A Rússia tenta seduzir o Brasil a adquirir Sukhoi Su-35 e um Submarino “Project 636″

Rubin, Projecto 636

(Submarino russo “Project 636″: http://www.ckb-rubin.ru)

A Rússia esteve presente em força na Feira de Defesa “Latin America Aero & Defense” (LAAD 2007) apresentando os seus equipamentos na América do Sul e reafirmando o seu interesse em responder ao ressuscitado programa de renovação da Força Aérea Brasileira com os seus caças Sukhoi Su-35.

O Projecto “F-X” foi abandonado pelo governo Lula da Silva em 2004, ficando por resolver a selecção e aquisição de 12 novos caças para a FAB… Mas na época, o Su-35 já tinha vencido a competição e só esse facto, reforçado pelo intenso programa de rearmamento que decorre na Venezuela e no Chile torna a colocar este excelente, mas económico, caça russo de 4ª geração como uma opção muito provável para a FAB…

Além do Su-35, a Rússia espera ainda vender o modelo de submarino convencional “Rubin” (Project 636) ao Brasil, no momento em que correm em certos círculos a certa aquisição de um novo submarino do género, havendo uma verba de 1,4 biliões de dólares disponível para este efeito.

Fonte: Pravda

About these ads
Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | 155 Comentários

Post navigation

155 thoughts on “A Rússia tenta seduzir o Brasil a adquirir Sukhoi Su-35 e um Submarino “Project 636″

  1. A Rússia está novamente a produzir armamento fiável e de grande qualidade. Nós aqui em Portugal, parece que só vamos, por enquanto, adquirir o tal Beriev (é assim o nome?) para combate a incêndios. Eu já o vi em acção é é assustor… larga rios de água…

  2. BEM VINDO AO BLOG DO LEU LEUTRAIX
    sabem quando o brasil terá caças russos? no dia de são nunca pelo menos enquanto o “sapo barbudo” estiver no poder tudo isso de helicópetros russos caças etc é apenas um blá blá blá…se esse ano chegar qualquer caça russo para a fab ou helicópetors eu leu leutraix vou vestir uma saia,lula não está nem pensando em modernizar as FORÇAS ARMADAS.ele está é lançando livro oficial do governo contra os militares tudo para desmoralizar os militares olhem o que estou dizendo se a venezuela resolver tomar o estado de roraima ele não moverá uma palha,se eu sou o preisdente do brasil eu usaria só a metade das reservas internacionais em dollares US$ 80 BILHOES DE DOLLARES e trazia os melhores caças e compraria sem concorrencia os melhores caças do mundo e submarinos para a marinha e tanques para o exército e duvidaria um pais tomar um palmo de terra o brasil está precisando de um estadista como wisnton churchil primeiro ministro da grã bretanha na segunda guerra mundial alí sim.era um estadisda jamais um “sapo barbudo”que só fala em fome zero,política social para os pobres será um estadista,imagine o que ele disse abro aspas aqui “o brasil precisa imitar o vietnã” o que o vietnão fez de tão bom assim? lula é um revanchista faz de tudo para contrariar os USA e as forças armadas.imagine só em vez de ter comprado os “teco teco” franceses mirrage 2000c que apenas muda de letra más é a mesma “bosta” que os anteriore mirrages que tinha e foi desativados.resumo hoje a FORÇA AÉREA BRASILEIRA só tem “teco teco” feitos pela embraer tipo tucano,super tucanos,bandeirantes,e tem um “caça” se é que podemos chamar de caça que tem até um nome de índio é o xavante nossa…que atraso tecnológico,xavante…até o nome é atrasado um f-5 que o brasil possui nos USA. é brinquedo de criança imagine falando desse caça F-5 JÁ obsoleto e ainda tiveram corágem de comprar mais 9 desses “teco teco” da arábia saudida.jamais esse governo lula comprará caças modernos russos para a fab e se comprar esse ano eu retiro essa matéria do ar.e ainda faço uma mea-culpa e me retrato publicamente e pago uma página inteira na primeira página do jornal o globo.voltando ao tema. a marinha do brasil tem 24 “caças” antigos obsoletos que acho que só voa nos desfiles de sete de setembro.também não passa de meros “teco teco” A MARINHA SÓ TEM APENAS 5 submarinos do tempo do ”roconcó,arco da velha,do tempo que a roda era quadrada,a venezuela planeja comprar 9 submarinos russos.só para se ter um idéia os caças isso sim chamo de caça os sukoi russos eles têm o peder de sair de caracas e vim bombardear o palácio do planalto e voltar ilesos para caracas de volta,imagine só um mirrage voando atrás dum caças desses,seria comparar um pardal correr atrás de uma falcão.os caças venezuelanos t~em poder de fogo sim senhor, que dá de 100 a zero em qualquer mirrage 2000/c e a marinha nossa bastaria apenas alguns submarinos venezuelano para por ela a pique.sabe quando sairá um submarino nuclear com essa frase”made in brazil”? nunca pelo menos no governo esquerdista de lula da silva.por leu leutraix me aguardem,breve voltarei vou ter de fazer uma viágem.por leu leutraix meu veneno contra esse governo lula só está no começo.lembre-se mais uma vez a FAB só tem teco teco leu leutraix
    http://www.leuleutraix.blogspot.com

  3. A vantagem militar da Venezuela será considerável se todas estas compras se concretizarem e se os venezuelanos as conseguirem mesmo operar em níveis de eficiência suficientes (o que não é adquirido). Assim se explica uma certa corrida ao armamento registada na América do Sul depois destas declarações…
    O fundamental para o Brasil, é que seja lá o que fôr o F-X este incorpore tecnologia, fabricação, montagem e transferência de Know How para o Brasil. Nestes parâmetros a proposta da Sukhoi parece a melhor. Espero que no momento final da decisão, este seja o critério fundamental.
    Quanto às compras dos F-5 e dos 2000, parecem-me boas soluções de transição (desde que o sejam apenas), especialmente no segundo caso, e até no primeiro, tendo em conta a experiência e qualidade que os pilotos brasileiros demonstraram na última Crusex.

  4. Sem saida, todos estão loucos, hoje não precisamos de caças SU-25/27/34/37, Rafael, F-22 ou qualquer uma destas “M”, mesmo porque, se compramos hoje iríamos receber o primeiro só daqui a 6 ou 10 anos, melhor então contatar a USAF e USNAVY para cuidar da segurança do BR, enquanto ficamos brincando de guerrinha azul X vermelho com as velharias que temos.

  5. São os 6 a 10 onde o governo Lula esteve a dormir no FX-1… O que signficam as suas palavras? Que o Brasil devia optar por um aparelho já plenamente desenvolvido (pronto), como o Gripen ou um modelo “antigo” do F-16, porque teriam prazos de entrega mais curtos? Tipo solução de transição? De novo? Depois dos Mirage 2000? Não seria gastar/desperdiçar mais dinheiro em aviões em fim de vida útil?

  6. Alvaro lima

    Rússos estão negociando em reuniões em Brasília a proposta para o Brasil entrar como consorciado no projeto PAK-FA que terá sua produção de série em torno de 2018, e a curto prazo ofereceram o su-35 com transferência de tecnologia muito superior aos demais concorrentes, com fabríca de peças no Brasil!!! SAIU NA ASAS EM NOTÍCIAS, espero que se confirme essas negociações gostaria que a FAB tivesse 36 su-35 e 72 PAK-FA, num total de 108 aeronaves su-35 para o AMX E O PAK-FA para os F-5 em suas respectivas sedes!!!! e vamos sonhar !!!!!

  7. Bem esses rumores começam a ser cada vez mais persistentes… Su-35 como “caça de transição”? Sim, nada mais… E a fabricação de peças no Brasil resolveria as minhas hesitações quanto à tradição russa de mau suporte pós-venda… E os motores? Onde seriam fabricados? Aí é que reside o verdadeiro busilis da questão…
    A Asas em Notícias tem site? Parece que não…

  8. Anónimo

    Graxaim (02:07:33) :

    Caro Clavis Prophetarum
    Terás a notícia que esperas, não em 2008, mas no fim de 2010 ou início de 2011. Todos, sem entrar em detalhes, vão mudar de opinião. Até mesmo os brasileiros que subestimam e negam o que o Brasil já possui. É puro desconhecimento da realidade. Quando a notícia vier a público, vou me mij…, digo, vou morrer de rir dessas opiniões e afirmações. É evidente que Brasil não vai fazer um avião igual ao dos russos. Vai ser muito superior. Podem responder da forma que quizerem, mas em dois anos e meio, no máximo, vão ter que engulir isso tudo. Em basileiros termos… ´Vão quebrar a cara!´ .
    Um fraterno abraço aos homens mal informados e de pouca fé, do
    Carlos

    15

    12

    2007
    Thomas (19:55:06) :

    òia o Graxaim!!!! Caramba mano fiquei curioso!! de onde tu ta tirando essas afirmações??? Os Portugas tão pesquisando sobre esse assunto e os Brasucas tbem..mas no momento os mais informados sobre essa área nos dão conta que existe uma enorme dificuldade logistica na questão de tecnologia( software ) e motores( turbinas ) Será mesmo?? Conversei sobre isso com alguns Engenheiros da UNB Universidade de Brasilia que tbem possuem alguns contatos no ITA..eles falaram que o Brasil conseguiu alguns avanços em contato com a China(Embraer)…e na OGMA…Não especificamente da OGMA…Mas é por que lá se realiza a manutenção de aviões Europeus e até Estadunidenses…(parte da OGMA é da Embraer)..onde trabalham brasileiros especialistas em avionica…. Será que nossos Brasucas conseguiram assimilar algo nisso aew?? e os Russos em Alcantara?? hehe!!!…De qualquer forma quero sorrir com voce tbem!!! Tomara que SIM…

  9. E era este “Além do Su-35, a Rússia espera ainda vender o modelo de submarino convencional “Rubin” (Project 636) ao Brasil, no momento em que correm em certos círculos a certa aquisição de um novo submarino do género, havendo uma verba de 1,4 biliões de dólares disponível para este efeito.” que eu acho que o Brasil devia comprar… Não desenvolver solitariamente um e “partir pedra” totalmente de raíz…

  10. Estou com o lula nada de comprar estes aviões, o Brasil tem tecnologia para fabricar vários 14 Bis,, aquele mesmo que Santos Dumont deixou os parasienses abismados,isto sim que é AVIÃO para o tal de busch, bem trãnquilo poder nos arrancar do mapa a tal de Amazonia sem sequer se preocupar com quaisquer reação que o BRASIL possa reagir, somos um paiz atrazado e graças ao tal de lula, seremos sempre um paiz de analfabetos, doentes e tudo o que sabemos de cór. para infelicidade nossa continuaremos na farça de sermos a oitava riquesa do mundo e o povo mais miseravel, TAMBEM.

  11. O sukhoi 35 é avião, o resto é resto e como sucatas somos o campeão, pois a Fab que o diga e a nossa barinha temos5 submarinos. é só não faze-lo submergir que dara tudo certo e o nosso exercito como vão das pernas

  12. quem não conhece o Sukhoi 35 consulte a internete que verão a minha resposta lá esta com todas as letras o que é ele e depois de estarem a par compare-os com quaisqueroutro aviões.

  13. Angelo: Estou a ver que não se conta entre os admiradores de Lula… ;-)
    A FAB – em termos puros de inventário – está a tornar-se de facto uma FA obsoleta, é evidente. Os A-10 que equipam o ex-Foch são aliás o mais cabal exemplo disso… Mas agora parece haver finalmente recursos e vontade para a modernizar… E quer os Su.35, quer os Rafale poderiam cumprir bem essa missão de actualizar a FAB e a MB… E a decisão está com Lula… Eu não ficaria já frustado com Lula. Espere pela sua escolha (e cedência às pressões) por um F-16 ou F-18… Então aí sim, terá razões de sobra para ficar danado… Acredite!

  14. Ricardo Teixeira

    Bixo me diga um país que ultilize o SU-35, e que comprovou realmente que ele e um otimo avião……………………….
    sem mais comentarios.

  15. Ricardo Teixeira

    Não sei se voces conhecem realmente os atuais aviões de caças, ou estão sendo enganados pela midia e industrias falidas, que tentam seduzir pelos numeros.

    Su-30Mk e um otimo caça, tirando que para substituir um parafuzo do motor tenha que se desmontar o avião todo, e a cada vôo é necessario se fazer uma revisão, ou seja, para cada 2 horas voadas o caça fica 3 dias parado, pois as revisões exigem um desmonte total do caça.

    Existem muitos caças atualmente, mas todos possuem graves problemas, essa decada foi marcada por fortes crizes no setor militar e isso influenciou diretamente os produtos produzidos. Todos os caças participantes do fx2 possuem problemas. Seja de custo, de operacionalidade, de manutençao, de confiabilidade ou de transferencia de tecnologia, é hora de se pensar adiante
    pensar diferente, procurar uma aeronave que permita ao brasil um melhor aproveitamento do espaço.
    Um novo caça para fab teria de ser pensado desta forma.

    - Caça multi emprego de facil manutençao
    - Preço comparavel com a qualdidade do produto
    - Potencial de fabricaçao em larga escala em territorio nacional
    - Transferencia total de tecnologia
    - Ampla gama de armamentos.
    - Capacidade de voar em pistas curtas, terrenos acidentados e de facil tranporte.
    - Que se mantenha em Produçao ate 2035.

    Eu sei que esses requisitos sao dificeis de ser conseguidosem sua totalidade, mas está na hora do Brasil desenvolver mesmo que em parceria com Russia, EUA, UE ou Japao um novo caça que atenda a maioria, se nao todas as necessidades acima apresentadas.
    Estou confiante de que o Pak-Fa podera ser um possivel futuro caça para a Fab, so espero que as chances que estao aparecendo como o novo caça stealth japones ou o Pak-Fa Russo sejam furtivas, e que de alguma forma aproveitadas pelo Brasil.

  16. Ricardo: Essa opção é sem dúvida a melhor a longo/médio prazo. Mas não implicaria esperar mais 10-15 anos por um caça que ainda não existe? De permeio, o que se usava? Confiavam nos Mirage2000 par cumprir essas missões?… É possível… mas não deixaria o Brasil nesse interregno demasiado “outdated” frente aos seus vizinhos?
    Num mundo ideal, o brasil deveria ter rafale-Su-30 enquanto não chegassem os novos PAK-FA, mas ainda não vi traços de que essa solução de transição fosse a opção de eleição do governo Lula, bem pelo contrário…

  17. Ricardo Teixeira

    Fui da fab, ta certo que no meu tempo o F-5, mirrage 3 e os xavantes eram nossos caças, más, quando que eles foram ultilizados em batalha, te digo apenas 1 vez, quando um bombardeiro ingles na gerra das malvinas invadiu o territorio nacional e foi abordado por um f-5. Hoje temos Amx e F-5, (modernizados), se necessarios entao, firma-se uma parceria, por exemplo,
    vamos comprar a idéia e investir no pak-fa, desta forma compramos 36 su-35, e depois mais 100 pak-fa, A eu acho que o gripen N e melhor, então compra 36 gripen c/d e depois 100 gripen N. Eu prefiro o caça americano, se existir a possibilidade, então compra 36 f-18 e depois 100 F-22.

    Más não podemos apenas pensar que 36 caças resolveram o problema, pelo simples motivo, de termos 100 caças aguardando por um substituto nos proximos 20 anos, e para que no futuro, não presisemos desembolsar valores exorbitantes, sem sua devida tecnologia, como esta sendo agora então esta e a hora de investir em costruçao, não mais em negociaçao.

  18. Ricardo Teixeira

    A-10 que equipam o ex-Foch são aliás o mais cabal exemplo disso.
    Esses a 10 que voçe se refere voaram menos horas que os seus f-16.
    Foram comprados com menos de 5000 horas, e basicamente premitiram a Mb que treinasse seus pilotos para pousos e decolagens em porta avioes oque não acontecia no A-11, so espero que em um futuro proximo estes A-10 e o proprio A-12 sejam subtituidos por novos equipamentos.

  19. Fabio

    Ola todos.Eu vi um video de demontraçao aeria de um Su-35 (youtube) em q as manobras efetuadas vao de +6 gs a -2gs coisas q se um piloto de Mirage temtar acompanhar ira destruir seu aviao. Sem falar de q na minha opiniao o su-35 e um caça que se compara a o F-15 americano.Voltando ao video do youtube o aviao no video possui camuflagem de deserto e no final da um close no piloto dentro da aeronave e é bem visivel a bandeira brasileira pintada na fuselagem. bom ate eu ver o video nao sabia q a FAB possuia Flankers,e continuo na duvida se possui.
    Olhem no youtube “su-35″ .
    Mas acho q o brasil deve investir (claro com moderaçao pois vai gastar 1.4 bilhoes de dolares com aviao sendo q metade da populaçao passa fome “Cole ne”) entao gente nao exiga muinto da FAB nao q e ate sacanagem gastar trilhoes em armamento sendo q tbm e o piloto q vençe a batalha e nao so o aviao. Flw e q venham os Su-35 pra nos aterrorizar em quem meter um dedo no q e nosso

  20. BlackBird

    Caro fabio, o SU-35 que vc viu no youtube com a bandeira do Brasil (pequenina na fuselagem) é uma versão de demonstração da sukhoi e a bandeira brasileira estava la e juntament com a bandeira de outros paises pois o SU-35 estava participando de concorrencias nesses paises….não existe sukhoi nenhum na FAB e provavelmente nao vira, acredito que a França ja virou o jogo só não sei se o rafale é um caça capaz de enfrentar o SU.

  21. VINICIUS RIBEIRO

    ACREDITO QUE A ENTRADA DO BRASIL NO PAK FA SEJA A MELHOR OPÇÃO. DEIXO DE LADO A CONCORRENCIA POIS ESSA SO COMPROVARIA A SUPERIOIDADE RUSSA.SEI QUE MUITOS TEMEM A FALTA DE ESTABILIDADE POLITICA RUSSA,MAS LEMBREM SE TRATA SE DE TRANSFERENCIA DE TECNOLOGIA E NAO DE COMPRA DIRETA, PODEREMOS NO FUTURO CONSTRUIR NOSSOS PROPRIOS SU 35 DESCENDENTES E TALVEZ PENSARMOS EM EXPORTAÇÃO. PENSEM NO CHILE(F16) CHAVES ,DIGO VENEZULA(SU30)PERU(MIG29 R73-R77) ISSO SO NA AMERICA DO SUL ,FICAREMOS P/ TRAS.DEIXAREMOS NOSSOS VIZINHOS NOS VENCEREM? ESTA PROVADO QUE OS SU 35 ARMADOS COM R73- 77 SÃO SUPERIORES A QUALQUER CAÇA OPERACIONAL .PARA QUE TEMOS O MAIOR E MAIS EFICIENTE SISTEMA DE MONITORAMENTO AEREO(SIVAM-SIPAM)MESMO QUE AINDA OPERADOS POR TERCEIROS SE NÃO TEMOS UM VETOR CAPAZ DE INTERCEPTA-LOS .SUPER TUCANO ;MIRAGE 2000;A1 AMX HA!HA!HA! HA! HA! MODENIZAÇÃO JA,

  22. Thomas

    Creio que seja qual for o caça que o Brasil comprar (Sukhoi,Rafale..etc)…eles servirão como base para a produção de um caça nacional, para isso que serve a transferência tecnológica, pois, a capacidade de nossas indústrias produzirem ou reformarem aqui as plantas industriais protegidas por direitos internacionais de patentes e marcas desses equipamentos nos auxiliarão em nossos projetos próprios.
    A Ogma que possui status de oficina autorizada de grandes fabricantes mundiais de caças e equipamentos, deram boa base a Embraer para modernizarem os obsoletos F-5, lhes dando uma sobrevida importantíssima.
    Enquanto Russos e Franceses ponderam sobre transferência tecnológica de seus caças de 4º geração, eles já trabalham a muito tempo em seus projetos de 5º geração, ou seja, uma transferência desse porte vai servir como atalho para o Brasil alcançar suas próprias plantas industriais e desenvolvê-las, tendo como base projetos e experimentos da embraer na aviação civil e também na aviação militar, em projetos que já estão sendo desenvolvidos na moderização dos AMX e F-5 e manutenção dos F-16, F-18 entre outros(Ogma).
    A produção de equipamentos militares do exterior, no Brasil, em conjunto com empresas nacionais servirá para isso….Como é o caso dos submarinos nucleare em que o Brasil já tem praticamente tudo pronto só restando a parte eletrônica( fina) do equipamento…..pois, foram as partes que mais evoluiram ( softwares.

  23. Ricardo Teixeira

    e bem verdade que os f-5 modernizados deram uma sobre vida à fab, mas ainda e urgente a compra de no minimo 84 aeronaves para os proximos 10 anos. E eu acredito muito nos franceses e no rafale, não estou defendendo o caça muito pelo contrario acho que ele tem muitos defeitos, que foram vivenciados em testes não so na frança como em exposiçoes e testes pelo mundo, más e bem verdade que o rafale vai evoluir muito, por se tratar de um caça que servirá a frança por muitos anos, e com certeza, os problemas apresentados no progeto F1 e F2 será consertado em verçoes F3 F4 …………………………………..
    E o brasil por ser o 1 comprador do produto vai ganhar muito em termos de tecnologia pois os franceses estao loucos para vender o rafale e faram de tudo pra que isto se concretize

  24. Ed

    Com certeza a melhor opçao para a fab seria os su-30mk,35-1 a curto prazo, por mais que os 30mk apresentem dificuldades de manutençao e um preço elevado para voo, os 35 já sofreram boas melhorias, inclusive uma manutençao mais facil, e menos demorada.
    O PAK-FA tem tudo para ser o proximo grande caça da FAB, mas e bem verdade que precisamos urgentes de 24,36 caças, que seriam eles SUs para bater de frente com os 24 30MK venezuelanos e os 10 f-16 block 60 chilenos.

    Ai em daqui a 10-15 anos quando o pak-fa estiver 100% em operacionalidade substituir estes 56 f-5M.

  25. Ed

    Já no que diz respeito aos sub, se eu fosse o presidente ^^
    continuaria com esta linha alemã de subs, pelo simples fato de o brasil, isso comprovado em exercicio pelo mundo, ter conseguido penetrar na defeza da USNAVY e ter destruido 2 porta avioes em simulaçao, por exemplo, oque causou um espanto muito grande por parte dos USA inclusive.
    E com este ILK-214 somado aos 4 ILK-209/1400 E O ILK-209/1500
    Friam frente a qualquer país não so da america latina como de grande parte do mundo.

  26. Ed

    INFORMAÇOES DA MARINHA, DEPOIMENTO DO COMANDANTE DA MARINHA
    INVESTIMENTO PARA OS PROXIMOS 8 ANOS

    No grupo 1, estão previstas a modernização e construção de submarinos e a aquisição de torpedos.

    Este ano já foi iniciada a modernização dos cinco submarinos convencionais no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ). O programa será desenvolvido ao longo dos próximos onze anos a um custo total de R$ 812,7 milhões.

    Em em seis anos, a partir do ano que vem e a um custo total de R$ 1,559,7 milhões, será construído mais um submarino convencional. Cerca de R$ 100 milhões serão destinados à compra de torpedos. serão construídos 12 Navios-Patrulha de 500 toneladas (foto acima). O custo estimado por unidade é de R$ 80 milhões, um investimento que chegará aos R$ 960 milhões pelos próximos oito anos e meio. Navios-Patrulha de mil toneladas (imagem ao lado) serão construídos cinco até 2013 (R$ 104,5 milhões cada ou R$ 530,7 milhões no total. Os Navios-Patrulha integram o Grupo 2 das prioridades da Marinha.

    No Grupo 3, estão previstas a aquisição de quatro helicópteros de multi-emprego, nos próximos três anos e meio. Cada um vai custar cerca de R$ 87,5 milhões ou R$ 350 milhões no total. A Marinha quer ainda a modernização de seis helicópteros de ataque em oito anos, a um custo total de R$ 34,7 milhões.

    Atualmente, a força conta com 12 helicópteros de ataque e sete de multi-emprego.

    No Grupo 4, estão os Navios Escoltas. Hoje, a Marinha tem 14 unidades. Serão modernizadas as três fragatas classe “Greenhalgh” por R$ 69 milhões (R$ 23 milhões cada); construídos três por R$ 690 milhões cada (R$ 2,070 milhões em três anos); e modernizadas quatro corvetas classe “Inhaúma”, com custo unitário de R$ 13,8 milhões, perfazendo um total de R$ 55,2 milhões.

    Os Navios-Patrulha Fluviais integram o Grupo 5 das prioridades da Marinha. Além das cinco unidades, a força quer a construção de outros quatro, de 100 toneladas, ao custo unitário de R$ 18,5 milhões. Serão investidos R$ 74 milhões em cinco anos.

  27. Ok… Parece que a aposta vai mais no sentido da modernização de meios, do que pela construção de novas unidades… com a regra de manter ou descer ligeiramente o nº de actual de 14 unidades de superficíe… e onde entra aqui o São Paulo? Não é de estranhar a sua omissão nesta lista? Será abatido? Já que continuar se ser severamente actualizado, parece impossível (por causa dos Rafale navalizados)

  28. Ed

    E eu me questionei sobre a presença ou não do NAE más em caso de batalha voce colocaria um NAE com 12 A-10 em alto mar???? quer dizer quais seriam as vantagens.

    “com a regra de manter ou descer ligeiramente o nº de actual de 14 unidades de superficíe”
    Para tirar maiores rumores vamos colocar em numeros

    MEIOS QUE SERAM OU FORAM MODERNIZADOS
    6 fragatas niteroi TYPE 21
    3 fragatas grreenhalgh TYPE 22
    4 corvetas IAHUMA

    MEIOS QUE SERAM ADQUERIDOS
    3 fragatas (não se sabe qual)
    1 corveta barroso que entrara em serviço apos 15 anos de contruçao

    MEIOS QUE SERIAM APOSENTADOS
    1 contratorpedo pará

    MEIO QUE NÃO FOI MENSIONADO
    NAE sao paulo A-12

    TOTAL = 18 unidades, contra 14 atuais

  29. Ed

    15 atuais.

  30. Bem… O SP poderia dar algum apoio em ataques a alvos marítimos… mas precisaria sempre de um denso apoio aéreo de costa… Por isso, é de um uso limitado enquanto não tiver (terá???) meios aéreos embarcados modernos, assim como bons mísseis AA de curto alcance…

  31. Ed

    de qualquer forma, seria um prejuizo ultiliza-lo em combate

  32. um risco… e um grande dano moral se fosse afundado.

  33. vejam bem sera que realmente precisamos comprar caças de outros paises e de tranferencia de tecnelogia lembram da engesa o osorio era disparadamente o melhor tanque da epoca totalmente brasileiro e a embraer tem hoje os melhores jatos comerciais do mundo e o inpe o ita nossos satelites sao muitos bons e a centrifuga de enriquecimento de uraneo que a onu e outros paises queriam ver como funcionava usando pretesto e presionandoo brasil dizendo que estavamos fazendo as escondidas lembrem disso foi na epoca em os EUA atacou o iraque e nosso ministro de minas e energia disse que o brasil e um pais pacifico e que não iria permitir que descobrisem nossa tecnelogia de enriquecimento de uraneo sabem porque segundo comentarios da imprensa nosso sistema era avançado e de custo baixo olhe gente temos que produzir nosso proprio caça temos bons engenheiro e cientistas basta nosso governo segurar eles em nosso pais e dar valor e incentivo temos total capacidade de fazer caças melhores su 35 F-22 e so querer.

  34. gaitero

    Isso começa do 0, e gasta 50 bilhoes de dolares. Claaaaaro cara você ta certo, oque são 50 Bilhoes né……

    Melhor comprar su-35, Rafale oque for, do que se arrisca a produzir um caça nacional e acabar como a engesa.

    lembrando que o Osorio era o melhor porque usava os melhores equimapementos de cada tanque da atualidade, ou seja era um mix de todos os tanques, e por isso que não vendeu. Imagine como seria a venda de peças para reposição??????

  35. Brasileiro

    Na moral, estão falando em tecnologia de aviões e custos etc mas o “x” da questão é outro, na minha opinão.A defesa da soberania do país.Se quisermos intimidar qualquer ameaça(eventual ou não) estrangeira,não serão aviões e suas qualidades ou (falta de) que resolverão tal questão.Temos que desenvolver nossa tecnologia nuclear e colocá-la em prática com o desenvolvimento da bomba atômica e submarino nuclear.Sem isso, é irrelevante qualquer discussão sobre quais aviões o governo deve adquirir para defesa de fronteira ou qualquer outra ameaça hostil. Isso sim intimidaria qualquer nação e sua eventual (e talvez provável) invasão ao nosso solo.Só pararem pra pensar, os EUA e seus aliados jamais invadiram um país que possuíam tecnologia nuclear.(Estou pra ver invadirem o Irã e a Coréia do Norte).Abraços.

  36. cravo

    >robson

    >temos total capacidade de fazer caças melhores su 35 F-22 e so querer.

    estou contigo, vamos fumar disso juntos

  37. Brasileiro: Não creio que os EUA queiram invadir alguém nos próximos anos… O seu poder militar está já em ocaso e durante muito tempo terão o médio oriente e o pacífico como prioridades. A Defesa do Brasil não deve contudo esmorecer, tendo que manter-se como pelo menos equivalente a dois dos seus maiores vizinhos juntos (Argentina e Venezuela) e criando uma capacidade de projecção de forças (PA e navios de superfície oceânicos) capaz de o tornar num agente na cena política internacional. Ora estes requisitos podem ser cumpridos, sem o nuclear, de uma forma economicamente muito mais eficiente…Ou se o Brasil tem um SNA ou 10 submarinos Amur… Ou uma bomba, ou 80-120 Su-35… O que será mais eficiente?

    Cravo: Bem, nem tudo é sonho! Se o Brasil conseguir que a França lhe ceda a tecnologia do Rafale, somando com o know.how local detido pela Avibras e Embraer, pode sonhar com um caça de 4,5 geração local, pelo menos. Se o Japão e a China têm tais projectos, a longo prazo, porque não os pode ter tb o Brasil?

  38. Brasileiro

    Clavis eu não quis dizer que eles têm reais pretensões de invadir aqui.Disse que,como já andaram mexendo onde não deviam, nada mais prudente defender-se de eventuais tentativas no futuro.Eu não acredito em americanos e ainda não engoli aquela história de armas de destruição em massa no Iraque.Somente um trouxa acreditou nessa intenção,porque pra mim,sempre quiseram mesmo é o petróleo que tem lá.Aqui temos riquezas naturais e os recursos do mundo estão cada vez mais escassos.Acho que o planeta não dura mais 100 anos mas pelo que tenho lido,não vai durar nem 50.Temos população,se guerra fosse vencida ainda por infantaria,eles não teriam chance,mas a história é diferente.Na minha opinão,somente armas nucleares seriam capazes de defender a nossa soberania dos americanos. No mínimo,pensariam mil vezes antes de tentarem algo.

  39. Brasileiro: Sim, o petróleo esteve desde o principio nos seus objectivos. Aliás, havia documentos anteriores à invasão que já davam como certo o Pico petrolífero e a necessidade de controlar o Médio Oriente, via Iraque. Concordo.
    E as guerras do Futuro, serão cada vez mais guerras por recursos e menos por ideologias, é certo. Mas não vejo os EUA nem com meios, nem com vontade para intervir na América do Sul. Os seus objectivos de longo prazo são o Médio Oriente (petróleo) e Pacífico (contenção da China). E não têm meios (estando em decadência) para abrir novas frentes…

  40. Brasileiro

    Clavis você conhece um livro recente chamado Blackwater? Neste livro dá pra se ter uma idéia do que os americanos andam fazendo na falta de “mão-de-obra” local. Engraçado, eles querem vistoriar constantemente o que fazemos aqui com nossa tecnologia mas nós nunca tivemos acesso a o que eles fazem por lá. Suspeito, não acha? Isso na minha opinião é querer ter controle. O que vai acontecer nos próximos anos vai depender de quem vai sentar na cadeira de presidente da República, se for o tal republicano, o mundo vai continuar vendo banho de sangue na tv. Prepare a pipoca meu caro.

  41. cravo

    >Cravo: Bem, nem tudo é sonho! Se o Brasil conseguir que a França lhe ceda a tecnologia do Rafale, somando com o know.how local detido pela Avibras e Embraer, pode sonhar com um caça de 4,5 geração local, pelo menos. Se o Japão e a China têm tais projectos, a longo prazo, porque não os pode ter tb o Brasil?

    Eu comentei apenas a idéia que o Brasil pode construir algo superior a um F-22. Isso é tão absurdo e ridículo que nem há palavras para o quantificar.
    Mas pegando nessa ultima hipótese, a de construir algo baseado na tecnologia do Rafale: Nestas coisas não basta ter tecnologia, é preciso décadas de experiência, infraestrusturas caríssimas, e o custo do desenvolvimento é tão grande que só se torna vantajoso quando se pretende produzir algo num número mínimo de 500 unidades ou mais. O Japão e a China têm muito mais poderio financeiro, tecnológico e industrial, e ainda assim falta-lhes o know-how e as décadas de experiência e as infrestruturas que os EUA e a Russia herdaram de décadas de guerra fria. O melhor que podem fazer são cópias de algo que foi o último grito no país de origem 20 anos antes. Olhem para o caso do Japão, com o Mitsubishi F-2. A maior parte da tecnologia foi cedida pelos EUA, baseada no F-16, e quase metade do desenvolvimento foi feito à custa da Lockheed, GE e outras empresas americanas. O resultado foi algo que entrou em serviço no ano 2000, na época ficou aquem de um F-15 com 20 anos, é muito mais caro, quase tanto como o F-22 devido ao pequeno número de aparelhos produzidos e cuja produção foi interrompida devido à baixa relação eficiência/custo. Inclusivé é inferior em quase tudo às últimas versões do F-16. E o Japão é um dos países tecnologicamente mais avançados do mundo, mas isso não chega. Um aparelho brasileiro derivado do Rafale entraria em serviço daqui a 15 anos ao dobro do preço do rafale, seria apenas marginalmente melhor que um rafale actual e inferior às versões do próprio Rafale que existirão daqui a 15 anos. E tudo isto depois de gastar rios de dinheiro, mais do que o suficiente para equipar toda a força aérea até ao fim da era dos caças tripulados. E mais, como teria uma relação eficiencia/custo tão baixa, nunca seria exportado. Seria apenas mais um Mitsubishi F-2 e mais um monumento à aptidão da humanidade para repetir os mesmos erros vezes sem conta.
    Quanto à questão de o Japão e a China terem projectos de 5ª geração, como já disse uma vez, ser de 4ª ou 5ª geração é apenas uma maneira de agrupar os conceitos do ponto de vista histórico e não tem nada a ver com a capacidade. Um aparelho de quinta geração pode ser inferior a um de quarta geração. Ainda que a China e o Japão sejam bem sucedidos nesses programas, demorarão décadas para os completar, gastarão rios de dinheiro e o resultado será algo muito inferior ao melhor dos que EUA ou a Russia faziam duas décadas antes.
    E desenganem-se se acreditam que o Rafale é algo próximo do F-22. É apenas carne para canhão, como são todos os outros e como o serão ainda daqui a 20 ou 30 anos. Os únicos com capacidade para fazer algo ao nível do F-22 são os russos, mas não o farão por uma questão de custos. O pak-fa pretende ser construido em grandes quantidades e não há requisitos para igualar o desempenho do F-22, os requisitos apenas exigem que supere o F-35. Assim sendo, é certo que daqui a 30 anos o F-22 ainda será inigualado e muito provavelmente nunca o será até ser retirado porque os caças tripulados têm os dias contados.

  42. Brasileiro

    Sobre o que o cravo disse vou apenas dizer o seguinte: “Nada se cria, tudo se transforma”(Lavoisier). A espionagem foi a principal responsável pelo desenvolvimento tecnológico da União Soviética e dos EUA. Que o digam a CIA e a KGB. Partindo desse prinícpio, é possível admitir uma evolução das tecnologias que já possuímos. Mas isso se consegue com investimento em pesquisa e é exatamente isso que cobro de todos os nossos governos, passados e recentes. Educação é a chave da coisa mas temos sim potencial pra aprimorar o que já “criamos”, ou adquirimos dos outros.

  43. cravo

    Brasileiro, copiar a criação dos outros, tal como copiar frases de Lavoisier não põe ninguém na dianteira de coisa nenhuma, apenas alguns passos atrás. Para se tomar a dianteira é preciso inovar, mas inovar na área certa, não numa área defunta a médio prazo e onde se parte com décadas de atraso. Com um décimo do que se gastaria em algo tão disparatado pode-se investir na investigação em áreas com muito mais futuro e rentabilidade, como sejam as energias renováveis, a agricultura, a medicina, etc, e não a brincar à corrida aos armamentos.

  44. Brasileiro:

    ” Clavis você conhece um livro recente chamado Blackwater? Neste livro dá pra se ”
    -> O livro não, mas já escrevi sobre a empresa:
    http://movv.org/2007/10/06/da-fragmentacao-eminente-do-iraque/

    “ter uma idéia do que os americanos andam fazendo na falta de “mão-de-obra” local. Engraçado, eles querem vistoriar constantemente o que fazemos aqui com nossa tecnologia mas nós nunca tivemos acesso a o que eles fazem por lá. Suspeito, não acha? Isso na minha opinião é querer ter controle. O que vai acontecer nos ”
    -> O problema é que o Brasil depende demasiado de tecnologia aeronautica (é a este que te referes, penso) made in USA. Devia ter diversificado as suas fontes, por exemplo, com parcerias com europeus e russos… Se o Super Tucano não dependesse tanto de tecnologia americana, como poderiam eles ter travado a venda à Venezuela destes aparelhos?

    “próximos anos vai depender de quem vai sentar na cadeira de presidente da República, se for o tal republicano, o mundo vai continuar vendo banho de sangue na tv. Prepare a pipoca meu caro.”
    -> Não sei… estou optimista. Clinton e McCain são dois sabidão… Muito inteligentes e no caso de McCain, um não-beligerante claro, mas pronto a responder… Entre so 3 penso que o mundo terá um bom presidente, ainda que Obama seja uma… grande incógnita. Tanto pode ser bestial como… besta!

    Cravo:
    ” Eu comentei apenas a idéia que o Brasil pode construir algo superior a um F-22. Isso é tão absurdo e ridículo que nem há palavras para o quantificar.”
    -> Sim, aí concedo que é uma tese muito improvável. Nem seria rentável construir um avião tão caro.
    -> Mas há condições (via fabricação local do Rafale) para um “JSF” local…

    ” Mas pegando nessa ultima hipótese, a de construir algo baseado na tecnologia do Rafale: Nestas coisas não basta ter tecnologia, é preciso décadas de experiência, infraestrusturas caríssimas, e o custo do desenvolvimento é tão grande que só se torna vantajoso quando se pretende produzir algo num número mínimo de 500 unidades ou mais. O Japão e a China têm muito mais poderio financeiro, tecnológico e industrial, e ainda assim falta-lhes o know-how e as décadas de experiência e as infrestruturas que os EUA e a Russia herdaram de décadas de guerra fria. O melhor que podem fazer são cópias de algo que foi o último grito no país de origem 20 anos antes. Olhem para o caso do Japão, com o Mitsubishi F-2. A maior parte da tecnologia foi cedida pelos EUA, baseada no F-16, e quase metade do desenvolvimento foi feito à custa da Lockheed, GE e outras empresas americanas. O resultado foi algo que entrou em serviço no ano 2000, na época ficou aquem de um F-15 com 20 anos, é muito mais caro, quase tanto como o F-22 devido ao pequeno número de aparelhos produzidos e cuja produção foi interrompida devido à baixa relação eficiência/custo. Inclusivé é inferior em quase tudo às últimas versões do F-16. E o Japão é um dos países tecnologicamente mais avançados do mundo, mas isso não chega. Um aparelho brasileiro derivado do Rafale entraria em serviço daqui a 15 anos ao dobro do preço do rafale, seria apenas marginalmente melhor que um ”
    -> Ok. É uma boa argumentação.
    -> Mas pressupõe um “super rafale” construído somente pelo Brasil… Nesta área as parcerias são cada vez mais comuns e rentaveis. E a opção de parceira com a Rússia-India não responderia a essas objeções?

    “rafale actual e inferior às versões do próprio Rafale que existirão daqui a 15 anos.”
    -> Aqui discordo. Porque teria que ser inferior? Porque não poderia haver a tal parceria França-Brasil? A França vai ter que começar a criar um sucessor do Rafale nos próximos anos, porque não alinhar com o Brasil (ou India) neste projecto?

    ” E tudo isto depois de gastar rios de dinheiro, mais do que o suficiente para equipar toda a força aérea até ao fim da era dos caças tripulados. E mais, como teria uma relação eficiencia/custo tão baixa, nunca seria exportado. Seria apenas mais um Mitsubishi F-2 e mais um monumento à aptidão da humanidade para repetir os mesmos erros vezes sem conta.”
    -> Mas por vezes, questões de soberania ou de afirmação política interna e externa levam as nações a tomar decisões que não rentáveis e que são muito discutíveis. Por exemplo, o SNA brasileiro (de que discordo)

    ” Quanto à questão de o Japão e a China terem projectos de 5ª geração, como já disse uma vez, ser de 4ª ou 5ª geração é apenas uma maneira de agrupar os conceitos do ponto de vista histórico e não tem nada a ver com a capacidade. Um aparelho de quinta geração pode ser inferior a um de quarta geração. Ainda que a China e o Japão sejam bem sucedidos nesses programas, demorarão décadas para os completar, gastarão rios de dinheiro e o resultado será algo muito inferior ao melhor dos que EUA ou a Russia faziam duas décadas antes.”
    -> A questão é Stealth. É aqui que está a chave dessa designação de 5ª geração.

    ” E desenganem-se se acreditam que o Rafale é algo próximo do F-22. É apenas carne para canhão, como são todos os outros e como o serão ainda daqui a 20 ou 30 anos. Os únicos com capacidade para fazer algo ao nível do F-22 são os russos, mas não o farão por uma questão de custos. O pak-fa pretende ser construido em ”
    > Sim, o Rafale é comparável ao EF e ao JSF mas não ao F-22 e ao Su-35

    “grandes quantidades e não há requisitos para igualar o desempenho do F-22, os requisitos apenas exigem que supere o F-35. Assim sendo, é certo que daqui a 30 anos o F-22 ainda será inigualado e muito provavelmente nunca o será até ser retirado porque os caças tripulados têm os dias contados.”
    -> Veremos… Não é de todo improvável tal cenário.

  45. Brasileiro

    Cravo, eu não copiei, só citei e ainda dei o crédito de quem criou.Entendeu-me errado. Esses investimentos na agricultura e medicina de que você fala serão sempre bem-vindos mas a realidade é outra. A medicina avança mas não para curar doentes e sim desenvolver organismos ou bactérias com objetivo nada nobre. Não preciso citar qual já que o senhor é inteligente. A agricultura também se desenvolve, começamos a comer transgênicos, daqui a pouco estaremos mastigando plástico puro ou melhor “polímeros” graças a evolução da agricultura. Resta saber se numa eventual guerra, os cientistas terão tempo e paz pra desenvolverem seus trabalhos para nobres fins.

  46. Brasileiro

    Pois é Clavis, nada é perfeito, ainda se tem muitos problemas de patente. Novamente toco no assunto da pesquisa, é essencial pra criar sua tecnologia própria e na minha opinião, é o que o Brasil está pecando em não fazer, ainda que algumas universidades desenvolvam trabalhos interessantes pra ciência, mas de forma isolada e sem recursos ideais. Por isso gostaria muito que o país continuasse investindo nas armas nucleares. A grosso modo, tudo tem relação.
    Sobre os EUA, tomando a história como base, qualquer republicano que se senta naquela cadeira, não se pode esperar coisas boas, então tendo a apoiar qualquer oposição, pelo menos, acho que são mais flexíveis e menos arrogantes, digamos, mais fáceis de se conversar.

  47. cravo

    Brasileiro, a sua atitude de desconfiança, descrença, negativismo, militarismo, pessimismo, é o ponto de partida para que essas coisas se tornem a sua realidade. O seu país é suficientemente grande para não temer a vizinhança ou seja quem for. O EUA não são ameaça para ninguém que tenha uma selva densa, ainda para mais agora que estão em decadência. Eles aprenderam isso no Vietnam. O melhor investimento que o seu país pode fazer no sector da defesa(e não só) é proteger a amazónia.

  48. Brasileiro

    Cravo, pelo visto você também não é daqui. Procure saber o que os americanos andaram fazendo aqui há 3 décadas atrás e vai saber do que falo. Na Europa tenho visto bandeiras de clubes de futebol com o rosto do Che Guevara mas acho que pouca gente sabe quem ele foi. Pelo visto também não sabe das bacias petrolíferas que nosso litoral tem e do potencial que ainda não foi descoberto. Quando falo de defesa, falo no sentido em que ela deve ser tratada. Falo de defesa plena e não me refiro a prender bolivianos ilegais que tem migrado pra cá em busca de trabalho, como se aqui estivesse uma maravilha, aliás, a Europa também anda com bastante emprego sobrando, não é? Tem tanto emprego na Europa que conheço bem as políticas adotadas pelos países quando o assunto é imigração. Diante de tudo que já escrevi, baseado em fatos reais, não poderia estar com um sorriso no rosto.

  49. Fred

    Ao meu ver, a vantagem para o país é agregar conhecimento e capacitação técnica. E Como o cobertor é curto e o Brasil precisa disto tanto quanto dos caças do FX2, acredito numa solução mista! Um rafale qualquer para agregar conhecimento e tecnologia numa quantidade menor que a anunciada e o desenvolvimento de um novo vetor para exportação, em 20 ou 25 anos (sempre em parceria com primeiras potências belicas, como no f-35, por exemplo).
    Segundo os ministros Nérso e o Mangabeira uma das alternativas proposta para o FX2 é desenvolver um caça de quinta (geração) em parceria com uma ou mais potências bélicas estrangeiras. E a ampliação das pesquisas de desenvolvimento de aviões de monitoração e combate não tripulados já em curso no CTA.
    O Sub: a maior vantagem do sub além da obvia utilização militar naval são as capacitações técnicas que o mesmo propicia: desenvolvimento de aços especiais e sua produção na siderurgia nacional, tecnologia eletrônica embarcada com alto grau de nacionalização, tecnologia em propulsores (no caso magnético), reatores para produção de energia compactos, viabilização do ciclo completo do combustível nuclear nacional, e por ai vai!
    Um exemplo recente: O mesmo ocorreu com o AMX, o avião mediano, caro para sua classe e hoje já obsoleto, porém e sempre tem um porém, capacitou a Embraer como empresa aérea internacional e competitiva, lógico que não foi só pelo AMX, mas em boa parte o projeto dele permitiu isso.
    E isto gerou empregos e tecnologia que o Brasil não tinha até então em escala industrial.
    Veja o C-380, a Embraer só vai desenvolver o projeto se tiver mais parceiros internacionais, e deve logo conseguir. Pelo menos espero.
    Sobre a quinta geração de um JSF, creio que a diferenciação básica entre a quarta e quinta é a furtividade, capacidade de “enxergar os inimigos furtivos”, baixo custo operacional com raio de ação estendido e armamento que possa atingir os “inimigos furtivos” e/ou alvos terrestre ou marítimos protegidos.

  50. cravo

    Tens razão, Brasileiro. Estou contigo. Vamos sentar-nos em cima de um barril de pólvora a fumar um charro e se eles vierem acendemos o rastilho com o charro.

  51. Brasileiro

    Claro, vamos fumar um bagulho bem grande, assim podemos fugir da realidade e achar que tudo é fruto de nossa imaginação. Depois acordaremos e diremos aos iraquianos que os EUA não são ameaça pra ninguém.

  52. Brasileiro:
    ” Pois é Clavis, nada é perfeito, ainda se tem muitos problemas de patente. Novamente toco no assunto da pesquisa, é essencial pra criar sua tecnologia própria e na minha opinião, é o que o Brasil está pecando em não fazer, ainda que algumas universidades desenvolvam trabalhos interessantes pra ciência, mas de forma isolada e sem recursos ideais. Por ”
    -> Correcto. Essa devia ser a aposta nº 1: Educação e Investigação. Tudo o resto (desenvolvimento, paz social, autonomia científica) virá por arrasto.

    “isso gostaria muito que o país continuasse investindo nas armas nucleares. A grosso modo, tudo tem relação.”
    -> A minha discordância neste ponto é já antiga… lamento. Duvido da rentabilidade de tão elevado investimento e dos custos políticos internacionais que teria (poderia pôr em risco um assento permanente no CS da ONU)

    ” Sobre os EUA, tomando a história como base, qualquer republicano que se senta naquela cadeira, não se pode esperar coisas boas, então tendo a apoiar qualquer oposição, pelo menos, acho que são mais flexíveis e menos arrogantes, digamos, mais fáceis de se conversar.”
    -> McCain não é um republicano vulgar… Tomou muitas posições contra Bush e nunca alinhou pelos Neocons…

    Fred:
    ” Ao meu ver, a vantagem para o país é agregar conhecimento e capacitação técnica. E Como o cobertor é curto e o Brasil precisa disto tanto quanto dos caças do FX2, acredito numa solução mista! Um rafale qualquer para agregar conhecimento e tecnologia numa quantidade menor que a anunciada e o desenvolvimento de um novo vetor para exportação, em 20 ou 25 anos (sempre em parceria com primeiras potências belicas, como no f-35, por exemplo).
    Segundo os ministros Nérso e o Mangabeira uma das alternativas proposta para o FX2 é desenvolver um caça de quinta (geração) em parceria com uma ou mais potências bélicas estrangeiras. E a ampliação das pesquisas de desenvolvimento de aviões de monitoração e combate não tripulados já em curso no CTA.”
    -> O PAK&FA assentava aí como numa luva…

    ” O Sub: a maior vantagem do sub além da obvia utilização militar naval são as capacitações técnicas que o mesmo propicia: desenvolvimento de aços especiais e sua produção na siderurgia nacional, tecnologia eletrônica embarcada com alto grau de nacionalização, tecnologia em propulsores (no caso magnético), reatores para produção de energia compactos, ”
    -> Mas repara que tudo isso (excepto o último) pode ser desenvolvido de outra forma, participando p.ex. num pós-Scorpene (AIP)

    “viabilização do ciclo completo do combustível nuclear nacional, e por ai vai!
    Um exemplo recente: O mesmo ocorreu com o AMX, o avião mediano, caro para sua classe e hoje já obsoleto, porém e sempre tem um porém, capacitou a Embraer como empresa aérea internacional e competitiva,”
    -> Mas que foi modernizado e que afinal ainda é uma boa plataforma para os anos vindouros…

    ” Veja o C-380, a Embraer só vai desenvolver o projeto se tiver mais parceiros internacionais, e deve logo conseguir. Pelo menos espero.”
    -> Sendo estranha a falta de noticias a este respeito…

    ” Sobre a quinta geração de um JSF, creio que a diferenciação básica entre a quarta e quinta é a furtividade, capacidade de “enxergar os inimigos furtivos”, baixo custo operacional com raio de ação estendido e armamento que possa atingir os “inimigos furtivos” e/ou alvos terrestre ou marítimos protegidos.”
    -> Certo. É isso que acho, também.

  53. Brasileiro

    Acho que a questão do assento nem faz tanta diferença mais. Sei que para aprovarem alguma intervenção militar é preciso que todos os membros permanentes tenham um mesmo veredito. Acho que o Brasil colocaria fim a muitas guerras porque bastaria dizer “não”. Por outro lado acho que sofreríamos sanções econômicas, não falo embargos mas teríamos problemas econômicos com os demais países do conselho que tivessem posição contrária a do Brasil. Mas se tivesse que escolher, votaria sempre contra as guerras, porque na minha opinião, vida não tem preço. Talvez o nosso governo já tenha refletido sobre isso. Sobre os republicanos não teremos acordo. Enfrentar o Bush (agora que virou o Judas da nação) é fácil, mas ele deve satisfação ao seu partido e não aos seus eleitores, por isso todos ficam logo insatisfeitos com seus governantes. (Exemplo: Sarkozy na França). Mostrar aversão ao atual governo é demonstrar para o povo que será diferente quando no poder, mas não se tem nenhuma certeza que isso vá realmente acontecer.

  54. O Assento pode ser muito importante!
    O direito de Veto implícito pode ser essencial para defender os interesses do país que o detêm ou do grupo de países que ele representa (o que no caso do Brasil seria a lusofonia)!
    A vida não tem preço, claro. Infelizmente essa é também a opinião dos fanáticos de todo o mundo… A Defesa é essencial enquanto houver tiranos armados no mundo, e desses… haverá sempre, receio bem.
    E olha que McCain esteve renitente quanto à invasão do Iraque (como Obama), logo no início, e nessa altura a causa não era popular… e desde à muito que vem criticado a condução da guerra (ver p.ex. http://www.realclearpolitics.com/Commentary/com-11_11_05_SJM.html)

  55. Fred

    Sim O AMX não é um vetor ruim, é na verdade mediano para bom, o custo é que foi alto! E agora com a modernização fica mais eficiente. Mas o seu objetivo foi concluído, deu uma grande força no pedal da bicicletinha da Embraer.
    Bem sobre o C-390 já temos a Thales, e correm rumores sobre uma possível parceria com algum país da sul americano, mas nada confirmado.

  56. Sim, portaram-se muito bem no Kosovo em várias intervenções de ataque ao solo conduzidas pela FA italiana, pena é que tenha sido um flop de exportações… julgo que esteve quase para ser exportado para um país da América do Sul, mas no último momento foi preterido pelo Hawk (hum… seria a Arábia Saudita afinal?)

    Juraria que era a Venezuela… Eles já digeriram a recusa do C-295 espanhóis?
    É claro que se o C-390 tiver aviónica made in usa (e terá de certeza) lá vai tudo ao ar, de novo…

  57. Fred

    Esqueci do AIP, O AIP menos problemático é o com célula de combustível, e olhe lá! Ainda assim com reduzida autonomia e baixo desempenho a um custo exorbitante. Consegue ser mais caro que o nuclear.
    O MESMA II do Scoppene ainda é barulhento e de baixo rendimento, porém usa etanol, já ajuda um pouco no preço e ainda assim inviável economicamente para o Brasil!
    O único AIP que funciona até hoje é mesmo a energia nuclear!

    Para agregar tecnologia realmente de monta só com o nuclear! E por falar nisso Angra 3 já está em tramite burocratico para emissão da licença de construção. Acho que até o meio do ano ela sai!

  58. Bem, sabes como tenho defendido aqui o AIP contra a propulsão nuclear, mas é mesmo mais caro que o Nuclear, contando mesmo com os custos de desenvolvimento e investgação (acho que estou com um Deja Vu…)
    Quanto ao Angra 3… Já fui mais descrente da opção nuclear civil do que sou hoje… embora fique sempre renitente com aquela remotíssima mas gravíssima possibilidade de um acidente mesmo grave…

  59. Fred

    Sei sim Rui, você é o defensor perpétuo do AIP! :)

    O Risco do nuclear realmente existe, mas temos o combustível, que mesmo com o complemento estrangeiro no ciclo do combustível e usinas de tecnologia antiga conseguimos produzir energia ao preço de R$ 120,30 o MWh, mais ou menos uns € 43,00 o MWh.

    Aumentando o consumo com o submarino e com Angra 3 o preço tende a estabilizar nesta faixa, mesmo com as pressões de inflação. Se vierem outras usinas e outros submarinos tanto melhor!

  60. Brasileiro

    É Clavis, está complicado. Tiranos talvez sempre irão existir e “nações-anjos” (Leia-se EUA e Inglaterra) estarão sempre prontas e à disposição para levar a “paz” e a “ordem” em qualquer região mundial; como se estivessem acima do bem e do mal e suas opiniões fossem verdades incontestáveis. Eis o lema: primeiro atire, depois procure saber se era ou não um terrorista. Obviamente você não teve nenhum parente sumido no regime ditador de direita daqui, obviamente também não era parente de Jean Charles, alvejado com 8 tiros num metrõ de Londres. Mas conheço Dom João VI, aquele que fugiu de seu país de origem, com medo de Napoleão Bonaparte, escoltado por navios ingleses até a costa brasileira, e que deixou seus patriotas prontos e devidamente armados para defender a terrinha. Fala sério!

  61. Brasileiro

    Sobre as nossas usinas nucleares, compramos sucata americana da Westinghouse, é por isso que as nossas usinas sempre tiveram problemas, mas para nossa sorte, os equívocos já estão sendo sanados.

  62. Fred:

    ” Sei sim Rui, você é o defensor perpétuo do AIP! :)”
    -> Pois, eu sei… que hei-de fazer… depois de ver o filme K-29… é o meu “fundamentalismo” pessoal, digamos, assim ;-)

    ” O Risco do nuclear realmente existe, mas temos o combustível, que mesmo com o complemento estrangeiro no ciclo do combustível e usinas de tecnologia antiga conseguimos produzir energia ao preço de R$ 120,30 o MWh, mais ou menos uns € 43,00 o MWh.”
    -> E a questão dos resíduos, muito importante.
    -> Contudo, actualmente, e usando reactores modernos, de última geração e criando uma rede multinacional de processamento de resíduos.. não me oponho absolutamente a esse opção (civil).

    ” Aumentando o consumo com o submarino e com Angra 3 o preço tende a estabilizar nesta faixa, mesmo com as pressões de inflação. Se vierem outras usinas e outros submarinos tanto melhor!”
    -> Mais do que um SNA?… Pois se um já é demais… se tivesse mesmo que ser, que fosse um SNA escoltado por… AIPs.

    Brasileiro
    ” É Clavis, está complicado. Tiranos talvez sempre irão existir e “nações-anjos” (Leia-se EUA e Inglaterra) estarão sempre prontas e à ”
    -> SIm. Por isso todos os Estados devem ter forças armadas e capacidade para se defenderem e ajudarem a ONU em “causas justas”

    “era ou não um terrorista. Obviamente você não teve nenhum parente sumido no regime ditador de direita daqui, obviamente também não era ”
    -> Não… mas tive familiares perseguidos e que participam na “resistência” ao “nosso” Salazar… E recordo-me difusamente da censura, de não poder falar, etc (era ainda menino quando estourou a revolução, em 1975)

    “parente de Jean Charles, alvejado com 8 tiros num metrõ de Londres. Mas ”
    -> Não, mas escrevi sobre este escândalo:
    http://movv.org/2006/08/01/jean-charles-de-menezes-e-safaram-se-todos/
    é que por acaso era brasileiro, mas podia ter sido um qualquer outro de “raça mais escura”…

    “conheço Dom João VI, aquele que fugiu de seu país de origem, com medo de Napoleão Bonaparte, escoltado por navios ingleses até a costa brasileira, e que deixou seus patriotas prontos e devidamente armados para defender a terrinha. Fala sério!”
    -> Essa é opinião dominante sobre D. João VI, e foi a minha durante muito tempo… mas não o é hoje.
    -> Sem essa fuga, a queda do rei nas mãos dos invasores napoleónicos e espanhóis (aliados destes na época) era inevitável, e de que serviria ao reino perder o Rei, especialmente se este se tornasse numa marioneta de um governador militar francês? A fuga garantiria a manutenção de um “Portugal” no além-mar e a continuação da luta, preparando o regresso que viria de facto a suceder.
    -> A ida da coorte para o Brasil foi um facto de um tremendo desenvolvimento cultural, económico e de uma descentralização nunca antes vista nas américas e forjou todas as bases para a independência que haveria de acontecer pouco depois.
    -> Se o rei tivesse ficado em Portugal, o que sucederia ao Brasil? Rodeado de colónias espanholas, bloqueado pela armada britânica, seria asfixiado e provavelmente dividido entre as colónias espanholas. E que seria do Brasil de hoje? Uma série de países fragmentados? Deixaria de existir, englobado em colónias espanholas?
    -> Quanto à qualidade das forças portuguesas que ficaram… era excelente. Os britânicos de Wellington usaram-nas como base da sua guerra peninsular e empurraram as divisões napoleónicas pela Espanha dentro e até bem ao interior de França, contribuindo decisivamente para o fim do mito da “invencibilidade terrestre” das forças francesas.

    ” Sobre as nossas usinas nucleares, compramos sucata americana da Westinghouse, é por isso que as nossas usinas sempre tiveram problemas, mas para nossa sorte, os equívocos já estão sendo sanados.”
    -> Sim… Dizem que os melhores reactores são franceses e depois japoneses, só depois, bem depois, estão russos e americanos…

  63. vicente biancardini

    O que se deve pensar no momento é em prazo de entrega desses caças ( su.35 ou outros). A FAB deveria indicar um numero suficiente de caças intermediarios para aquisição imediata e uso ate a efetiva entrega pelos fabricantes dos caças que vão realmente reaparelhar a nossa força aerea.

  64. Espero sinceramente q o Brasil adquira ,e rápidamente + de 50 Su-35 e uns subs como o amur 1850 e entre de sócio dos Russos no Pak-Fa -T50 . Tudo isso e pra “ontem”, o ianks estão em nossa praia c/ a IV Frota..Pq? Ñ confio nesses Ianks, o perigo mora ao norte.

  65. carlos:
    a prazo, tipo 20 anos, eu temeria muito mais uns eua em declínio acentuado, especialmente no campo aeronaval (http://movv.org/2008/07/09/do-cinzento-futuro-dos-navios-de-medio-porte-na-marinha-dos-eua/) e pensaria muito mais na ameaça potencial que o islão fanático e a china (sua aliada tácita) colocará a todos os países ricos em recursos nesse período de tempo…

  66. gaitero

    Brasileiro: Se todos os brasileiros pensassem como você, o Brasil estava perdido, nós precisamos muito mais dos EUA do que você imagina, essa história de ataque americano, três guerra mundial, cara esquece isso, é conversa para boi dormir, você assiste muito programas da globo, jornais televisivos que mostram só sangue destruição, guerra no rio, guerra em são Paulo, guerra no mundo, é isso o que pobre gosta, gosta de ver os outros se foder, eles fazem de tudo para mostrar destruição, com um único objetivo IBOPE.

    Se você fosse os EUA, quem iria atacar:
    Venezuela? Brasil? Argentina? China?Cuba? Ou Irã?

    Tic TAC tic TAC

    Se eu fosse os EUA não atacaria nenhum, pois todos estes estão dispostos a negociar. Para que gastar bilhões, quando se pode ameaçar e negociar.

    Quem em sã consciência manda toda sua FA para o outro lado do mundo enfrentar milhões de habitantes, sem causa alguma? É muita ilusão, uma guerra no Brasil, só se feita por brasileiros.
    Temos sim, é que fazer guerra contra garimpeiros, exploradores, ONGs disfarçadas, é este o nosso problema.

    Quanto a nossa FA, nunca faremos um caça de cinco gerações começando do zero. NUNCA.
    O sna existe dês do dia que me conheço por gente e até agora nada mudou, para que armas nucleares, para ameaçar? Esta é a única utilidade.

    Os caças virão à tecnologia, não, se queremos tecnologia, temos que fazer parcerias, como foi o AMX, que atualmente com esta modernização, é um dos melhores de sua classe.

    Pak-fa, novo rafale, gripen NG, isso tudo são sementes, esse FX-2 será só o começo, para que em 2030/40 saia algo brasileiro do papel.

  67. E mesmo? eles já atacaram a nicaragua umas dez (10) vezes…o irak enfraquecido..o petroleo c/ preços lá em cima..e nós cheios do óleo de pedra…a amazônia e seus trilhões de recursos…n/baixa população p/ tanta terra desocupada, + c/ donos; espero estar errado , nós próximos anos, e q o CPI da ONU prenda e julgue tbm o J W Bush, por gênocidio . O preidente sudanes pode , ele ñ. pq? Eu afirmo..o perigo vem do norte.

  68. gaitero

    balela, compare a NICARAGUA com o Brasil otra vez, e eu saio deste debate. Me cite estes 10 ataques, não os encontro em lugar algum, pode me passar suas fontes para que eu conheça sobre estas guerras?
    Quantas guerras aconteceram no Iraque? Quantos combates corpo a corpo? Agum combate aéreo? algum ataque contra forças norte americanas? Não houve nada disto. Morrem mais pessoas na Africa vitimas de aids, do que na guerra do Iraque.

  69. gaitero

    Os EUA tem mais petroleo em suas aguas que o Brasil, e isto ninguem comenta. Você é brasileiro? se for, caso os EUA invadissem você ia ficar parado ou ia para as ruas nem que fosse com paus e pedras. Eu iria, compraria até uma 12 se fosse preciso.

  70. como saberão aqueles que mais por aqui passam, não sou um “anti-americano primário”. Bem pelo contrário, os EUA (assim como o Brasil) são dos países mais dinâmicos, diversos e adaptáveis do mundo. Muito mais do que a China, Europa, Índia etc.
    Eles (EUA) podem reconverter-se e adaptar-se como ninguém.
    e resistir ao idiota que é o Bush e a sua camarilha e dar a volta por cima.
    muitos confundem “bushismo” com EUA, ou as suas arrogantes multinacionais e as suas correntes ultracristãs com o todo. Nada mais errado. poucos países são tão “liberais” (no sentido americano do termo) que os EUA e poucas elites são tão ilustradas e cultas como as dos EUA.

    mas que Bush existe foi eleito (marginalmente ou fraudulentamente) e governa é um facto.

    e o preço dos seus erros está a ser pago pela imagem internacional dos EUA e do Ocidente.

  71. gaitero

    A sociedade existe para ser respeitada, ninguem ataca ninguem para conseguir agua petroleo, pois se fosse assims eriamos animais irracionais, para que roubar, matar se podemos solucionar.

  72. há guerras provocadas por motivos emocionais e irracionais… recorda-te p.ex. das motivações nazis…
    mas a razão acaba sempre por imperar, declarando p.ex. o vencedor final…
    só um i-rracional poderia acreditar que a Alemanha poderia vencer com um “aliado coxo” (a Itália), outro demasiado longe para poder ser contado e enfrentando dois grandes inimigos em duas frentes distintas.

  73. vicente biancardini

    É, tem gente aqui que pensa igualzinho ao Lulinha paz e amor, que todo mundo é amigo do Brasil, que USA é parceiro,que é amigo, que gosta de brasileiro. É porra nenhuma.Vamos acordar, os Ianques são imperialistas ,inspirados pelo interesse, covardes e uma ameaça a paz mundial. Qual a razão de reativar a IV FROTA depois de cinquenta anos?Todos sabem que o governo Bush não reconhece a soberania brasileira sobre o mar territorial das 200milhas. Olha o petroleo ai mais uma vez.É muita coencidencia não? Me explique quem puder e me convensa do contrario.

  74. gaitero

    Pelo contrário, nada do que foi dito aqui esta correto, além de reconhecer as 200 milhas, já existe um acordo para que o Brasil passe a deter mais 50 milhas.

    Existem muitos outros países que possuem mais petróleo que o Brasil, e muito mais facil de ser extraído que o nosso que esta debaixo de quilômetros de salinas.

    A IV FROTA é composta por um navio de apoio e 400 soldados. Eles vão atacar o Brasil com isso?

    Alem disso olha oque você disse aqui, “o governo Bush”
    você esta falando de EUA ou do governo bush?
    você fala de LULA ou do Brasil?

    Qual erva que você esta usando, poem dessa pra mim….

  75. Fred

    Gaitero uma pequena correção, se me permite, a IV frota ainda é administrativa, não tem nenhum navio alocado, e seu efetivo total é de 120 funcionários, desde o comandante e incluindo o pessoal civil e militar.

    O IV frota ainda é de papel :)

  76. gaitero

    Bom, então corrigindo, eles pretendem ter 400 soldados e 1 navio de apoio, pronto.

  77. gaitero

    Depois de muita conta e observação, vai ai minha lista de compras ao Brasil. Esta é minha opinião.

    Força aérea:
    80 – Su-35 ou Gripen NG
    12 – AMX italianos e a modernização de 60 unidades
    1 – kc-137 e modernização dos 6 já somando o recem comprado do paraguai.
    24 – C-390

    total = 140 caças, 24 avioes de transporte médio, 6 revo.

    Marinha ;

    6 – Fragatas La Fayete
    2 – contratorpedos TYPE-42 mod III
    1 – corveta Barroso
    3 – submarinos Marlim com AIP
    aposentadoria do NAE São Paulo

    Total = 12 fragatas, 2 contratorpedos, 2 corvetas, 8 submarinos.

  78. vicente biancardini

    gaitero; me responda então uma pergunta, quem autorizou a invasão do Iraque? Por acaso não foi o Bush com o aval do congresso americano? Ele é ou não o presidente dos Estados Unidos da America do Norte? quando a IV frota ter isso ou aquilo não ineressa por enquanto. O que interessa é o objetivo por traz da reativação dessa frota. Com objetivos humanitarios te garanto que não são. Quanto ao Lulinha paz e amor fica a seu critério dizer o que ele é, no ou para o Brasil.

  79. gaitero

    O que interessa é o objetivo por traz da reativação dessa frota. Com objetivos humanitarios te garanto que não são.

    - Se não são estes os objetivos, quais são?, porque os estados unidos teriam que criar uma quarta frota para atacar o Brasil, existe alguma vantagem em atacar o Brasil ultilizando a quarta frota, este ataque não pode ser feito pela 1 2 3 frota?
    Se os eua quisessem atacar o brasil, eles o fariam sem ou com quarta frota.

  80. Fred

    Bem as frotas mais próximas seriam a II atlantico norte e a III (pacifico leste). se bem que a VII no pacifico oeste pode dar um apoio.

    A V está meio ocupada lá no golfo pérsico. Fica meio complicado para ela nos atacar, não é?

    ainda tem a I frota ( a guarda costeira americana) mas ela não viria.

  81. vicente biancardini

    gaitero,você se superou.Por acaso tu és embaixador dos USA? Se não for, me desculpe.Mas ta fazendo o papel direitinho. Quer dizer que a IV frota esta sendo
    ´´resssuscitada`´, para fins humanitários. UMA força que na 2 guerra tinha por finalidade patrulhar o atlantico sul, agora volta para servir aos necessitados. Quanta nobrezaI. Para com isso, no minimo voltaram para praticas escusas de espionagem ou sabotagem.

  82. gaitero

    Não estou falando nada disso.

    Em nenhum momento disse que era para fins humanitários, quem disse isto foi você “Com objetivos humanitarios te garanto que não são.”, oque eu disse foi ” Se não são estes os objetivos, quais são?” pois até onde eu sei os EUA dizem que são para fins humanitários e se você contesta, é a sua opinião contra a deles. Não sou eu que estou dizendo isto são os EUA e eu não tenho nenhuma prova contra, para contestar.

    Eu não estou do lado dos EUA muito pelo contrário, sou contra varias coisas que o seu atual presidente Bush fez em seu mandato.

    Estou apenas dizendo que não é ressucitando a quarta frota que os EUA vão nos atacar. Eles não precisão ressucitar nada para fazer isto, com metade da guarda costeira equipada com MM-40 block 3 eles já teriam uma enorme vantagem sob os nossos navios. Infelizmente esta é a realidade, até que nossos governos acordem e modernizem nossas FA, qualquer país no mundo assusta, vide o caso Venezuela.

    Como disse nosso amigo fred, eles tem varias frotas com varios navios, aviões, submarinos, soldados.

    Se eles tiverem o interesse em nos atacar, qualquer frota destas resolve contra nossa marinha dos anos 70.

  83. vicente biancardini

    gaitero, a voltada IV frota é um ato arrogante. O presidente Bush recriou a IV frota da marinha dos Estados Unidos , que devera proteger os seus interesses nas aguas da america latina e do caribe. Um levantamento do professor John Coasworth, da Universidade Columbia, ensina que entre 1898 e 1994. os Estados Unidos ajudaram a derrubar 41 governos Latinos-Americanos, um a cada 28 meses. Então meu prezado, durma com um bode desses. Esta obvio ou não?

  84. gaitero

    A voltada IV frota é um ato arrogante.
    - Esta é a unica coisa certa que você disse até agora

    Pare com isso, já estou cansado de ler seus comentarios e responder a mesma coisa. Com ou sem IV Frota eles fazem oque acham que devem fazer. Se eles derrubaram, ou ajudaram a derrubar 41 governos, eles estão errados, deveriam pagar, mas esta notícia não muda em nada a atuação da IV frota.

    Se eles consideram que a america latina é o quintal deles, somos nós, apenas nós que devemos mudar isto, não é criticando a IV frota que esta situação vai mudar. Nós devemos nos conciêntizar, que não somos nada aos olhos norte americanos, e se queremos mudar esta atitude, devemos fazer por bem, devemos mostrar a eles com políticas públicas de qualidade, com combate ao narcotáfico, ao desmatamento.

    Crescer é o melhor jeito de mudar, agora fazer briguinhas ridiculas por ativação de IV frota, se o Brasil tivesse dinheiro e quisesse fazer uma II frota, assim ele fará, deixe o problema da IV frota com os EUA assim como as FARC com a colômbia, e vamos cuidar é do PCC, comando vermelho e essas porcarias que denigrem nossa imagem no mundo.

  85. vicente biancardini

    gaitero, depois de voce se dar ao trabalho de fazer muitas contas e observação, conforme seu comentário em 25/07/08 e diga-se de passagem com muita propriedade sobre o material bélico que o Brasil deveria comprar.Estou surpresoI Então me responda; para que servirá esse aparato bélico?Já que devemos tão somente nos preocupar-mos com os nossos problemas sociais. A farc até então não é problema brasileiro, mas sim americano (USA) e colombiano, já que são parceiros no combate a essa guerrilha (deixou entrar quero ver sair). Brasil tem sim que se preocupar com a volta dessa força, que vem com o intuito de fazer valer a presença ianque nos mares do sul.(uma região sem conflitos ). uma ultima pergunta por hoje; tu continua a acreditr na fidalguia dos USA?

  86. gaitero

    Ai ai, sempre colocando afirmações precipitadas, sobre coisas que eu não falei.

    Para combater o PCC ou o CV, não ultilizaremos o exercito, e sim políticas públicas, em nenhum momento disse que devemos deixar nossas FA de lado, muito pelo contrário, ela está tão defazada que teremos de gastar dezenas de bilhoes de dólares para colocar o Brasil em uma posição de destaque.

    para que servirá esse aparato bélico?
    - Primeiro, devemos sempre estar preparados para defender nossa nação, para maneter a soberenia nacional.
    Segundo, te garanto que poucos países no mundo teriam a coragem de enfrentar um país bem armado, chama-se PODER DE DISUASÃO.

    A FARC é problema colombiano, somente, se eles pediram ajuda aos EUA, é porque alguem no comando deste país pediu, talvez agiu erradamente, mas o Brasil esta agindo de forma correta, apoiando a decisão qual seja ela que o presidente colombiano quizer, afinal o país é dele, o povo o escolheu, e o povo o apoia.

    Continuo a acreditar, que os EUA vão entrar em uma grave crise, começando pela perda do valor da moeda, passando a uma menor paricipação em conflitos mundiais e terminando em um equilibrio global, em 2030 por exemplo a China será a maior potência do mundo, mesmo se o seu crescimento se manter em um nivel 30% menor que o atual.

  87. gaitero

    Não estou aqui para julgar nenhum país do mundo, até porque eu vivo no Brasil, até tenho descendência portuguêsa e sempre acompanho pela tv oque nosso presidente Aníbal Cavaco Silva esta fazendo, mas não tenho moral nenhuma de criticar qualquer poítica, que qualquer presidente, de qualquer país faça ( COM RARAS EXESSÕES, EM GOVERNOS QUE TOMARAM O PODER DE FORMA NÃO DEMOCRÁTICA ), a não ser no Brasil, onde nosso Molusco foi eleito pela maioria.

    Pois o homem do mar, foi nosso povo que escolheu, eu particularmente não votei nele, mas tenho o direito como brasileiro de cobrar que se faça o melhor pelo Brasil.

    Falar se os EUA estão certos ou não, vai ser agora no final do ano quando os norte americanos escolherem seu presidente, são eles que vão dizer ao mundo oque eles pretendem fazer nos proximos 4 anos, e não você ou eu.

  88. vicente biancardini

    gaitero, reproduzirei um trecho do seu comentario em 26/07/08. Crescer é melhor jeito de mudar agora fazer briguinhas ridiculas por ativação da IV frota. . . , Preste atenção para efeito de registro. No Brasil, faz se de conta que essa frota só ameaçará os outros. Falso. (vale para você) Das 41 intervenções em paises latnos -americanos , 17 foram diretas e nessa conta não entram a fracassada invasão de Cuba, de 1961 e a deposição do presidente haitiano Jean Bertrand Aristide, em 1984. E anteriormente durante a 2 guerra mundial, houve a tentativa que ficou no papel ( ainda bem), o plano de Teatro de operações do nordeste do Brasil de 1 de novembro de 1941.Os USA desembarcariam até 100 mil soldados num arco que iriam de belem a salvador. A cabeça de ponte da invasão ficaria em Natal. Getulio Vargas entendeu que não lhe restava outro caminho e cedeu o acesso ao saliente nordeste brasileiro aos USA. Então meu nobre. o Brasil, precisa ter muita atenção com o seu mar territorial, independente de .quem ira assumir o governo ianque. E IV frota é uma meaça a soberania dos paises latino-amerinos sim. As outras frotas estão estacionadas mundo aforapara fazer valer os interesses ianques. ACORDA GAITERO, o mundo é dos vivos.

  89. gaitero

    ta ta bom
    voce ta certo.

  90. gaitero

    Você e o Hugo Chaves estão certos;

  91. gaitero

    Porque vocês não se juntam e não fazem um ataque, assim o seu problema com os EUA estará resolvido

  92. vicente biancardini

    O Hugo chaves é nacionalista e patriota, o que falta em muitos brasileiros…, Principalmente naqueles que pensão e difundem o pensamento que os USA são mocinhos e os que discordam da sua politica imperialista são os peles vermelhas. Acorda cara-palida.

  93. vicente biancardini

    Ah, quanto ao ataque que você sujeriu, não é objetivo da politica brasileira de atacar quem quer que seja e sim o de se defender. Já pelo contrário, os USA ( que voce tanto defende) tem experiencia em atacar seus vizinhos, como o já o fez uma dezena ou mais de vezes. Quando ao hugo chaves pergunte voce mesmo para ele.

  94. gaitero

    PORQUE NÃO TE CALAS?????

  95. vicente biancardini

    Contigo não tenho mais necessidade de debater. Então aceitarei a sua sugestão e calarei, desde que você não fique tentando passar as suas ideias pró-ianques com o intuito de fincar a bandeira do tio Sam em solo brasileiro .

  96. Ricardo Teixeira

    Xi Vicente, não querendo me intrometer más você esta totalmente errado.

    Pelo que eu intendi do Gaitero, quando ele te respondeu assim;

    Se não são estes os objetivos, quais são?, porque os estados unidos teriam que criar uma quarta frota para atacar o Brasil, existe alguma vantagem em atacar o Brasil ultilizando a quarta frota, este ataque não pode ser feito pela 1 2 3 frota?
    Se os eua quisessem atacar o brasil, eles o fariam sem ou com quarta frota.

    A ùnica coisa que fica claro neste depoimento é que não há necessidade, e realmente não há de se criar a 4 frota para atacar o Brasil, poís eles não precisão disto para atacar.

    com sua resposta

    gaitero,você se superou.Por acaso tu és embaixador dos USA? Se não for, me desculpe.Mas ta fazendo o papel direitinho. Quer dizer que a IV frota esta sendo
    ´´resssuscitada`´, para fins humanitários.

    Fica claro que você não inendeu nada que foi dito por ele, muito pelo contrário, ele não está defendendo os EUA e sim dizendo que eles são tão poderosos, que com ou sem 4 frota eles podem atacar o Brasil. Pois eles tem uma força muito maior que a nossa.

    E nos outros comentários você foge completamente do assunto, começa a falar coisas sem nexo ultiliza de falácias para expor suas idéias, fica claro que você esta mais focado em criticar os EUA do que debater sobre a 4 frota, e ultiliza desta 4 frota para fazer isto.

  97. Anónimo

    morte aos yanks

  98. vicente biancardini

    Ricardo, meu nobre causidico.Só estou te respondendo pelo fato de vc ter dito que uso de falácias.Mentiras suas. Tudo o que falei são fatos estão na história.Basta vc ter um pouco de paciencia ou tempo para ler e vera que esta tudo lá.Quanto ao fato de vc achar que o Gaitero diz uma coisa e eu respondo outra isso é a sua opinião e seu problema. Outra inverdade de seu comentario, que utilizo a IV frota para criticar os USA. Balela sua.Pois os USA são prato cheio para serem criticados por inumeros assuntos,atitudes,uma enorme gama de temas que levariamos muito tempo só para enumera-los.Quanto a IV frota é sim uma ameaça futura para America central , America-latina e Africa.Trata-se de uma armada regional de deslocamento rapido por toda essa região e segundo a boca miuda,( nada oficial ainda ) podera ser incorporado a essa frota um Nae.o que aumentaria enormemente o seu poderio de fogo. E o fato dos USA não deslocarem suas outras frotas para um possivel confrontro no atlantico sul. É simples. Elas estão estacionadas em pontos que segundo os estrategistas norte americanos são vitais para garantir a segurança dos interesses economicos e militares dos USA e de seus aliados. Seria como um coberto curto, cobre a cabeça e deixa os pes de fora. E com o ressurgimento dessa frota os USA estaram militarmente presentes em todos os continentes do planeta. Um abraço para vc e até a proxima. AD SUMS .

  99. Cara vc é mt lúcido…é isso aí..ñ são confiáveis, são invasoresa e imperialistas..Cabe ao Brasil comprar de ´pronto , 50 Su-35 e uns 20 subs de ataque Amur l800 …e misseis de longo alcance…É na paz q se prepara p/ a guerra. Ad sumus

  100. J. guaresi

    Minha opinião é a de que, os EUA por mais que seu passado fora marcado por muitas invasões, já não tem mais a mesma força e nem a mesma vantagem esmagadora. É claro, se compararmos o Brasil com os EUA nem os 50 Su-35 e os 20 sub suportariam um ataque em largas proporções, mas com estes gastos montrusosos com a guerra no iraque e afeganistão a divida dos EUA explodiu a barreira de vários Trilhões de dólares, já foi publicado que o novo presidente não poderá fazer praticamente nada, pois quase toda a verba que eles teriam para investir será destinada a pagamento da dívida.

    Devemos modernizar nossa FA, mas ela deve ser feita com a conciência de que somos um pais ” rico ” mas com muitos problemas, e não podemos sair gastando bilhões para comprar caças submarinos ou misseis de longo alcance.
    De gastos bilhonarios feitos de maneira errada, já basta os 500 bi usados para contruir brasilia, não devemos cometer o mesmo erro, devemos modernizar, para termos uma capacidade de disuasão boa, mas sempre colocando os problemas públicos, como a violencia, o saneamento básico, o fome zero, em primeiro lugar.

  101. nosle

    O Brasil não pode ficar preso a um só fornecedor, da Russia o Brasil poderia adquirir o su-35, helicopteros de ataque mi-35 e sistemas de defesa antiaéreo thor M1e S-400. Os submarinos deveriam ser com os europeus e com propulsão AIP.Como já temos IKL-209 o melhor é moderniza-los para AIP e complementar com mais 5 U-214 também com AIP. E desenvolver o sub nuclear construindo 4 ou 5 unidades.

  102. Fred

    AIP, sempre AIP :)

    Os sistemas AIP atuais não proporcionam muita vantagem a negação do uso do mar numa costa como a do Brasil, o custo elevadissimo de operação, as necessidades de logistica necessárias a implementação dos AIP somados a baixa autonomia dos mesmos torna inviavel a operação na costa brasileira, mesmo aumentando a escala de consumo para baratear a operação.

    E após o uso o sub necessita reabastecimento do combustível do AIP, e digamos é uma operação “um pouco” diferente que o abastecimento com diesel em mar aberto :).

    E para incorporar o AIP nos subs já existentes será necessário incorporar uma nova seção nos cascos. Pelo menos para o AIP Francês (MESMA-vapor de etileno) e o Alemão com célula de combustível (hidrogênio).

    O AIP Russo da decada de 60 com motor diesel e gases inertes é o mais barato, mas até eles não utilizam mais.

    A verdade é ‘que o único sistema AIP bom, de custo operacional reduzido, silencioso, de alta performace, grande disponibilidade e longo alcance é a propulsão nuclear. :) A desvantagem é o custo de aquisição e o lixo atômico. Além de possiveis acidentes (vide o s21 Tonelero) ;) , mas deixemos esses assuntos morbidos para lá.

  103. nosle

    O sistema AIP, segundo as fontes que eu li , geram uma autonomia que chega a 30 dias, o dobro do sistema convencional. Se dobra a autonomia então gera vantagem sim, os 10 subs(cinco IKL-209 e 5 U-214) padronizariam o sistema de propulsão e operariam mais próximos da costa, seus custos operacionais altos, são um custo necessário para uma Marinha que não tem condições de ter 20 a 30 navios de superfície efetivos, então deve -se priorizar o poder de dissuasão e os subs são os únicos que mesmo em pouca quantidade (15) proporcionam isso. Os subs nucleares seriam os principais meios, atuando mais avançados em águas profundas do Atlântico Sul.
    O Porta Aviões São Paulo não passa de um alvo ambulante, criar uma aviação embarcada eficiente e uma escolta ideal custaria muito mais caro do que investir numa arma que tem muito mais capacidade de sobrevivência (vide a preocupação da Marinha Americana com os subs convencionais). Trocaria o São Paulo e sua aviação embarcada por 20 su-34 baseados em São Pedro d’Aldeia (base aeronaval da Marinha) e 4 fragatas FREMM, 4 Lafayetes usadas e 4 corvetas Barroso.
    Essa é a única forma que consegui imaginar para o Brasil ter uma Marinha com um mínimo de poder de dissuasão.

  104. gaitero

    Primeiro, quero ver aonde você vai coseguir comprar uma la-fayate usada.

    4 FREMM = a uns 4 bilhões de euros, ou 10 bilhões de reais?

    4 corvetas barrosos, não seria uma ma idéia, até porque ela são muito boas, tem uma velocidade boa, e uma alta capacidade de transportar armamento, que se prese o seu designer ser de 1970, ou seja muito antigo.

    Concordo, que o são paulo é um alvo, mas por exemplo estes 20 Su-34, só seriam uma boa opção, caso a FAB escolhesse pelo Su-35, agora caso ela opite por outra aeronave, teriamos um grande problema.

    Outo ponto que eu tenho muitas dúvidas é porque a FAB comprou aviões P-3 usados, se temos na embraer o P-99 novinho e com uma capacidade muito elevada.

  105. nosle:
    mas somente um PA pode oferecer a um país a capacidade de projetar o seu poder à distância… se a estratégica internacional do Brasil persistir sendo meramente local, regional e defensiva, então um PA é inútil, concordo. Mas o Brasil deve começar a assumir no cenário internacional as suas responsabilidades de potencia média. Outros países, com menos impacto económico no mundo, como a Índia, a Venezuela, o Irão, a Colômbia têm meios muito mais importantes que os brasileiros e qualquer um deles é (infelizmente) mais influente que o Brasil. É isso que importa corrigir, de forma a garantir ao Brasil o lugar permanente do CS da ONU e para o ver mais frequentemente (ao lado de forças portuguesas, p.ex.) nas missões de paz que a ONU mantêm pelo mundo fora.

    Gaitero:
    “Primeiro, quero ver aonde você vai coseguir comprar uma la-fayate usada.”
    -> Por mim, nada tenho contra o conceito de compra de navios usados… tudo depende do que se compra, suponho… no caso português, por exemplo, as fragatas holandesas Karel Doorman (http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?nrnot=272) foram uma excelente opção.

    “4 FREMM = a uns 4 bilhões de euros, ou 10 bilhões de reais?”
    “27 ships — 17 frigates for the French Navy and 10 frigates for the Italian Navy. The grand total for the fleet of 27 could cost between 945 million to 1.22 billion euros”
    http://www.globalsecurity.org/military/world/europe/fremm.htm
    o que as torna muito mais baratas que esse valor. Onde o recolheste?

    “4 corvetas barrosos, não seria uma ma idéia, até porque ela são muito boas, tem uma velocidade boa, e uma alta capacidade de transportar armamento, que se prese o seu designer ser de 1970, ou seja muito antigo.”
    -> Sim, mas na Net abundam aqueles que acham que o seu design (1977) é já demasiado antigo… por exemplo, não têm as características furtivas que vemos agora em todos os navios.

    “Concordo, que o são paulo é um alvo, mas por exemplo estes 20 Su-34, só seriam uma boa opção, caso a FAB escolhesse pelo Su-35, agora caso ela opite por outra aeronave, teriamos um grande problema.”
    -> O SP tem que fazer parte da equação. Se não fizer, isso só quer dizer que será abatido à frota, sem substituto, o que esperemos que não venha a acontecer.

    “Outo ponto que eu tenho muitas dúvidas é porque a FAB comprou aviões P-3 usados, se temos na embraer o P-99 novinho e com uma capacidade muito elevada.”
    -> Boa pergunta… Interesses e cedências comerciais?

  106. Ronaldo

    Senhores Gaitero e Clavis,
    A MB não optou pelo EMB P-99, há época, por que o mesmo não atendia as especificações. Também porque o mesmo era apenas um projeto.
    Os P-3BR tem maior autonomia para cumprir sua missão e as obrigações do Brasil no atlântico sul, cuja área é muito grande. Vejam a mesma em :
    http://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2008/08/salvamar-brasil.jpg
    Mas o principal entrave do P-99 é não possuir um “bombay” interno, como tem o Lockhead P-3.
    Um abraço,

  107. o facto de ser então um projeto deve ter sido o decisivo…
    porque no demais, me parece um excelente aparelho:
    http://www.embraerdefensesystems.com.br/portugues/content/isr_systems/p99_multi_role.asp

  108. gaitero

    clavis,
    The grand total for the fleet of 27 could cost between 945 million to 1.22 billion euros
    más é cada unidade né clavis. cada uma custa entre 945 million to 1.22 billion euros.
    Foi o mesmo que eu disse, 1 bilhão de euros 4 fragatas da 4 bilhões de euros, ou 10 bilhões de reais.

    4 FREMM = a uns 4 bilhões de euros, ou 10 bilhões de reais?
    eu quis dizer o total.

    Eu não tenho nada contra comprar fragatas usadas tambem, só quis dizer que não existe nenhum país do mundo disposto a vender la fayates usadas….

  109. ok.
    visto assim, fica mais razoável… bem que parecia demasiado de “saldo”… ;-)
    não…
    mas e como vai o projeto da MB de construir fragatas stealth de 3500 toneladas, a que refiro no post sobre a Barroso?

  110. gaitero

    ^^

    não tenho nenhuma informação sobre estas stealth.
    Vou até pesquisar.

  111. Anónimo

    Cuidao em flertar com a Russia, quando ela não seduz, costuma estuprar.

  112. nosle

    Gaitero
    Eu só pensei nas FREMM e Lafayetes para se ter poucas fragatas mais de boa capacidade padronizadas de um único país (França) para se reduzir custos, mas pode muito bem ser qualquer outra usada dos EUA ou Reino Unido. O meu foco são os submarinos, é neles que o Brasil deveria investir seus escassos recursos.
    Concordo sobre os su-34, só servem se o su-35 tbm vim.
    .
    Clavis
    Concordo sobre a capacidade dos PA, a Marinha não tem condições de investir ao mesmo tempo em um Pa e sua escolta e submarinos. Então tem que se priorizar um dos dois.
    Por enquanto o Brasil não tem condições de projetar poder, o máximo que conseguimos com eficiência é o poder de dissuasão com negação do mar, pelo menos nos próximos 25 a 30 anos.

  113. Ronaldo

    Clavis,
    O P-99 é uma exelente plataforma, embora não esteja operacional em nenhuma força, ainda. Peca por não ter um “bombay” interno. Seria ótimo para substituir os bandeirulha.
    Quanto as compras da MB, recentemente,semana passada, noticiou-se a compra de mais 4 SeaHawk, pela “Air Forces Monthly”. A mesma divulgou que seriam usados, mas informações internas da MB dizem que não, serão novos.
    Sds.

  114. gaitero

    Mais 4.
    Ou são os 4 que já foi anunciado a um tempo atraz.
    Se for eles são novos, US$ 194 milhões é facil saber so pelo preço da compra.

  115. gaitero

    Pode até ser esta uma possivel idéia.
    16 p-99 para substituir os banderulhas e 8 p-3br para fazer o sujo da coisa.

    nosle
    Eu compreendi oque você disse, so contrariei por descolhecer um país que tenha la-fayates a venda.
    Seria uma boa idéia substituir as niterói por la-fayates e as type-22 por FREMM, mas é muito remota a possibilidade do Brasil vir a comprar 2 tipos de fragatas novas.

    As niterói ficaram na ativa por mais uns 10 a 15 anos, e as type-22 terão de ser substituidas, fala-se de 4 a 8 unidades, lembrando que os destoyers não foram substituidos, então estas tambem virão a somar estas perdas.

  116. “Saiu na revista Air Forces Monthly desse mês, que os quatro helicópteros Seahawk SH-60B comprados pela Marinha do Brasil via FMS, por US$ 194 milhões, são na verdade aeronaves usadas. Mas o valor do contrato inclui a modernização dos aviônicos e do sonar, e a integração ao míssil antinavio AGM-119 Penguin (foto). A revista informou ainda que este contrato substituiu um contrato anterior para 6 aeronaves novas, que acabou não vingando.
    O Penguin é um míssil norueguês de guiagem passiva por IR e tem alcance de 34km na versão Mk.2 e 55km na versão Mk.3.”
    http://www.naval.com.br/blog/?p=608

    as nitreoi – após atualização – parecem uma plataforma ainda capaz durante uma boa década…, o mesmo não sucede com as Type.22..
    a este propósito, eis um bom site:
    http://www.hazegray.org/worldnav/americas/brazil.htm

  117. Fred

    Senhores boa tarde!

    Nosle, não sei onde você leu que o AIP consiga dar 30 dias de autonomia, parece meio impossível, se nem o diesel consegue essa autonomia! ;)

    O AIP limita a velocidade e o alcance da embarcação, o custo de milha navegada com o AIP é enorme!

    Na costa brasileira, com correntes a favor e utilizando o AIP ele saindo do RS chegaria no máximo a ES! (perto de 10 dias de viagem)

    veja http://piratininga.wordpress.com/2008/02/08/dos-sistemas-de-propulsao-submarina-independentes-de-atmosfera/

    Ronaldo
    O P 99 também tem problemas de autonomia além de não possuir o dito bomb Bay. Os sistemas eletrônicos ocuparam toda a carga útil e energia elétrica da aeronave. Mas é um excelente vertor como R99.

    Clavis li a reportagem, e um equivoco! as aeronaves são mesmo novas, só os sonares são usados, são brasileiros (estão nos Sea king) que vão sofrer reforma/melhoria e serão incorporados nas aeronaves novas.

  118. ai o AIP…
    um dia também hei de escrever de novo sobre este tema…
    ok! tomo nota, quanto aos Sea King.

  119. Ronaldo

    Caros Senhores,
    Esta dita compra dos 4 helis é OUTRA compra, uma nova, então serão 4 + 4 . Embora a revista diga “usados” nossas fontes no Brasil confirmam serem novas. O Valor de Us$ 194 mi já foi pago. A MB ainda não divulgou o fato oficialmente.
    Sobre os sonares que sairão dos SeaKing, os mesmos serão inclusos nos helis da primeira compra anunciada, após modernização e não revitalização, o que é diferente.
    Finalmente, o sistema AIP, à época da divulgação da escolha do sub germânico U-214, depois não confirmada, a MB divulgou que o sistema AIP tem manutenção e suprimento além de seus orçamentos e seu custo de utilização absurdamente caro, por isto seria descartado. Diz-se que seu uso só é compatível com marinhas que não patrulhem mares continentais, cujas distâncias de suas bases sejam menores das que se tem atualmente no Brasil.
    Sds.

  120. sim, de facto, a maioria dos utilizadores desse sistema são Europeus e operam em costas próximas ou em oceanos fechados (tipo suécia ou itália)…

  121. gaitero

    São novos sim , zerinho, somente o sonar é usado. talves foi por isso que eles se confundiram.
    E eles ainda nem começaram a ser produzidos.

    -Eu não entendo isto.
    MB divulgou que o sistema AIP tem manutenção e suprimento além de seus orçamentos e seu custo de utilização absurdamente caro, por isto seria descartado.

    SERA QUE ELES NÃO SABEM QUE O AIP PODE SER DESLIGADO E O SUB OPERARIA NO MODO NORMAL???

  122. gaitero

    com relação e esta 2 compra de sea hawks não encontro nada, aonde você achou isto?

  123. Fred

    Gaitero, infelizmente para o Clavis, ;) como o próprio escreveu, o AIP não é muito útil para patrulhamento de áreas extensas, como a nossa ZEE. (custoxbenefício)

    Além disso o custo de implantação e logistica necessários ao reabestecimento do AIP, não importa qual o AIP, é elevadissimo, diversos pontos de abastecimento necessariamente devem ser criados e mantidos para utilização do AIP numa costa como a nossa. (e se usar pouco fica mais caro ainda por falta de escala de produção)

    Veja, os paises com grande ZEE não utilizam subs com AIP, como a Australia, o Japão, a Russia, os EUA, e todos esses ai teriam dinheiro para tanto.

    Posso estar errado mais o que tenho percebido é que o “Dilema” da marinha hoje é um misto de “Jeune École” a brasileira e uma projeção de poder para a vaga do conselho de segurança.

    Para a primeira: subs convencionais + subs nucleares + navios de minagem (como a recente conversão dos rebocadores de alto mar para lançamento de minas+ navios e lanchas patrulha + diversas bases de apoio simples pela costa brasileira+ produção de minas de influência, torpedos e sistemas de detecção nacionais.

    A segunda: Nae + aviação de asa fixa + navio de desembarque de carros + escoltas pesadas + navios tanques + sub nuclear, e o devido apoio logistico que isso necessita.

    Complicado, não? Não dá para ter os dois? Não sei! Sei que com a verba atual com certeza não! Ou um misto dos dois? Mais para a primeira e menos para a segunda? É oque parece que está sendo feito!
    Vamos aguardar o 7/11 e ver o que vai dar! :)

    Depois vou fazer um post sobre isso. :)

  124. gaitero

    Este misto é oque esta sendo feito, escoltas pesadas, mais subs convencionais, nae, aza fixa, navios de transporte.

  125. Fred:
    como disse…
    hei de volta brevemente ao AIP ! ;-)

    Gaitero:
    mas faltam escoltas pesadas… além das niterói (que foram apenas modernizadas) e da Barroso, não faltam mais fragatas? modernas, sobretudo e preferencialmente fabricadas localmente… as tais stealth de 6 k ton! de que falava o outro rumor… e que são muito mais importantes que o PA, diga-se…

  126. Ronaldo

    Gaitero,
    A notícia original dos helis, abaixo:

    Esta noticia foi publicada na revista “Air Forces Monthly” de agosto de 2008:

    “Four Surplus Us Navy SH-60B Seahawk helicopters are to be purchased by the Brazilian Navy as replacements for the S61D-3/SH-3G/H Sea Kings currently operated by anti-submarine squadron HS-1 at São Pedro(sic). The $194 million purchase through the US Foreign Military Sale process was recently approved and will include upgrading the helicopters’ systems and sonar, Penguin missile integration and training. This is presumed to replace a previously-planned and much more expensive proposal to acquire six brand-new S-70Bs which appears to have no progress.”

    Nova : Boatos já dão conta que o vencedor da concorrência de helis de ataque da FAB, seria o MI-35 russo…….. veremos nos próximos dias.
    Saudações à todos.

  127. FRED

    opa, os russos? então os sukhoi vão dançar?

  128. Ronaldo

    Fred,
    Não entendi, por que os Sukhoi vão dançar ??
    Sds.

  129. Ronaldo:
    embora eu não confie muito na fiabilidade do suporte pós-venda russo, em termos de custos e capacidades o mi-35 é sem dúvida a opção de eleição.
    Fred:
    Sim, porque o dizes? Qual é a relação que estabeleces, fred?

  130. Fred

    Bem, extra oficialmente, será um ou outro, na verdade a FAB não queria nenhum dos dois, quando perguntei porque falaram-me que o caso Peru ainda estava muito vivo na memória.

    Porém por causa da balança comercial, eles tinha que comprar alguma coisa, o exercito tinha conseguido escapar, hnão compraram os Helis russos, depois a FAB conseguiu comprar os black hawks e a Russia cobrando alguma compra. Dai acho, repito ACHO, se realmente comprarem os H A será mais difícil para o S35BM, já que a pressão da balança comercial diminuiu.

  131. gaitero

    Bom, até que é aceitavel, mas não quer dizer muita coisa…..

    Ronaldo, mas essa reportagem é a antiga, 4 black hawks novos, com modernização dos sonares por 194 milhões de dólares……
    É a mesma não é um segundo lote..

  132. gaitero

    Eles erraram nessa reportagem isto ja foi visto em outros foruns, existe um erro na verdade é 4 novos, e eles nem começaram a ser contruidos.

  133. alvespereira2cmdo

    são muitos comentários de atualização, de aeronaves para o exército, marinha e aeronáutica no Brasil, meu questionamento é quando isto tudo vai sair do papel e se tornar realidade, eu posso sonhar todos os dias, mas não significa que todos os meus serão realidade, posso até lutar para torná-los, mas no caso do nosso Brasil, primeiro ele tem que deixar de estar “deitado eternamente em berço explendido” e procurar tornar realidade seus sonhos. espero quem em razão do que se apresenta no cenário mundial, isto seja logo e urgentemente.

  134. fred: sim, faz todo o sentido… e lá voam mais alto os “meus” rafale… ;-)

    gaitero:
    ” Por Defesa Brasil
    03 de Junho de 2008

    Foi publicado hoje no Diário Oficial da União (DOU) o extrato de dispensa de licitação da Marinha do Brasil, através da Diretoria de Aeronáutica da Marinha, que autoriza a compra de 4 helicópteros S-70B Sea Hawk para a Força Aeronaval por US$ 194 milhões.

    As aeronaves serão empregadas em missões ASW (guerra anti-submarino) e serão destinadas ao Esquadrão HS-1 que atualmente opera os SH-3A/B Sea King. O valor do contrato indica que as aeronaves serão novas e equipadas com equipamentos de última geração, podendo inclusive serem dotadas de mísseis anti-navio Penguin.”
    http://defesabrasil.com/site/index.php/Noticias/Marinha-do-Brasil-adquire-SeaHawks.html

    não é assim tão antiga…

  135. Fred

    Bem Clavis, eu prefiro os Gripens NG, por possibilitar o desenvolvimento conjunto dos sistemas da aeronave para o Brasil.
    Acho até mais importante esse fato que a propria aeronave.

    E sem falar no custo mais baixo, tanto de aquisição como operacional! :)

    Sobre o Seahawk, ouvi que a marinha pensa em comprar até 12 aeronaves novas para substituir os seaking, as próximas compras devem sair com preços mais baixos pois essa primeira foi mais cara em virtude do pacote de treinamento operacional e de manutenção e do retrofit dos sonares.

    O preço apenas da aeronave gira os 40 contos de dólares cada uma!

  136. gaitero

    Não foi bem isso que eu quis diser clavis, ela é antiga se comparado a data citada pelo Ronaldo ”de agosto de 2008”
    Eu quiz dizer a ele que não foi comprado um segundo lote como ele havia dito. ” Esta dita compra dos 4 helis é OUTRA compra, uma nova, então serão 4 + 4 .”

    Eu quis passar a informação de que na verdade não se trata de uma segunda compra, e sim da mesma já citada anteriormente….

  137. gaitero

    12 é o mínimo aceitavel para nossa mb…..
    Espero que realmente se concretize…

  138. Ricardo Teixeira

    8 a 40 …. 320 milhões.

  139. Fred

    Sim, só que esse é o custo seco dos ditos, junto tem turbinas sobressalentes, pás, vedações etc e tal.
    Ai o preço sobe um pouco mais, 8 sairiam uns 360 contos mais ou menos!

  140. 12… mas nenhuma notícia, fala de 12, pois não?
    só me lembro de ter visto falar de 8, certo?

  141. Ronaldo

    Senhores,
    Repito, embora ainda nada há de oficial , esta seria a segunda compra de SH-60 Black Hawk via FMS e a notícia foi postada em pelo menos dois blogs exclusivamente militares no Brasil, dos quais faço parte. Esta notícia foi publicada na revista “Air Forces Monthly” de agosto de 2008, e a primeira é de Junho de 2008 (DOU). Lamentavelmente não tenho o link da mesma.

    Caro Fred,
    Não será com esta compra (MI-35) , não importando se serão 8 ou 12 unid., que se resolverá o caso do nosso superavit na balança comercial com a Rússia.
    Cada heli deverá custar aproximadamente Us$ 14 milhões apenas !! Veja a diferença, embora helis de funções diferentes, dos americanos…..
    Sds.

  142. FRED

    Sim Ronaldo, apenas os Helis sim, mas obrigatoriamente, junto aos mesmos acompanham, armamentos, turbinas extras e sobressalentes gerais, treinamento operacional e de manutenção, principalmente nos equipamentos de asas rotativas os programas de manutenção são para horas de vôo, no exército por exemplo, são 3 revisões básicas, a cada 50, 100 e 500 horas de vôo, sendo a última com revisão estrutural.

    e tudo isso acompanha a compra!! principalmente a principalmente a primeira, em compras seguintes os valores de treinamento diminuem sensivelmente!

    Sobre os 12, estava na licitação que seriam 12 de ataque e 12 de transporte, obviamente isso pode mudar. E não não resolve o problema da balança comercial, mas diminui a pressão e as reclamações!

  143. Estou torcendo p/ q tal se concretise e logo..os Rússos tem de apresentar , alem dp repasse de tecnológia..vantagens no financiamento… Temos de comprar os caças Su 35 e/ou 37 exterminador e os Subs Amur…p/ ontem.São mt superiores aos rafeaeles… É com tantos problemas pipocando em n/ fronteiras.

  144. Santos

    Nós precisamos de comprar os caças Russos. Nossos pilotos precisam de ter um avião de alta tecnologia e capacidade para o combate com um mínimo de dignidade. Os Americanos só vendem caças de última geração para a Inglaterra e Israel.

  145. Os Rússos estão bobendo, era para terem oferecido uma series de vantagens..para entrerem no mercado BRASUCA..estão agindo estúpidamente como os ianks..os seus SU 35 MB e SU 37 e …são imbatíveis…é tudo de bom , em termo de caças.Os subs Amur 1850 ,são furtivos e poderosos…e mt silenciosos.Estão perdendo um grande mercado por “BURRICE”, por falta de coragem da contrapartida..lamentável.

  146. Santos:
    a opção russa (SU-33) já dançou da lista de finalistas… E ainda bem, na minha opinião, seria um pesadelo em manutenção e peças e estrategicamente um mau alinhamento para o Brasil…

    Carlos:
    São excelentes aparelhos, inferiores apenas ao F-22, os Amur é que não sei se serão assim tão superiores aos submarinos franceses e alemães com AIP… Não é isso que consta na Internet, pelo menos.

  147. Alfom

    Debater é salutar, divergir igualmente, mas discutir jamais. Discutir é uma semi-agressão. Se for assim, perca logo a elegância e agrida. Mas não recomendo.

    Vi tudo isto aqui. Não gostei desta parte.

    Considero tudo o que foi dito até aqui neste debate.
    Concordo com muitos argumentos aqui citados e discordo de outros.

    Porém, acredito que o que precisa ficar bem claro e latente em cada cidadão, cada governante, cada militar e em cada formador de opinião aqui no Brasil é a consciência da nossa real situação de defesa atual.

    Nossos soldados se preparam e não temem quem os adorem a própria morte, porém necessitam mais que meramente o sentimento de nacionalismo, coragem e prontidão…necessitam de toda a tecnologia que possam ajudá-los a defenderem suas vidas quando precisarem igualmente defender as nossas vidas numa frente de batalha.

    Então, o que investimos na defesa da soberania do Brasil é o mesmo dinheiro que investimos na defesa da vida, da honra, integridade de cada cidadão e de cada um de nossos filhos.

    Necessitamos nos colocar urgentemente na condição bélica de ATAQUE. Porém, não para atacar, mas sim para termos a certeza das condições plenas de nos defender.

    O inimigo não é um mito. Ele existe e está sempre eminente, além de se prevalecer do elemento surpresa, também se prevalece de alianças perniciosas. Os lacaios estão sempre camuflados em sorrisos dissimulados.

    Os americanos são esgotadamente citados aqui por que representam nada mais e nada menos que os imperadores, senhores da guerra do nosso tempo.

    É inegável sua capacidade estratégica e seu poderio militar que os ajudam a defender os seus interesses, imperialistas ou não.
    Eles assumem investimentos fabulosos e possuem uma indústria da guerra.
    São no mínimo a referência para grande parte dos países.

    Para os céticos com relação a capacidade brasileira de mobilização e desenvolvimento de qualquer tecnologia que seja, posso dizer o seguinte:

    “TUDO QUE O HOMEM É CAPAZ DE IMAGINAR, É CAPAZ DE CRIAR”

    Porém, para criar exige agir efetivamente na direção dos objetivos.
    É apenas isto que nos falta talvez, ou seja, nos falta apenas nossa atitude efetiva na direção de nossos objetivos.

    “Não importa o tamanho nem o preço do sonho, importa apenas nossa determinação para conquistá-lo.”

    “DEPOIS DE PRONTO VERÁS QUE É POSSÍVEL”

    Continuemos sim, deitados eternamente em berço esplêndido.
    Porquanto, façamos por merecer.

    Um grande abraço a todos e desejo que assimilem o melhor possível as minhas palavras.

  148. Valeu sr.ALFOM , É + ou menos por aí , é na paz , quando se tem tempo para prepar os soldados e equipamentos,q se prepara p a guerra, ela virá ;só nos falta é saber “QUANDO,é ESTAREMOS preparados?

  149. Alfom

    Carlos, não temos outra opção, senão estarmos preparados.
    O futuro pode não nos pertencer, mas o presente sim.
    Então conquistamos o futuro nos preparando no presente.
    É uma questão de atitude e diligência.
    Temos esta obrigação e responsabilidade.
    Os soldados se somam para defender a sua pátria, as nações se unem para defenderem a paz duradoura.
    Esta é a real escência do preparo, independente das ingenuidades e das manipulações encontradas no caminho.
    Tudo isto é um todo.
    Parece trágico e poético, mas nosso mundo é isto.

  150. luiz edu

    caro amaigo sabe tudo leutraix vc tém razão com relação ao presidente lula e a bosta do seu governo que só pensa num social deixando a forcas armada em segundo plano.os mirage juntamente com o tal rafale e uma verdadeira porcaria pós todos e da mesma familia de bostas… da pior geração passamos 30 anos de mirage e aina quere mas?o brasil precisa de um verdadeiro caçar o su-35 ou ou su-27 ainda opcional gripen ou até mesmo o f18 ou f-16 entre outros para temos uma força do tamanho do brasil com esse governo não vamos passar de tucanos ou teco-teco temos que rezar muito prá a venezuela não atacar o brasil futuramente com relação o ministro da defesa que mas parece um puxa saco do lula e ainda mas atrasado que não ver os melhores caças para o brasil com su-35 gripen entre outro e um verdadeiro burro… pra não chamar de jumento…

  151. Se os franco cumprirem apalavra e nos derem o código fonte dos rafales, só ñ produzimos um caça = ou melhor ,se é tão sómente se formos mt “PARVOS”…

  152. os códigos fontes não são o principal… o principal é a tecnologia de motores… essa é que é crucial obter!

  153. Wilson Garcia

    Quem conhece um pouco de historia,sabe que mais sedo ou mais tarde houve a queda dos grandes imperios(MILITARES e FINANCEIROS)mas ainda bem que nos temos o Gaitero futuro presidente americano e não corremos o risco de sermos invadidos,pois os EUAs segundo ele tem muito petroleo, mas usa dos outros, tem muita floresta mas quer a nossa,tem muito soldado mas a maioria nao e americano(Mexicano ou de outro pais inclusive muitos negros(embora eles não sejam racistas)respeitam a politica dos outros elegantemente sem interferencia são os melhores nas olimpiadas não se dopam etc etc etc gente fina

  154. Existe um descaso com as FAs ,aqui no BRASIL…é isso será cobrado , estamos pior q a argentina ; só falta sermos chantageados como os ianglese fazem atualmente com os portenhos…esses srs serão responsabilizados pela indiferença e inresponsábilidade.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa.org

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

DIRECT e-DEMOCRACY NOMOCRACY & EQUALITY LAWS..! THE RULE OF LAW

Are we going to allow chinese dictators to own the whole planet?

looking beyond borders

Looking at foreign policy differently

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

O Vigia

O blog retrata os meus pensamentos do dia a dia e as minhas paixões, o FLOSS, a política especialmente a dos EUA, casos mal explicados, a fotografia e a cultura Japonesa e leitura, muita leitura sobre tudo um pouco, mas a maior paixão é mesmo divulgação científica, textos antigos e os tais casos ;)

A Educação do meu Umbigo

Gaveta aberta de textos e memórias a pretexto da Educação que vamos tendo. Este blogue discorda ortograficamente. Contacto: guinote@gmail.com

Promocão e difusão da língua portuguesa

Blogvisão

"Qualidade de informação para qualidade de opinião!"

geoeconomia

Just another WordPress.com site

Egídio G. Vaz Raposo

Media Scholar | Communication Consultant | Trainer

Mudar as coisas...

vivemos no presente, e é nele que devemos mudar. mudarmo-nos é condição necessária para mudar as coisas…

Um Jardim no Deserto

Um minúsculo oásis no imenso deserto físico, mental e espiritual em que se está a transformar Portugal

Extraterrestres ARQUIVO

Seja bem vindo ao Site Extraterrestres Arquivo - Volte Sempre

Muralha Verde SCP

Em prol da defesa e do ataque do Sporting!

Pitacos De Um Torcedor Corinthiano

Louco por ti Corinthians!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 4.711 outros seguidores

%d bloggers like this: