;)

            ahahahahahahah… :D

            • Otus scops

              Odin

              “Agora, se fosse a Rússia ou Espanha a invadir Portugal”
              ou o Brasil!!! :twisted:

              P.S. – aqueles que mencionastes também podes acrescentar à lista.
              P.P.S. se for um exército só de brasieleirAs, espanholAs ou de russAs eu traio a pátria e ainda te convoco para vires ajudar-me a colaborar com as invasoras, que dizes??? ;)

              • Acho que estas a pensar num tipo diferente de penetracao de fronteiras pa… Mas compreendo, o amor pela germania deixa-te confuso, ‘e normal. Nada que nao te passe no Reich que se segue. :-)

              • Odin

                Brasileiras,argentinas, espanholas, alemãs, holandesas, suecas, norueguesas, dinamarquesas, islandesas, russas, ucranianas, checas, polonesas e outras beldades européias e mundiais, pode me convocar sim. Em caso de guerra civil, se a revolução for comandada por mulheres como a Debora Montenegro, Catarina Gouveia, Anabela Teixeira, a modelo da Triumph Helena Coelho, Joana Solnado, a miss Portugal Laura Gonçalves, e a ex- miss Marina Rodrigues, a Victoria Guerra, quiserem tomar o poder para elas, podem contar comigo! ;)

                Quanto ao Brasil, só alguns internautas tolos que postam perguntas no br.answers.yahoo.com como “Numa guerra só entre Brasil e Portugal, quem venceria?” sendo que tal guerra não acontecerá nunca. Nem o Salazar se atreveu a tomar o Brasil de volta, nenhum líder brasileiro se atreveu a tentar anexar Portugal ou qualquer território português. E o Brasil não vai tentar sequer anexar Angola ou qualquer outro dos Palop, simplesmente porque o Brasil não tem espírito imperialista, não no sentido militar, e é proibido pela nossa Constituição fazer tal coisa.

                • E nao so… O tempo dos imperios e das anexacoes ja acabou. Nem mesmo a unica superpotencia mundial, os eua, consegue hoje manter-se no afeganistao!
                  Simplesmente ja nao ha a assimetria de forças que havia no mundo no seculo xix.

                • Otus scops

                  Odin

                  e tu o que é que respondeste nesse fórum tão idiota???

                  agora deixa-me dizer-te uma coisa, esqueceste-te (ou não) de colocares na lista “il donni piú belle del mondo, gli italiani”!!! imperdoável… podes ficar com as outras todas para ti. :D

                  P.S. – “Laura Gonçalves, e a ex- miss Marina Rodrigues, a Victoria Guerra, ” nunca tinha ouvido falar delas…

                • Odin

                  Otus Scops,
                  eu não participo daquela merda do yahoo respostas. Só observo.Não posto. Apesar de ter outro usuário com o nick “Odin” por lá. Mas ultimamente até alguns brasileiros começaram a brigar com outros brasileiros para defender os portugueses, porque a rivalidade já está ficando cansativa.
                  Você deve ser como eu, não gosta muito de ver televisão. Não é?

                • Eu explico: quando havia televisoes de marcas tipo telefunken, bosch e isso ele via, mas quando comecaram a aparecer so marcas sul coreanas ou tvs de marcas alemas, mas feitas na china, ele recusou-se e agora a unica tv que ve ‘e uma telefunken com o cinescopio avariado que usa como aquario para um peixe dourado de ascendia tirolesa chamado “herr merkel”.
                  Pelo menos ‘e o que diz a wikipedia. Ou vai dizer, logo que eu tiver acesso a um browser.

                • Otus scops

                  Odin

                  sim, “certa” televisão não vejo.

                  agora diz-me lá, ó Rei de Asgard, onde é que eu estou a ser demagógico na questão dos ingleses???
                  (ao ponto que chegaste, a defender “os hermanos” só porque são sul-americanos que vos iam atacar a seguir às Malvinas/Falkland…) :D

                • Nao ves tv… Mas assim nao viste Lost, Spartacus, nem House… Nem Apocalypto, ontem!
                  Mas concordo, tirando os telejornais (a ver sempre com o sentido critico ligado no maximo!) O resto ‘e praticamente lixo.

                • Odin

                  “Eu explico: quando havia televisoes de marcas tipo telefunken, bosch e isso ele via, mas quando comecaram a aparecer so marcas sul coreanas ou tvs de marcas alemas, mas feitas na china, ele recusou-se e agora a unica tv que ve ‘e uma telefunken com o cinescopio avariado que usa como aquario para um peixe dourado de ascendia tirolesa chamado “herr merkel”…”
                  Ahahahhahahahahahahahahahah… :D

                  CP
                  É que ele não conhece quase nenhuma das celebridades femininas portuguesas!!! Nem a Miss Portugal ele conhece!!! Eu tomei conhecimento delas pela internet, e algumas por comentários de internautas portugueses.

                  Otus Scops
                  Você raramente fala dos aspectos negativos da pérfida Albion. E é pérfida sim! :evil:
                  Só sabe ver o lado bom deles (e é claro que têm). Numa coisa os espanhóis concordam conosco, os brasileiros. Os argentinos são arrogantes, não se enxergam (apesar de que os espanhóis também o são, e como são!). Mas não desejo mal à Argentina. Na verdade, quero a Argentina como aliada do Brasil. Por mais que as pretenções da Argentina em relação às Malvinas/Falklands sejam justas e corretas, querer desafiar os efeminados dos bifes foi burrice dos cabrones maricones do Prata. Esses ataques de asneiras, os governantes do Brasil não costumam ter. Mas tanto a Argentina quanto a Inglaterra têm lá as suas mulheres bonitas. ;) As mulheres britânicas tem um sotaque delicioso de se ouvir, mas os bifes “masculinos” parecem uns viados, uns paneleiros, umas bichas quando falam.
                  PS: Não sou homofóbico. Apenas acho que os ingleses parecem ser efeminados. :twisted:

                • Ora bem! Como ves, tudo se conjuga com as minhas observacoes! Elas alias sao da maxima fiabilidade, porque provem de um certo responsavel pelos servicos secretos militares que acabo de contratar!

                • Otus scops

                  CP

                  agora fizeste-me rir a bom rir!!! :D :D :D
                  e esqueceste-te da Grundig, feita em Braga!!! :D
                  mas não esqueças, o Brasil só começou a sair do neolítico depois da entrada das milhentas fábricas alemãs lá se terem instalado. não sejas ingrato para a tua terra de adopção.

                  “Mas assim nao viste Lost, Spartacus, nem House… Nem Apocalypto, ontem!”
                  também não sou assim tão radical, mas não vi nenhuma dessas séries que mencionas, não cheguei a gostar.
                  acompanhei religiosamente “Six feet Under” e agora aconselho vivamente à segunda (quando não fores ao cinema) o “No Limit”.
                  o Apocalypto, ontem, fiquei a ver a meio, é um bom filme, mas já tinha visto.
                  deixei de ir ver filmes desse radical católico, ao nível desses radicais islâmicos e judaicos, de nome Mel Gibson. não apoio fanáticos como sabes.

                  Odin

                  adorei essa da MERDA!!! :D
                  nem imaginas a quantidade de vezes que me apetece escrever isso também.
                  eu sei que o CP não quer palavrões (e faz bem porque depois as conversas passam para o insulto e é só ruído) mas como é brsileiro de certeza que ele vai aplaudir… :mrgreen:

                  O direito ao palavrão.
                  Luis Fernando Veríssimo.

                  Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português vulgar que vingará plenamente um dia. Sem que isso signifique a “vulgarização” do idioma, mas apenas sua maior aproximação com a gente simples das ruas e dos escritórios, seus sentimentos, suas emoções, seu jeito, sua índole.
                  “Pra caralho”, por exemplo. Qual expressão traduz melhor a idéia de muita quantidade do que “Pra caralho”? “Pra caralho” tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas Pra caralho, o Sol é quente Pra caralho, o universo é antigo Pra caralho, eu gosto de cerveja Pra caralho, entende?
                  No gênero do “Pra caralho”, mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso “Nem fodendo!”. O “Não, não e não!” e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade “Não, absolutamente não” o substituem. “Nem fodendo” é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo “Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!”. O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio.
                  Por sua vez, o “porra nenhuma!” atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um “é PhD porra nenhuma!”, ou “ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma! . O “porra nenhuma”, como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha. São dessa mesma gênese os clássicos “aspone”, “chepne”, “repone” e, mais recentemente, o “prepone” – presidente de porra nenhuma.
                  Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um “Puta-que-pariu!”, ou seu correlato “Puta-que-o- pariu!”, falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba… Diante de uma notícia irritante qualquer um “puta-que-o- pariu!” dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.
                  E o que dizer de nosso famoso “vai tomar no cú!”? E sua maravilhosa e reforçadora derivação “vai tomar no olho do seu cú!”. Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: “Chega! Vai tomar no olho do seu cú!”. Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoa a camisa e saia à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.
                  E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: “Fodeu!”. E sua derivação mais avassaladora ainda: “Fodeu de vez!”. Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? “Fodeu de vez!”. Sem contar que o nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de “foda-se!” que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do “foda-se!”? O “foda- se!” aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta. “Não quer sair comigo? Então foda-se!”. “Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!”. O direito ao “foda-se!” deveria estar assegurado na Constituição Federal. Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!.
                  Grosseiro, mas profundo… Pois se a língua é viva, inculta, bela e mal-criada, nem o Prof. Pasquale explicaria melhor. “Nem fodendo…”

                  P.S.- algures está escrito “cotidiano”. é por estas e por outras que eu abomino o (des)AO90 e não quero escrever brasileiro (esta é só para vocês não se habituarem muitos tempo sem os meus comentários sobre esse acto colonial do Brasil, não esqueço :evil: )

                • Se a Grunding ‘e “de Braga” eu sou a Cinderela, Otus!
                  Eu nao bloqueio palavras, mas ha a hipotese de o motor de spam o fazer… Depois nao se queixem de que os vossos comentarios ficam presos (ate que os tenha que autorizar manualmente)

                • Odin

                  Otus Scops
                  Por que você acha que o Brasil abriu as portas para a imigração européia? E dentre os não-portugueses, os primeiros foram alemães? É para a longo prazo industrializar o Brasil, e não apenas por motivos racistas (branquear a população). E com imigrantes alemães na região, a Alemanha teve mais boa vontade em investir, e é obvio que queria lucro em troca.

                  Quanto aos palavrões, eu me empolguei. :oops: Mas o CP está certo. O problema é que algumas pessoas podem confundir as coisas e dirigir ofensas a outros usuários. Quanto ao Yahoo Respostas, confesso que por li eu vi usuários que eu gostaria que participassem do Quintus, na maioria compatriotas seus. Uma das Tuguinhas, que é muito culta inclusive, soltou lá um desabafo a um troll brasileiro “É por causa de gente como tu que eu sou a favor de que fiquemos orgulhosamente sós”, ou seja, ela seria aliada do CP, mas depois de tantas ofensas por parte dos trolls zucas, não quer mais saber. Os Tugas insistem que entre 80% e 90% da população daí gosta muito do Brasil. Você concorda com isso?

            • O sonho do Otus ‘e um dia renascer germando e ponto manteiga nos cabelos, como ditava a “haute couture” dos burgundios! :-)

              • Otus scops

                CP

                os meus sonhos são mais de origem pessoal, mas as minhas aspirações para a Humanidade é o fim das desigualdades e o sabermos coexistirmos neste planeta em equilíbrio com a restante Natureza, pois somos apenas uma parte dela. as paisagens, as viagens e o contacto com a Natureza ainda são das poucas coisas que me deslumbram.

                essa de esfregar manteiga nos cabelos a mim de pouco me serve, como sabes… ;)

                tens alguma coisa contra os burgundios??? e contra os alemães??? e contra as pesoas loiras de olhos verdes ou azuis??? e contra os franceses, e contra os finlandeses, dinamarqueses, nórdicos, anglo-saxónicos???
                terás assim tantas mais afinidades com bantos (e demais grupos étnicos africanos subsarianos), tupis-guaranis (e demais famílias tribais amazónicas ameríndias)???
                pensa lá bem nisso e diz-me alguma coisa. :twisted:

                e já agora aí para a galera do Brasil (Odin, Fred e Riquepqd) que hábitos é aquisições civilizacionais/culturais (gastronomia e fala tupiniquim não vale) tem os brasileiros no geral dos índios amazónicos e dos ex-escravos africanos que estejam presentes no quotidiano dos brasileiros???

                • E dizes tu que eu ‘e que sou o utopico… :-)
                  Bem, sou tuga! Logo miscigenado por natureza e orgulho! No meu sangue algarvio anda muita judiaria, de certo, mas tambem alguma coisa celtica e (espero) conia… Sangue germanico, nope, nao me consta. Os suevos nao vieram tao a sul e ate os visigodos nao estiveram em peso tao a sul, havendo ate mais “colonos” bizantinos do que germanicos.
                  Quanto aos germanos: Nada contra, como pessoas. Tudo, como comunidade e Nacao. Porque tenho uma coisa que hoje vai caindo em desuso: memoria da Historia.

                • Riquepqd

                  Otus,

                  “…e já agora aí para a galera do Brasil (Odin, Fred e Riquepqd) que hábitos é aquisições civilizacionais/culturais (gastronomia e fala tupiniquim não vale) tem os brasileiros no geral dos índios amazónicos e dos ex-escravos africanos que estejam presentes no quotidiano dos brasileiros???…”

                  Se diz por aqui que o hábito brasileiro de se banhar todos os dias vem dos ameríndios, dizem que os europeus, principalmente franceses, germânicos, anglo-saxôes e nórdicos não tem o banho como uma rotina diária. hihihihi ;)

                  Agora quando você tira as opções de “gastronomia e fala tupiniquim”, fica dificil, porque muitas coisas estão justamente nestes campos.

                  E por outro lado, o Brasil foi colônia de um país europeu, logo é normal que a maioria dos costumes sejam de origem européia, apesar de termos na culinária e na fala, muito coisa ameríndia.

                  Já os africanos coitados, eram escravos, e mesmo assim, a sua contribuição cultural é muito grande para um povo que foi escravizado, e ainda assim conseguiu incluir algo no dia-a-dia brasileiro, principalmente na música.

                • Fred

                  Vamos tentar:

                  Dos africanos: Capoeira, Candomblé e Umbanda, Samba, Frevo, Coco de roda e o Maracatu, deve haver mais, mas assim de repente é o que lembro. Claro excluindo a influência na língua e na culinária.

                  Dos indígenas excluindo os topônimos, influência na língua e gastronomia (a mandioca conta como gastronomia?) poucas ficaram já que foram mais suprimidos: mas lembro dos blocos de Marins, principalmente em Pernambuco e a freqüência dos banhos.

                  Vocês sabiam que até o início dos 1800 a língua mais falada no Brasil era o tupi-guarani?

                  Espero ter ajudado

                  Abraço

                  Fred

            • O sonho do Otus ‘e um dia renascer germano e pondo manteiga nos cabelos, como ditava a “haute couture” dos burgundios! :-)

            • Riquepqd

              Odin,

              “…O argumento dele a favor da Inglaterra é demagógico.
              É demagogia barata…”

              Lendo o que o Otus escreve pelo Quintus sobre a Europa e Portugal, me parece que o Otus gosta mais da Europa como um todo do que do pedaço portugues dela. ;)

              Se ele pudesse escolher, acho que abdicaria da cidadania portuguesa por uma cidadania dos Estados Unidos da Europa.

              É impressionante o gosto que ele fala de alemães e britânicos, deve escorrer a baba pelos cantos da boca quando pensa nestas culturas e em seus feitos históricos. ;)

              Eu nunca havia visto alguém com um sentimento de nacionalidade tão aflorado direcionado ao seu continente, eu sequer tinha ouvido falar disto, no geral, as pessoas tem um sentimento patriótico pelo seu país, agora pelo seu continente, realmente é a primeira vez. :D

              Corujão,

              Não me leve a mal pela brincadeira acima, mas me diga se eu estiver enganado, você realmente acha que pelo fato de os portugueses serem europeus, isto os torna mais próximos culturalmente com os zilhões de nacionalidades européias do que com a CPLP, e principalmente com o Brasil, país com quem Portugal tem mais vinculos culturais e genéticos? Pelo que escreve, é isto que leio nas entrelinhas…

          • Otus scops

            Fred

            o CP já respondeu, a propulsão nuclear não garante superioridade nesse campo.
            os submarinos convencionais até são mais silenciosos e por serem mais pequenos tem menos arrasto e cavitação, podem ser mais eficazes.

            os submarinistas ingleses é que fizeram a diferença toda!!!

            • Ficas avisado, Otus: para o Fred atacar o SNA ‘e mais ou menos o mesmo de defender o AO para ti!
              Veras como ele vai voltar com uma bateria de argumentos pro-SNA… :-)

            • Fred

              Seria até verdade se as Malvinas, ou Falklands imagino que prefira assim, :) ficassem no mediterrâneo ou no Báltico.

              Quem fez a diferença foi um submarino nuclear que utilizou torpedos convencionais para afundar o cruzador.

              como um subconvencional conseguiria chegar nas ” suas Falklands” ? Sem parar em porto algum? Remando? usando velas?

              Vocês dois, Corujão e CP, estão de brincadeira comigo, só pode ser!

              Vou orar para meu senhor nórdico! Odin Odin, valha-me nessa hora tão difícil!
              :) :) :)

              Abraços do fim do mundo!

              • Otus scops

                Fred

                pergunta: o Brasil quer submarinos nucleares para conquistar ilhas e territórios longínquos???
                essa é a segunda grande questão, o nascimento de uma potência invasora (a primeira é sobre a moral desses gastos perante tanta desigualdade social, económica e educacional de tantos cidadãos brasileiros).
                além de mais os novos submarinos convencionais dão meia-volta à Terra, com autonomias de 20.000km…

                Odin, ande andas tu, o Fred está a pedir socorro!!! :D

                • Fred

                  Não, só que manter o que já tem hoje!

                  Você sabia que a ZEE Brasileira é maior que o próprio território brasileiro?

                  E que a utilização dos submarinos nucleares é de negação do uso do mar?

                  Explique como negar o uso do mar em uma área de mais 4 milhões de Km2 ?

                  E sobre a autonomia, o único submarino com essa autonomia é nuclear, nenhum, repito, nenhum submarino sem propulsão nuclear consegue uma autonomia destas submerso!!!!
                  Não importa o que você acha na internet, a conta não fecha!

                  A menos que você viaje com ele na superficie por longos periodos! Fica meio sem função navegar assim, não é?

                  Abraço

                  Fred

                • Otus scops

                  Fred

                  “Você sabia que a ZEE Brasileira é maior que o próprio território brasileiro?”
                  não, não sabia. o Brasil tem 8,5 milhões km2 e a actual ZEE tem “apenas” 3.7 milhões km2.

                  “…a utilização dos submarinos nucleares é de negação do uso do mar?”
                  tal como os outros, os convencionais que tem menores custos de produção, manutenção e complexidade.

                  “Explique como negar o uso do mar em uma área de mais 4 milhões de Km2 ? ”
                  fui do Exército, não estive na Armada, no entanto esse é um problema com que todos se confrontam.
                  nem os Norte-Americanos conseguem fazê-lo.
                  mas a quantidade é determinante, ou seja, mais vale ter 4 submarinos convencionais do que 1 nuclear, isto para protecção. para patrulhar as costas dos outros e transportar misseis nucleares aí sim, um nuclear dá mais jeito. mas para “…manter o que já tem hoje!” não precisa.
                  já agora, como é que sugeres que se faça essa negação do uso do mar???

                  “E sobre a autonomia, o único submarino com essa autonomia é nuclear…”
                  sim, autonomia é imbatível, mas enquanto não inventarem maneira de produzir alimentos nos reactores nucleares ele tem de vir à superfície abastecer-se, ou não???
                  quanto aos submarinos convencionais aqui http://www.areamilitar.net/ANALISE/analise.aspx?NrMateria=15&p=1 e aqui http://www.areamilitar.net/Analise/analise.aspx?NrMateria=42 deve chegar e sobejar para as necessidades defensivas do Brasil, ou não??? a não ser que esta informação seja incorrecta.

                  “Não importa o que você acha na internet, a conta não fecha!”
                  não entendi…

                  outro abração!

                • Otus scops

                  Odin

                  “Portugal e Grécia por serem países militarmente fracos em comparação com a Alemanha, França e Inglaterra, os do norte falam que querem o ouro deles como garantia. ”
                  hoje não é o teu dia, costumas ser tão clarividente, está para aqui uma confusão!!!
                  Portugal e a Grécia são ECONOMICAMENTE mais fracos, essa é que é a questão.
                  depois há aqui um complexo com a humilhação que não me revejo nele. nunca me senti humilhado, não há discursos humilhantes (ontem a Merkel elogiou Portugal), não notícias dos milhares de turistas e residentes alemães e franceses a terem comportamentos arrogantes nem uma única notícia de cidadãos portugueses a serem humilhados em qualquer país pelo facto de o nosso estar nesta situação económico-financeira miserável. pelo contrário, conheço várias pessoas que estão a migrar para o interior da UE (todas com formação) e que a sua condição de português em nada atrapalha ou favorece. a Merkel à meses até disse aos alemães para recrutarem portugueses para trabalharem na Alemanha ( a França não precisa pois já lá estão mais de um milhão à cerca de 50 anos…)
                  não sei de onde foste buscar estas ideias…

                  “Duvido que algum dos jornais dos bifes escarnecesse dos tugas, por maior que fosse a sua dívida. ”
                  quais jornais???
                  se falas daquela notícia do Finantial Times já escrevemos aqui sobre isso, vai lá ler o que disse.
                  e criticar os outros, é humilhar???
                  a melhor imprensa do mundo provavelmente é a inglesa, tem do melhor e do pior.

                  “…eu torço para que não seja a Alemanha o país a começar a 3ª Guerra Mundial,”
                  mas que raio de ideia…
                  a Alemanha é dos países menos interessados em guerras, está como escreveu o CP, nunca ganhou tanto dinheiro. as exportações são colossais. achas que eles são parvos??? eu não.

                  “O que vale é o bem-estar dos bancos, para os poderosos do mundo. As massas, por eles, podem passar fome.”
                  concordo totalmente contigo, mas isso é exclusivo dos banqueiros do norte da Europa??? não. em Portugal, no Brasil, na Cochnichina, são TODOS IGUAIS!!!

                  “Eu gosto muito do Corujão, sou fã dele inclusive,
                  “…mas fico com pena com tamanha ingenuidade da parte dele ao achar que os países são confiáveis para que se invista o mínimo possível em armas. ”
                  obrigado por te compadeceres por mim…. :mrgreen:
                  mas já aqui escrevi várias vezes sobre o assunto, não me apetece repetir, sou um pacifista por utopia, mas realista, sei no mundo onde vivo, incluindo os interesses das indústria de armamento, na instrumentalização das mentes e dos acontecimentos para que a 2ª maior indústria do mundo “crie” necessidade, justifique a sua existência para continuar “de vento em popa”. pensa nisso…

                  “Mas no futuro próximo, vamos precisar de submarinos que realmente tenham o poder que os nuclerares têm.”
                  ora aqui está as pretensões expansionistas do Brasil!!! :twisted:
                  afinal aquela potência tranquila é balela. cuidado, “quanto maior a nau, maior a tormenta”.

                  “Até Portugal precisa de uns dois porta-aviões.”
                  para quê???

                  “O exército português até pode ser substituído pela GNR,”
                  como dizem os brasileiros quando não entendem, “ói”??? ;)

                  “mas uma marinha e uma força aérea impactante”
                  sim, também acho que podíamos melhorar, mas só quando houver dinheiro.

                  “Eu gosto muito do Corujão, sou fã dele inclusive,”
                  vindo de ti, da Excelência de pessoa que és, rebento de vaidade.
                  obrigado!!! :)
                  e sabes que o mesmo nutro por ti, a dobrar!!! ;)

                • Tens que fazer comentarios mais curtos, Otus… Assim fica dificil de rebater com a merecida atencao.
                  De qualquer forma, pasmo que sejas capaz de esquecer cada um dos numerosos insultos que os media e politicos alemaes, ingleses e finlandeses teem derramado sobre nos nos ultimos meses.
                  Nao tenho tempo para googlar em busca desses exemplos, mas aqui mesmo, no Quintus encontras muitos exemplos dessa arrogancia e altivez.

                • Otus scops

                  CP

                  a regra número um para sermos respeitados qual é???

                  não me senti insultado, senti que os políticos que governam o meu país são tratados “abaixo de cão”. isso agrada-me.

                  o que me pasma é não te lembrares das benfeitorias que os europeus “com menos melanina” fizeram e fazem ao nosso país. com isso é que eu fico siderado… :twisted:

                  agora queres censurar-me, já escrevo mal se apelas à minha capacidade de síntese desapareço!
                  bloqueia-me, é mais simples. :D

                  P.S – a remodelação ficou pior, as letras estão enormes e o espaço encolhe imenso. mas o pior de tudo é essa paixão Blackberryana que agora tens, não chegava traíres a herança da língua portuguesa com o (des)AO90, agora nem acentos colocas.

                • Nunca barrei nada teu, como sabes…
                  Quanto aos europeus do norte: as “benfeitorias” dos europeus do norte foram interesseiras, em busca de mercados para os seus produtos e servicos e de uma estrategia de tercializacao da nossa economia.
                  Mas nao sou parvo: eles fizeram o seu trabalho, nos ‘e que alinhamos na danca em troca de subsidios e por “nos” digo os milhoes de abstencionistas inanes e os politicos fracos e corruptos que nos governam e governaram.

                  Gosto do layout, mas concordo que a fonte do titulo e o tamanho do header sao excessivos. Preciso ‘e claramente de mais imagens…

                • Odin

                  CP
                  Às vezes eu também escrevos “livros” (de tão longos que são alguns dos meus comentários) aqui no Quintus. Vou procurar não “escrever pelos cotovelos” mais. :oops:

                • Obrigado! A legilibilidade fica a ganhar e o ritmo de resposta tambem! Nao ha regras fixas, nisto, mas normalmente um texto num ecran de computador nunca deve ultrapassar a propria dimensao do ecran.

              • Odin

                Fred,
                enfim, o Brasil tem que solucionar os problemas sociais sim, mas temos também que ser uma potência militar sim. Temos que ter veículos militares e armas sim. Porque não quero mais ter que ver alguma potência falar ao Brasil o que os chucrutes e os finos falam aos gregos e aos tugas. Portugal e Grécia por serem países militarmente fracos em comparação com a Alemanha, França e Inglaterra, os do norte falam que querem o ouro deles como garantia. Mas duvido que alguém fala assim com os EUA, um país com armas nucleares. Se Portugal tivesse o poder militar igual ao da Inglaterra ou ao da França, duvido que os portugueses estivessem passando tanta humilhação. Duvido que algum dos jornais dos bifes escarnecesse dos tugas, por maior que fosse a sua dívida. O Brasil não pode negligenciar os seus problemas sociais internos, mas não pode negligenciar as suas forças armadas também. Nem as suas polícias. Eu achei que as nações estivessem mais civilizadas, mas me enganei. O que vale é o bem-estar dos bancos, para os poderosos do mundo. As massas, por eles, podem passar fome. E eu torço para que não seja a Alemanha o país a começar a 3ª Guerra Mundial, porque os EUA e a maioria dos países da Europa não fariam tamanha monstruosidade com a Alemanha, exceto a Rússia. Os russos ainda são bárbaros o suficiente para terem coragem de exterminar toda a população alemã com mísseis nucleares. E os chineses também. Eu gosto muito do Corujão, sou fã dele inclusive, mas fico com pena com tamanha ingenuidade da parte dele ao achar que os países são confiáveis para que se invista o mínimo possível em armas. Submarinos nucleares, Fred, eu também acho que não é prioridade, convencionais por hora “quebravam o galho”. Mas no futuro próximo, vamos precisar de submarinos que realmente tenham o poder que os nuclerares têm. E quanto a Portugal, se conseguir se libertar da situação que se encontra, que venha a ser mais prevenido. Portugal não pode se dar ao luxo de não ter uma marinha forte. Até Portugal precisa de uns dois porta-aviões. Já o Brasil, precisa de uns seisà oito. O exército português até pode ser substituído pela GNR, mas uma marinha e uma força aérea impactante, Portugal precisa sim. O Brasil, nem se fala.

  76. Riquepqd

    A Argentina tem um projeto para construir um submarino nuclear, se eles conseguirem construir alguns, a Grã-Bretanha pode dar adeus as Ilhas Falkland, os submarinos nucleares anulariam qualquer vantagem naval britânica, no mar, os submarinos são as armas dos mais fracos, sendo nucleares então, a coisa desanda para o lado britânico, porque a Argentina teria condições de igualdade.

    E estando navalmente em pé de igualdade, a proximidade do arquipélago para a Argentina faria a diferença nos setores aéreo e terrestre, além de que a Grã-Bretanha cortou muitos recursos de suas forças armadas, por causa da crise, recentemente um almirante esbravejou que se a Argentina retomassem a ilha, os britânicos teriam poucas condições de recupera-la.

    • Por muito que eles precisam e queiram construir SNAs, nao tem a economia para sustentar um tal projeto… Eu tambem gostava que Portugal tivesse um porta-avioes, mas simplesmente nao o podemos pagar…

      • Riquepqd

        Li que eles pretender ter o seu subnuc antes que o Brasil tenha o dele.

        São uns invejosos não? ;)

        • ‘E simplesmente impossivel… Nao so nao o podem pagar, como nao têm o trabalho de investigacao suficientemente desenvolvido.
          Se fossem espertos compravam um ou dois sna aos russos e conseguiam o mesmo efeito. Resta saber como o pagariam…

  77. Riquepqd

    CP,

    Voltando ao assunto do post, acho que seria um massacre, a Guiana não tem como se defender sozinha da Venezuela, e Hugo Chavez sabe que se atacar a Guiana, será a senha e a desculpa que os EUA, auxíliados pela Grã-Bretanha esperavam para poder retirá-lo a força do poder.

    Por isso, ele está gastando muito dinheiro do petróleo para equipar as forças armadas de seu país para deixá-las em um ponto em que possam se defender em seu território em condições de igualdade ou próximo disso dos anglo-saxões, criou até uma quarta força armada, a Milícia Bolivariana, formada por civis, com muitas mulheres, que foi criada com a missão de lutar assimetricamente contra um invasor mais forte.

    Quando chegar o ponto de EUA parar e pensar que a Venezuela pode se tornar um novo Vietnã, será a hora de a Venezuela atacar a Guiana, o Chavez está contando os dias, somente ainda não o fez, porque suas FFAA ainda não atingiram o nível operacional mínimo para se defender dos anglo-saxões.

    E pelo que penso, é totalmente contrário aos interesses do Brasil que a OTAN envie tropas para a América do Sul, mesmo que seja apenas para a Venezuela e a Guiana.

    Por isso acredito que o Brasil deve proteger a Guiana, para proteger seus próprios interesses, e enviar mensagens subliminares e até claras ao regime bolivariano da Venezuela, que o Brasil não vao tolerar mais uma guerra por fronteiras na América do Sul, bastam as pendências adormecidas que quase todos os vizinhos sul-americanos tem com o outro, e caso ele não entenda e ataque a Guiana, apoio o Brasil a invadir a Venezuela e tirar o Chavez de lá, se não fizer, a OTAN fará, então é melhor sermos nós.

    E estas mensagens àquele regime, podem ser enviadas com um expressivo aumento de contingente próximo as fronteiras dos três países, sempre com o Brasil tendo maior número nesta região que a Venezuela, e movimentando tropas e realizando exercícios de adestramento sempre que a Venezuela também fizer nesta região.

    Estas mensagens à Venezuela também poderiam ser enviadas de outras formas, como estreitar totalmente com a Guiana os laços:

    Econômicos:
    incentivando empresários da Amazônia a investir lá, e vice-versa.

    Politicos:
    Os laços politicos poderiam ser estreitados mantendo uma agenda anual politica do executivo em conjunto, e fechando acordos bi-laterais, que atualmente são praticamente inexistentes entre os países;

    Culturais:
    Incentivando a exportação de conteúdo artistico brasileiro para a Guiana e vice-versa, o idioma inglês pode ajudar o conteúdo da Guiana a ser aceito aqui, assim como a grande quantidade de lusófonos de ambas as nacionalidades existente na Guiana, principalmente na fronteira, pode ajudar o nosso conteúdo a ser aceito lá, o idioma português ou uma mistura de inglês e português é obrigatório para os guianenses da fronteira, porque ele é o mais usado para os negócios nesta região.

    Acordar com o governo da Guiana a legalização das emissoras de televisão e rádio de ambos os países que transmitem nas fronteiras também é uma boa medida, incentivando que transmitam no território vizinho.

    infra-estrutura:
    Com uma melhor implantação de pontes e estradas entre as fronteiras, assim como a melhoria da já existente.

    Acho que estas medidas seriam muito boas para Brasil e Guiana, assim como daríamos um “se liga” no Hugo Chavez.

    Hoje o Brasil mantem relativamente boas relações com seus vizinhos hispânofonos e até com o francófono, mas a Guiana e o Suriname são praticamente países da Oceania, de tão distantes que são as relações do Brasil com estes países. E isso se reflete até mesmo entre a população, se você perguntar a qualquer um leigo sobre o Equador, ele saberá que é um pais sul-americano, mas sobre a Guiana e o Suriname, é capaz de perguntar se é de comer ou de passar no cabelo.

    E quanto para a Argentina, seria tudo de bom a Grã-Bretanha se envolver em uma guerra com a Venezuela, teria que dividir suas forças que já não são as mesmas de antes, seria a hora perfeita para reaver as Malvinas.

  78. Riquepqd

    Acho que ninguém por aqui se lembrou, mas ontem, dia 7 de setembro, foi comemorada a independência do Brasil.

    • A separacao dos dois Reinos! Parabens, pais-irmao!

    • Otus scops

      tenho saudade do ouro, da borracha, das madeiras, do açúcar, das escravas índias e negras…
      estou de luto. snif, snif. :cry:
      :twisted:

      parabéns “Brásiúuu”, e venham mais 189 anos!!! :)

      “Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal:
      Ainda vai tornar-se um imenso Portugal!”

      • Agostinho dizia que “o Brasil era Portugal ‘a solta”… E defendia uma fusao simples de Portugal na federacao brasileira, coisa extrema que eu alias, nunca defendi assim, tao taxativamente.

  79. Riquepqd

    CP e Otus, me amarro no humor de voces, estilos diferentes, mas igualmente engraçados. ;)

  80. Odin

    Otus Scops
    “Hoje não é o teu dia…”
    >Nesta semana, apesar de Quarta-Feira ter sido feriado nacional, realmente foi uma semana cansativa para mim.
    “…há um complexo de humilhação e eu não me revejo nele…”
    >Mas muitos dos seus compatriotas estão se sentindo muito mal e muito humilhados com a situação. Se calhar, opiniões como a do CP transbordam pela internet, vindas de comentadores conterrâneos teus. Mas ninguém inocenta os vossos governantes pós-25 de Abril também.
    “…e criticar os outros é humilhar?”
    >Veja bem, Otus! Depende do tipo de crítica e das intenções de quem critica.
    Quanto à Alemanha provocar a 3ª Guerra Mundial, é a remota possibilidade de algum chanceler aventureiro futuro, mas é uma possibilidade muito remota. Não acredito que os alemães não tenham aprendido a lição. O que eu quis dizer, é que se houvesse algum anormal extremista escondido entre os políticos alemães, e inventasse de criar problemas, não creio que de uma hipotética próxima vez os líderes russos vão teriam paciência.
    Quanto aos bancos, sim. É mundial. Até no Brasil, na Cochinchina, eles prejudicam a população. Ainda sou a favor do Estado se sobrepor ao mercado.
    Quanto a questão de armas, eu mesmo não quero que o Brasil tome a iniciativa de invadir país nenhum. Mas quero que o Brasil venha a ter o direito de dizer “não” a governos e ao capital estrangeiro, e tenha a garantia que poderá se defender em caso de hostilidade. São situações que podem acontecer, ou não acontecer.

  81. Otus scops

    resposta ao comentário #123211 do Clavis Prophetarum
    (aqui o Profetarum ainda não está na forma (des)AO90 porquê???) :twisted:

    “Nunca barrei nada teu, como sabes…”
    eu sei, estava a brincar.
    e obrigado pela paciência e tempo que me dedicas.

    “Quanto aos europeus do norte: as “benfeitorias” dos europeus do norte foram interesseiras, em busca de mercados para os seus produtos e servicos e de uma estrategia de tercializacao da nossa economia.”
    pensa o seguinte, quem é que tem intenção premeditada de empobrecer um cliente??? só um maluquinho, a seguir fica pobre também pois não tem que lhe compre. tu estás a confundir muitas coisas, a UE e o vazio da URSS, crise monetária, o terramoto financeiro dos neoconservadores americanos com o projecto europeu. há centenas de milhoes (!!!) de europeus que NÃO concordam com o que se está a passar. tu misturas tudo. e não esqueças também que no teu adorado Brasil tem lá tubarões financeiros e empresariais iguaizinhos aos piores europeus, americanos, chineses, etc, o Brasil é igual, não há cá solidariedades ou irmandades. a diferença é POLÍTICA, os brasileiros resolveram mudar de rumo e em boa hora o fizeram, escolheram políticos que subordinaram o poder económico-financeiro à política e não o contrário. esse é o GRANDE exemplo que a democracia brasileira (agentes políticos e o seu povo) estão a dar ao Mundo.
    ainda sobre esta questão, os portugueses também foram interesseiros ao aceitarem entrar na UE, ou pensas que foi por “amizade”??? o mesmo com a CPLP, é por “ami$ad€” também…

    “Mas nao sou parvo: eles fizeram o seu trabalho, nos ‘e que alinhamos na danca em troca de subsidios e por “nos” digo os milhoes de abstencionistas inanes e os politicos fracos e corruptos que nos governam e governaram.”
    ora aí está, disseste tudo. afinal não és parvo não senhor… (eu sempre tive essa opinião) :-)

    “Gosto do layout, mas concordo que a fonte do titulo e o tamanho do header sao excessivos. Preciso ‘e claramente de mais imagens…”
    eu digo o tamanho das caixas de diálogo, estão gigantescas.

    • Okokokok. Ja percebi apesar do nome do template me agradar tanto (quintus) vou mudar a coisa, de novo… Mensagem recebida.
      Quanto ‘a europa: a construcao europeia ‘e algo que nunca devia ter sido feita na base da moeda ou dos fundos, mas da mais pura e desinteressada vontade dos povos. O mundo nao ‘e so economico, ainda que a economia seja a base dos paises e esta europa cometeu esse “erro” quis construir primeiro uma “economia europeia” e so so depois um “nacionalismo europeu”. Inevitavelmente, viu-se enredada numa teia de nacionalismos egoistas onde os “grandes” predominam e procuram afirmar a sua vontade. Por isso estou contra esta europa e busco alem dela, por alternativas, mais paritarias e menos imperialistas.

  82. Na Ásia recente mente uma serie de conflitos que estavam adormecidos com a Guerra Fria voltaram à tona com força total. Conflitos de fronteira sempre devem ser solucionados da maneira mais rápida possível deixá-los pendentes tendem criar possibilidades para conflitos em escala mais serie tanto a Primeira quanto a Segunda Guerra Mundial são resultados desse tipo de conflito.

    • Bem, praticamente todos os paises do mundo têm algum tipo de divergência de fronteiras… a questão é o que fazer com ela e o nivelar de relações que existem entre esses rivais. Por exemplo: guerra entre portugal e espanha por causa de olivença é impossivel, mas entre a china e as filipinas por causa das ilhas do Mar do Sul da China? Já não diria o mesmo…

  83. joaquim

    Penso que ao não confrontarmos os espanhóis castelhanos, olhos nos olhos, reclamando a entrega administrativa de Olivença, estamos a tomar uma posição de inferioridade e estamos aceitando a humilhação que eles nos têm imposto ao longo destes 200 anos e revelamos não ser dignos dum Portugal virtuoso de antanho perante aqueles que não têm dignidade alguma e não respeitam os seus compromissos asssumidos no documento de Viena de Àustria de 1815.
    Tenho vergonha destes políticos portugueses que deixam que o assunto continue como está sem nada fazerem a favor da retrocessão de Olivença a Portugal.

    • A questão não pode, não deve, morrer. Mas deve perspetivar a sua resolução,sendo que a militar está fora de equação. Acredito que esta deve passar pela garantia da presença da lingua portuguesa na cidade e em formas de soberania partilhada. Olivença é nossa, mas não defendo a deportacao pura e simples dos colonos que Espanha derramou sobre o território portugues durante séculos, eles existem e estão lá e têm que ser parte da equação, assim os inalienaveis direitos de soberania portugueses.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa.org

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa - Listas Participativas às freguesias da Estrela (Lapa, Prazeres e Santos-o-Velho) e MaisPenha (Penha de França e São João)

DIRECT e-DEMOCRACY NOMOCRACY & EQUALITY LAWS..! THE RULE OF LAW

Are we going to allow chinese dictators to own the whole planet?

looking beyond borders

Looking at foreign policy differently

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

O Vigia

O blog retrata os meus pensamentos do dia a dia e as minhas paixões, o FLOSS, a política especialmente a dos EUA, casos mal explicados, a fotografia e a cultura Japonesa e leitura, muita leitura sobre tudo um pouco, mas a maior paixão é mesmo divulgação científica, textos antigos e os tais casos ;)

A Educação do meu Umbigo

Gaveta aberta de textos e memórias a pretexto da Educação que vamos tendo. Este blogue discorda ortograficamente. Contacto: guinote@gmail.com

Promocão e difusão da língua portuguesa

Blogvisão

"Qualidade de informação para qualidade de opinião!"

geoeconomia

Just another WordPress.com site

Egídio G. Vaz Raposo

Media Scholar | Communication Consultant

Mudar as coisas...

vivemos no presente, e é nele que devemos mudar. mudarmo-nos é condição necessária para mudar as coisas…

Um Jardim no Deserto

Um minúsculo oásis no imenso deserto físico, mental e espiritual em que se está a transformar Portugal

Extraterrestres ARQUIVO

Seja bem vindo ao Site Extraterrestres Arquivo - Volte Sempre

Muralha Verde SCP

Em prol da defesa e do ataque do Sporting!

Pitacos De Um Torcedor Corinthiano

Louco por ti Corinthians!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 4.651 outros seguidores

%d bloggers like this: