Um novo tipo de carros híbridos e… algumas considerações


A maioria dos carros híbridos como o meu Civic IMA funcionam com baterias recarregáveis de níquel. Isto pode mudar brevemente… A Nissan e a NEC preparam-se para utilizar baterias de iões de lítio em veículos híbridos.

Segundo o vice-presidente, o português Carlos Tavares: “Juntas a Nissan e a NEC resolveram os problemas fundamentais de custo, performance, segurança e fiabilidade”. De facto, as baterias de Iões de Lítio são geralmente tidas como superiores às de Níquel, já que conseguem maiores capacidades de carga em volumes menores e isto significa que se torna possível alcançar maiores autonomias com a mesma ou mais, potencia.

O problema está em que este tipo de baterias é menos seguro do que as baterias de níquel… Aliás, não são tão raras quanto se pensam as vítimas de baterias de telemóveis explosivas (ver
AQUI) e o mesmo poderá acontecer com estes novos automóveis híbridos… Por outro lado, são também menos duráveis. De qualquer modo, em 2009, a Nissan deverá ter um veículo híbrido com estas baterias em produção, comercializável em 2010 e concretizando a quebra de parceria que tinha nesta área com a Toyota, líder neste segmento de mercado.Mas os híbridos ainda que surjam estas novas baterias estão longe de serem uma opção para a maioria dos utilizadores… Os ganhos de combustível existem, mas são ainda mínimos, estimando-se que para obter o retorno da verba adicional que custa um híbrido em custos de combustível poupados sejam precisos pelo menos 10 anos…

Assim sendo, e para reduzir as emissões de carbono de Portugal só resta a via fiscal… Os fabricantes não estão muito entusiasmados com a tecnologia híbrida porque esta faz disparar os custos de produção e se vêm obrigados a reduzir as suas margens para manterem os veículos deste tipo a preços competitiveis. Nos EUA, especialmente na Califórnia têm sido tomadas várias medidas interessantes, como a distribuição de autocolantes que permitem aos condutores de veículos híbridos o acesso a faixas especiais nas autoestradas e uma subvenção especial nos impostos pagos na aquisição dos veículos que vai descendo gradualmente até se alcançar um determinado patamar de vendas de cada tipo (o número em que deixa de haver reduções fiscais com o Toyota Prius, o híbrido mais vendido nos EUA já foi alcançado).

Por cá, ainda temos muito a fazer… Desde reduzir ainda mais a carga fiscal, obrigar a aquisição de veículos híbridos ou menos poluentes por parte do Estado ou de órgãos estatais, instituir os mesmos mecanismos californianos de favorecimento em auto-estradas e outros, novos, em portagens e estacionamentos, etc, etc… Enfim, inventando novos argumentos que levem os portugueses a contribuirem mais para a defesa do nosso planeta e que lhes ofereçam argumentos adicionais para escolherem um carro híbrido em favor de um carro mais convencional.

O seu próximo carro vai ser um híbrido?
1) Sim
2) Não

View Results

Fonte:

DailyTech

About these ads
Categories: Ciência e Tecnologia, CodeFarmPt, Defesa Nacional, Ecologia | 16 Comentários

Post navigation

16 thoughts on “Um novo tipo de carros híbridos e… algumas considerações

  1. Golani

    FUTURE OF THE CAR

    The Green Fuels Report Card

    We grade the future of the key alternative fuels that, little by little, will replace gasoline

    http://www.time4.com/time4/microsites/popsci/futureofcars/altfuel_main.html

  2. Golani: Hidrogénio, Hidrogénio, Hidrogénio!

    “Green benefits: Hydrogen offers a tantalizing zero-emissions possibility: an abundant element that makes electricity and gives off just water—no tailpipe emissions or carbon dioxide. But it’s only a zero-emissions fuel if the hydrogen comes from renewable sources.

    Economics: Hydrogen reformed from natural gas could eventually be produced for $3 or $4 a kilogram (a kilogram of hydrogen has roughly the same energy as a gallon of gasoline). Because a hydrogen-fuel-cell vehicle could deliver double the mileage, the fuel could be competitive with gasoline at just $1.50 or $2 a gallon. But automakers will need to see a wholesale transformation of the energy industry to convince them to invest billions of dollars in the technology.”

  3. Existe um projeto chamado HyperCar criado por um Instituto de pesquisa chamado Rockymountain Institute. O hypercar utiliza um motor elétrico híbrido que utiliza energia elétrica e hidrogênio. A vantagem é que o motor elétrico tem torque constante, reaproveita a energia da aceleração e frenagem do carro, tem uma manuntenção super simples, menos peso, eficencia energética muito superior, poucas peças, e ainda pode ter um controle eletrônico feito por software. Tudo isto torna o Hypercar mais economico, mais leve, e segura, pois a energia cinética é menor. O projeto tambem contempla alteração no projeto da carroceria, no material Fibra de carbono) mais resistente e com maior absorção ao impacto. Eu poderia escrever 50 páginas sobre este projeto.

    Mas acho que vale a pena conferir. mias informações podem ser obtidas no livro “Capitalismo Natural”. Vale a pena ler.

  4. Luis: Não conhecia esse projecto, mas é de facto um desenvolvimento natural e lógico… Uma vez quer alguém tenha a ideia ;-)…

  5. Consegues saber mais sobre isto:
    http://port.pravda.ru/news/russa/23-04-2007/16702-bpombardeiro-0
    Estou curioso. Obrigado.

  6. Ultramar

    Carros explodindo como os telefones celulares (telemóveis) ? Não… obrigado… Prefiro os “híbridos” brasileiros (“flex”), com álcool e/ou gasolina! :) Ou os carros movidos a óleos de origem agrícola, que logo também serão em grande número por aqui. E, sinceramente, brincadeira à parte, espero que os carros com baterias demorem muito para estar pelas ruas, em grande quantidade… Pois o uso de combustíveis de origem agrícola vai ajudar não só o Brasil, mas, principalmente, países pobres e basicamente agrícolas.

  7. Golani

    Nova Iorque quer frota de “yellow” táxis totalmente híbrida até 2012

    Os famosos “yellow” táxis de Nova Iorque são os mais recentes aliados do ambiente. Até 2012 todos os táxis da “Big Apple” serão híbridos. Esta é, pelo menos, a intenção do “mayor” da cidade, Michael Bloomberg.

    Actualmente, na cidade de Nova Iorque já circulam 375 táxis híbridos mas até 2012 toda a frota (cerca de 13 mil carros) será amiga do ambiente. Em 2008, o número de táxis híbridos deverá chegar aos 1000, valor que deverá aumentar anualmente 20% até 2012.

    O anúncio foi feito por Michael Bloomberg e faz parte de uma série de esforços realizados pela câmara da “Big Apple” para reduzir as emissões de dióxido de carbono.

    Entre outras coisas, Bloomberg quer que os condutores paguem uma taxa por conduzirem nas zonas mais congestionadas da cidade. O objectivo é reduzir as emissões de CO2 em 30% até 2030.

    Mas Nova Iorque não é a primeira cidade norte-americana a ter táxis híbridos. A mesma decisão já foi tomada em São Francisco, Chicago e Boston.

    Os veículos híbridos são mais caros mas a câmara de Nova Iorque estima que a eficiência destes automóveis vai permitir poupar cerca de 10 mil dólares por ano (7,4 mil euros).

    http://www.jornaldenegocios.pt/default.asp?Session=&CpContentId=296467

  8. eurico1844:

    “Consegues saber mais sobre isto:
    http://port.pravda.ru/news/russa/23-04-2007/16702-bpombardeiro-0
    Estou curioso. Obrigado.”
    -> Vou ver! Mas olha que o Pravda.ru não é das fontes russas mais fiáveis que existem… E por vezes os russos empolam um tanto as notícias sobre características de aparelhos em desenvolvimento… E estando o PAK em dificuldades, francamente não vejo como se iriam arranjar para conseguirem dedicar recursos a um bombardeiro estratégico novo…

    Ultramar:

    “Carros explodindo como os telefones celulares (telemóveis) ? Não… obrigado… Prefiro os “híbridos” brasileiros (”flex”), com álcool e/ou gasolina! :) Ou os carros movidos a óleos de origem agrícola, que logo também serão em grande número por aqui. E, sinceramente, brincadeira à parte, espero que os carros com baterias demorem muito para estar pelas ruas, em grande quantidade… Pois o uso de combustíveis de origem agrícola vai ajudar não só o Brasil, mas, principalmente, países pobres e basicamente agrícolas.”

    -> O problema é que cada vez falta mais terra arável no mundo e que a população não pára de aumentar! Cada metro quadrado gasto para criar cana ou milho faz falta para matar a fome a alguém, algures, no mundo… Para mim essa é a maior objecção contra o Etanol…

    Golani:

    “Nova Iorque quer frota de “yellow” táxis totalmente híbrida até 2012
    Os famosos “yellow” táxis de Nova Iorque são os mais recentes aliados do ambiente. Até 2012 todos os táxis da “Big Apple” serão híbridos. Esta é, pelo menos, a intenção do “mayor” da cidade, Michael Bloomberg.”
    -> E espero bem que consiga e que assim forme um exemplo a seguir no resto do mundo… Que espicasse os construtores europeus e americanos (estes menos) a sairem do marasmo e a lançarem também eles veículos híbridos…

  9. Ultramar

    Ei, vocês sabiam que quase todos os “yellow táxis” :) do Rio de Janeiro já andam movidos a gás natural, mantendo o tanque original, ou seja, também podendo funcionar com gasolina, ou com álcool, ou com os dois juntos (os “flex”) ? É que as boas notícias daqui não interessam à imprensa mundial… Os carros híbridos, à gasolina e eletricidade, podem ser bons, mas são bem mais caros; os táxis a gás, do Rio, custam apenas um pouco mais, são até 70% mais econômicos do que os à gasolina e não poluem, ao contrário dos híbridos com gasolina, pela poluição desse combustível.

    E Rui, entendo sua preocupação, mas ela é a mesma de tantos outros, através dos tempos, com cada novidade neste mundo… Você sabia que toda a produção de cana-de -açúcar no Brasil só ocupa 1,8% das terras cultivadas ? Por favor, não deixe de ver o link abaixo, para sua preocupação desaparecer… ou diminuir! Veja como o futuro do etanol é bem promissor, principalmente para essa grande potência do futuro, que é o nosso lusófono Brasil!

    http://txt.estado.com.br/suplementos/agri/2007/05/23/agri-1.93.1.20070523.12.1.xml

  10. Ultramar:
    Nope. Não sabíamos não (quero dizer: eu não sabia), e de facto nunca tal notícia chegou a nenhum Media português… Mas também não vejo nenhuma notícia sobre Portugal nos Media brasileiros… É incrível o quanto estamos de costas voltadas, tendo em conta o que nos une…

    Quanto ao Etanol… Quanto mais leio… Menos entusiasmado pelo dito fico… Acho que aí vamos mesmo ter que concordar em… discordar! ;-)

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/04/070419_ambientalistasbiocombustiveispu.shtml
    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1521797-EI6609,00.html
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/02/070220_pressreview.shtml
    http://www.biodiversidadla.org/content/view/full/31849
    http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=47195
    http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2007/03/07/materia.2007-03-07.3458177722/view
    http://www.iadb.org/idbamerica/index.cfm?thisid=4259

    Agora que o Etanol pode ser uma solução de transição até ao hidrogénio… Aí posso concordar, especialmente no Brasil, pelas suas condições naturais e apesar dos dois grandes defeitos da industrialização do mesmo: alta de preços dos produtos agrícolas e redução da área cultivada e da produção dos demais produtos agrícolas.

  11. Ultramar

    Tudo bem, Rui… Eu não posso querer mudar ningúem, pois não tenho esse direito. Mas, com o tempo, verás que suas preocupações se dissiparão; verás, então, que eu estava certo (espero! :) ). No futuro tornaremos a falar sobre esse assunto e, então…
    Quanto ao hidrogênio, espero realmente que demore a ser uma realidade, em grande escala, pois isso só beneficiará as nações mais ricas da Europa, além de Japão e outros pequeninos ricos, que não têm terras suficientes para o etanol, o biodiesel ou outro combustível de origem agrícola, ao contrário dos países da África, por exemplo.

  12. Daquilo que sei a produção de hidrogénio e os seus métodos também estão longe de serem perfeitos… Também produzem poluição e a sua adopção massiva teria um custo global extraordinário… O Etanol está mais bem posicionado na actualidade, mas não creio que “vença” o debate a médio prazo!… Mas tens razão! O futuro (cinco anos?) dirá qual dos dois antevia bem o Futuro! :-)

    De qualquer modo, este ainda não foi o meu último Post sobre o tema…

  13. Luis Mizutani

    O problema de termos o Etanol como combustível é o risco de termos o início de uma exploração em massa de nossas terras para a produção de uma só cultura. Esta monocultura em larga escala, além de exaurir o solo, pode impulsionar um movimento de desmatamento para a produção de cana.

    Temos o risco de perda de biodiversidade, alteração climática, sem contar que a evasão de carbono (mesmo menor que a do petróleo) continuará ocorrendo. Também tornoremos nossa base energética mais fraca, ao depender de safras que podem ser afetadas pelas alterações climáticas.

    Sei que o processo do hidrogênio ainda não é economicamente viável, mas o Biodiesel não pe a soluação definitiva para o desenvolvimento sustentável. Acredito que os carros eletrônicos, sob o aspecto de eficiência, ainda são a solução mais ecológica. O motor de combustão (seja de gasolina ou Biodiesel) ainda apresenta uma eficiência enegética muito baixa em relação aos motores elétricos. Sem contar que o número de peças, complexidade, e produção de ruído e calor são muito maiores nos motores de combustão interna. Sob o aspecto de engenharia, é uma tecnologia que só se sustenta por toda a base econômica que movimenta.

  14. Luis: Estou globalmente de acordo. Sobretudo nos receios… Ainda que o Barsil seja um caso algo especial, por causa da sua especificidade. Já na Europa e nos EUA (conversão de campos para alimentos, para campos para biocombustíveis) estou frontalmente contra.

    E sim… Os carros eléctricos são o futuro (o meu honda actual é um dos primeiros híbridos). O problamer são – ainda – a eficiência e preço das baterias… algo que a pressão do mercado está felizmente a mudar!

  15. Antonio Afonso

    Eu não pretendo dar lição…mas pelo que sei, o sistema a hidrogenio é basicamente um motor electrico, cuja electricidade é gerada vindo da “combustão” do hidrogenio com o oxinenio do ar,num catalizador.E disso resulta a electridade e o residuo…é agua destilada,pura. E como se produz o hidrogenio?..a parir tb da conversão da energia electrica,por electrolise,processo bem simples e inócuo. E a electricidade, pode vir de geradores eolicos, paineis e hidrica…tb sem poluição.O hidrogenio precisa ser apenas comprimido,para ser guardado em depositos pressurisados.Basicamente é isto..e pode vir a ser a energia móvel do futuro,pois ja esta sendo usada no presente….Saudações ecologicas!

  16. Antonio Afonso

    Eu não pretendo dar lição…mas pelo que sei, o sistema a hidrogenio é basicamente um motor electrico, cuja electricidade é gerada vindo da “combustão” do hidrogenio com o oxigenio do ar,num catalizador.E disso resulta a electridade e o residuo…é agua destilada,pura. E como se produz o hidrogenio?..a partir tb da conversão da energia electrica,por electrolise,processo bem simples e inócuo. E a electricidade, pode vir de geradores eolicos, paineis e hidrica…tb sem poluição.O hidrogenio precisa ser apenas comprimido,para ser guardado em depositos pressurisados.Basicamente é isto..e pode vir a ser a energia móvel do futuro,pois ja esta sendo usada no presente….Saudações ecologicas!

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Blog em WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa.org

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

DIRECT e-DEMOCRACY NOMOCRACY & EQUALITY LAWS..! THE RULE OF LAW

Are we going to allow chinese dictators to own the whole planet?

looking beyond borders

Looking at foreign policy differently

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

O Vigia

O blog retrata os meus pensamentos do dia a dia e as minhas paixões, o FLOSS, a política especialmente a dos EUA, casos mal explicados, a fotografia e a cultura Japonesa e leitura, muita leitura sobre tudo um pouco, mas a maior paixão é mesmo divulgação científica, textos antigos e os tais casos ;)

A Educação do meu Umbigo

Gaveta aberta de textos e memórias a pretexto da Educação que vamos tendo. Este blogue discorda ortograficamente. Contacto: guinote@gmail.com

Promocão e difusão da língua portuguesa

Blogvisão

"Qualidade de informação para qualidade de opinião!"

geoeconomia

Just another WordPress.com site

Egídio G. Vaz Raposo

Media Scholar | Communication Consultant | Trainer

Mudar as coisas...

vivemos no presente, e é nele que devemos mudar. mudarmo-nos é condição necessária para mudar as coisas…

Um Jardim no Deserto

Um minúsculo oásis no imenso deserto físico, mental e espiritual em que se está a transformar Portugal

Extraterrestres ARQUIVO

Seja bem vindo ao Site Extraterrestres Arquivo - Volte Sempre

Muralha Verde SCP

Em prol da defesa e do ataque do Sporting!

Pitacos De Um Torcedor Corinthiano

Louco por ti Corinthians!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 4.706 outros seguidores

%d bloggers like this: