Da queda dos EUA e da ascensão da China no mundo…

“O pico histórico do seu poder geopolítico situou-se no final da 2ª Guerra Mundial. No entanto, o que se tem degradado mais não é do domínio económico, nem militar. O pecado mora no campo da legitimidade da actuação da superpotência na última década, diz o académico de Harvard, Joseph Nye, que vai publicar um livro em que aconselha a América a ser mais “inteligente” na estratégia de poder.

(…)

“No campo do poder económico, o produto interno bruto (medido em paridades de poder de compra – ppc, para permitir uma comparação realista) dos EUA está próximo do da União Europeia (a 27 membros), é o dobro da China e mais do triplo do da Índia. Na área militar, a diferença é ainda mais acentuada: as despesas militares (avaliadas, também em ppc) são quase o triplo das da EU e das da China, quase 5 vezes as da Índia e mais de 6 vezes as da Rússia. No entanto, alguns analistas alegam que a economia americana sofre de uma fragilidade perigosa. A nódoa no pano económico é a dependência crítica dos EUA em relação aos seus “fornecedores” anuais de liquidez financeira. Os fundos nacionais dos países exportadores de petróleo e os bancos centrais asiáticos dominam 22% dos activos estrangeiros em dólares americanos”

(…)

“é a debilidade do “soft power” americano, uma doença que se agravou com a Administração Bush: “Esse poder declinou muito acentuadamente na última década. O primeiro tropeção foi a nova doutrina americana de legitimação do uso pela superpotência de guerras “pré-entivas” (de que o caso do Iraque em 2003 foi uma primeira aplicação).” (…) O segundo erro foi o abandono da inovação em “bens públicos globais”, em iniciativas internacionais um terreno onde a UE tem liderado, e onde a Administração americana é hoje olhada como um opositor militante.”

(…) “O rácio entre as despesas militares e o investimento em diplomacia pública é da ordem das 500 vezes.”

Jorge Nascimento Rodrigues

Expresso 15 de Dezembro de 2007

 

Este interessante texto dá uma boa medida (através da expressão da comparação do PPC) do quanto o nível de vida da média europeia (não confundir com o “europeu”) se encontra perto do dos EUA e estes, longínquos dos da China e da Índia. Olhando para o PPC, os números brutos e cegos do PIB e do PIB per capita perdem relevo e tornam-se mais concretos e realistas. Militarmente, o nível de despesas dos EUA é ainda esmagador, sustentando a única verdadeira máquina capaz de projectar forças significativas e em vantagem decisiva até qualquer ponto do mundo. O seu prestígio (um factor determinante em qualquer conflito) tem sido erodido pela estagnação e desgaste sofridos no Iraque, uma situação que contudo se está lentamente a inverter, merçê da estratégia inteligente, mas porventura tardia do general Petraeus. Mas aqui se vê, o quanto longe está ainda a China de poder rivalizar com o poder militar dos EUA no mundo… Embora as suas despesas militares tenham aumentado extraordinariamente nos últimos anos e decorra uma política generalizada de modernização nas suas forças armadas, importantes sectores destas dependem ainda de tecnologia obsoleta (ver AQUI) e ainda que esteja a captar (comprando) tecnologia de ponta russa e ocidental (civil), as suas armas continuam a ser massivamente obsoletas – apesar de um grande esforço na modernização da sua Força Aérea – e ainda não existe uma verdadeira “classe média” e, sobretudo, não existe ainda uma consciencialização crítica e uma cultura democrática num regime tão centralista e autoritário como ainda é o chinês. Estas limitações tornam a China num gigante com pés de barro e sujeito aos ditames autocráticos de uma reduzida oligarquia não-democrática que não estando sujeitada ao escrutínimo popular pode cometer erros tremendos e não sofrer correcções nos mesmos. A própria política de Desenvolvimento da China é extremamente frágil… Assenta em padrões de crescimento contínuo das exportações e estas – num mundo que em 2008 se crê que vá atravessar uma das maiores recessões dos últimos 60 anos (Georges Soros) dificilmente poderá continuar a absorver tais volumes de exportações… De facto, será pela mesma via que garantiu a continuidade do regime, que este poderá ceder: é que no contrato silencioso que o partido comunista chinês assinou com a sua população: “enriqueçam e deixem-nos governar”, se a primeira cláusula fracassar… Porque deixarão os chineses continuar um governo que não elegem e que os rege de forma tão autocrática?

About these ads
Categories: China, Economia, Política Internacional | 22 Comentários

Post navigation

22 thoughts on “Da queda dos EUA e da ascensão da China no mundo…

  1. Anónimo

    Os EUA inspiram medo e ódio, devido a suas políticas agressivas e autoritárias.
    Mas, dos males, o menor. Ou alguém acredita que a China será uma superpotência mais “boazinha” para o mundo? Será terrível, uma miséria.

  2. Fred

    Como será a “Pax” chinesa?

  3. cravo

    A China não tem os meios, o conhecimento, a história e a cultura para se afirmar no mundo da mesma maneira que os americanos. Nem tem Hollywood para fazerem uma lavagem ao cérebro e uma injecção mundial de americanismo, ou neste caso chinesismo. O que a China tem é o potencial de se tornar uma superpotência regional no extremo-oriente, praticamente sem oposição local e com força suficiente para anular a influência americana na região.

  4. sa morais

    “A China não tem os meios, o conhecimento, a história e a cultura para se afirmar no mundo da mesma maneira que os americanos.”

    Acho que em termos de história e cultura, a China suplanta os EUA. Acontece que essa história e cultura foi apagada do mapa durante a R.C.
    O que sobrou foi um ácefalo gigante esfomeado, que agora tenta ter “cabeça”, mas que terá sempre pés de barro.

    Os americanos não sabem afirmar-se no mundo… São naturalmente desajeitados, quando confrontados com outras culturas e pensam que conquistam alguém com coca cola e hamburgers!

    No entanto, prefiro Hollywood a… cinema dos trezentos… :)

  5. cravo

    >Acho que em termos de história e cultura, a China suplanta os EUA.

    Eu não disse que a China não tem história e cultura, disse que não tem a história e a cultura para se afirmar no mundo. Não têm um historial de interacção com outros continentes e culturas, não têm uma amalgama de raças, etnias, culturas, etc como na américa. Nunca foram colonizadores ou descendentes de colonizadores ou exploradores. Têm quase as mesmas limitações que os japoneses, que podem ser muito fortes economica e militarmente, mas nunca foram habituados a pensar, explorar, descobrir e desenrascar.

  6. Antonio Carlos

    O que a China não tem hoje para se tornar o principal ator na geopolítica, pode vir a ter amanhã.
    Qualquer afirmação do tipo “a China não tem…” valeria para hoje. Não havia tanta gente acreditando há vinte anos que a China viria a ser a maior potência eeconômico da Asia e não o Japão.
    Um colunista de informática dizia que o que os EUA têm que a China não tem é marketing, capacidade de convencer consumidores, por isso a China se contentava em ganhar consumidores apenas com baixos preços, sem preocupação com qualidade. Todavia, a China de hoje está mostrando que pode fazer produtos de qualidade, pode inovar, pode criar e por que não exercer influência cultural mediante entretenimento de massa?
    Ainda achamos estranho aqueles homezinhos, amarelos, de olhos puxados, vestindo roupas a lá Mao Tse Tung, mas aqueles homens de pele vermelha que falam uma língua embolada, que amarram um pedaço de pano no pescoço não soariam estranhos para nós, morenos, semidesnudos dos trópicos?

  7. Graxaim

    Um mínimo de conhecimento da história dos povos é de vital importância para que se tenha uma perspectiva de suas possibilidades no contexto das nações. De suas possibilidades de sucesso no desenvolvimento da história atual e futura. Enfim… o que sabemos da China? A China está hoje, como esteve nos últimos muitos séculos… na verdade sem grandes mudanças.
    O chinês é um ser inimaginavelmente (para os ocidentais) tímido e temeroso de quase tudo e quase todos. Sua criatividade, ´imaginação´ e capacidade inventiva, foi desestimulada por milênios e hoje é praticamente inexistente.
    Tudo o que a China produz é copiado do que existe e executado em qualidade inferior. Compare qualquer produto chines com qualquer similar do mercado… Os produtos chineses ganham mercado pelo preço final… e trabalho escravo é o ´´X´´ dessa questão. Por quanto tempo ainda o mundo vai continuar comprando produtos inferiores da China?
    Se existe uma coisa que nunca mudou na China é a política do ´´pé no pescoço´´. Entra século e sai século e o povo chinês continua, como ovelha, a obedecer a vontade de algum déspota arrogante… Parece ser o destino do chinês… Ser querer ser maldoso, parece que eles não sabem viver sem isso…
    O soldado chinês… uma ´piada´ de mau gosto… Um povo que tem medo até da própria sombra… A China perdeu batalhas e guerras para todos os povos que a enfrentou (ou que a invadiu)… Por ex.: Portugueses com suas naus… Estadonidenses com suas torpedeiras… E até mesmo os japoneses, pouco menos piores do que eles, dominaram esse povo débil e naturalmente covarde… geneticamente covarde…
    A China, socialmente é o lixo do mundo… Milhões e milhões de infelizes sem nenhuma perspectiva de evolução… Pior… sem solução…
    A minha pergunta é: É desse país que estão falando? Foristas piadistas… (???)

  8. Tenham mt cuidados, à china vem aí! Com Tibet ou ñ, e ela sempre foi potencia..p/ o bem ou p/ o mal…o “x” e multipolarizar o poder. Kem viver verá.e fora c/ os ianks e toda pótencia q agir = a eles.

  9. o mal é que a potencia chinesa atual é alimentada com armas e tecnologia de todo o mundo, que cegamente lha venderam, para daqui a não muito tempo a verem virada contra os seus próprios interesses… e falo dos russos, que têm uma Sibério imensamente rica e despovoada com fronteira comum com a China, armada com as melhores armas russas…

  10. Alberto

    O comentário do Graxaim deve ser deletado. É uma vergonha que existam pessoas racistas, idiotas e ignorantes como ele.

  11. Bernardo

    Eu gostaria de saber quem é esse Graxaim, pra colocar esse criminoso na cadeia.

  12. de qualquer forma, esse comentador que produziu esse infeliz comentário não tornou mais a visitar este site.
    e se visitar está sob “observação”.

  13. A China tem uma longa tradição , na história da humanidade..quantas coisas boas nos legou…e sem dúvidas é a potência das próximas décadas , torço p/ seja melhor que os ianks…eles já foram; sairam do cenário politico mundial?

  14. Tira o Graxaim daqui agora! China, arrebenta ele!

  15. Otus scops

    os comentários do Alberto, Bernardo e ZÉ são ao nível do último parágrafo do Graxaim. quanto a este último diz a verdade.

    gosto muito de ver sul-americanos a torcer pela China e a querer a queda dos EUA… simplesmente ridículo! vê-se que são pessoas ignorantes sem referências históricas e civilizacionais.

  16. Solar

    Observem o poder da economia chinesa nos dias atuais e a relação simbiótica que esta última apresenta com os títulos da liquidez financeira norte americana. Observem as estratégias chinesas na busca por “amigos” na África, fonte de matérias primas e reservas energéticas fundamentais para a manutenção de todo o desenvolvimentismo globalizado das economias mundiais. Já analizaram a política econômica chinesa no que tange ao “Máximo de mercado com o mínimo de Estado”‘?! .. A China não abre mão da propriedade estatal e de mecanismos de planejamento econômico controlados pelos poderes públicos! Ela opera e coordena, através da mão firme do Estado, os fluxos de capitais internacionalizados. A China está, de fato, apresentando-se como um potencial Hegemon no mundo.

  17. Odin

    No meu modo de ver, o problema da China é apenas o tipo de regime de partido único que a governa. É uma das nações mais antigas da Terra ainda existente, ao lado da Índia. Na Idade Média, a ciência e as artes chinesas eram as mais avançadas dentre as asiáticas. Tal como a Grécia, a China também teve filósofos renomados. O Japão entre a 2ª metade do século XIX e a 2ª Guerra Mundial também cometeu atos monstruosos. Quando se democratizou após a 2ª Guerra Mundial, se tornou um exemplo para todo o mundo. Então, pode ser que a China melhore muito se o Partido Comunista for deposto e, o país adotar a democracia. Taiwan é um exemplo do que pode vir a ser a China pós-regime de Mao. E após devolver a independência ao Tibete também. Então, mais uma vez. Não é o povo, não é a etnia Han, não é a cultura. O problema é o Partido que governa.
    E quem garante que, militares americanos de extrema-direita não venham dar um golpe de Estado em Washington D.C. e implantem uma ditadura nos EUA? Hollywood até já fez filme sobre essa hipótese.

  18. Odin

    O problema da China é apenas o partido único que a governa e faz dela uma ditadura.
    Uma civilização tão antiga quanto a Índia, as Mesopotâmicas, o Egito… uma civilização-matriz de cinco milênios surgida às margens do rio Amarelo, e que foi para o Extremo Oriente asiático o que a Grécia foi para o Ocidente, é digna sim do nosso respeito. O Japão a partir da Era Meiji até a 2ª Guerra Mundial, cometeu horrorosos crimes contra a humanidade. Depois da derrota, se democratizou e se tornou um modelo para o mundo. Quem sabe, se a China se democratizar e devolver a independência ao Tibete, não se torna uma sociedade melhor? Não é o povo chinês. Não tem nada a ver com etnia nem idioma. É o regime de Mao. Assim como o regime de Chiang Kai-shek também era desagradável.
    E quem nos garante que em Washington DC ou em Londres nunca haverá um golpe de Estado e a mudança para uma ditadura? Hollywood até já fez filmes sobre essa hipótese.

    • A china logo que evolucionar para a democracia (e isso sera cedo ou tarde exigido por uma populacao cada vez mais rica e esclarecida) vai dividir-se (como a urss) e perder assim poder e influencia.
      A evolucao para ditaduras cleptocraticas ou corporocraticas no ocidente ‘e bem possivel e de facto ja comecou, mas de forma subterranea e implicita…

      • Otus scops

        uiiii o português tão mal tratado!!!
        CP, vindo de um literato da tua categoria (elevada) é ainda mais grave.
        realmente o (des)AO afecta e de que maneira… :(

        • Literato… Adiante: escrevo depressa e de forma quase automatica.
          Textos longos, rasurados, corrigidos e perfeitos ‘e coisa que nao veras nunca no Quintus. Este ‘e o espaco da improvisacao e da reacao rapida, nao da maturacao (unica apenas aos academicos que tem todo o tempo do mundo) e do raciocinio complexo e denso…

  19. Pedro Cavalcanti Sá Barreto

    Bem amigos,

    autocríticos,pelas perguntas e respostas,umas bem sucedidas outras aberrantes,por partes.Duvido alguém na terra tenha tanta admiração pelos ianques(inglês e americanos),entendo perfeitamente à situação dos EUA,mas ainda os vangloriam,despreparo total,que tem a ver à China ultrapassá-los,eles sim tem respeitos por todos e nem importa por sua forma de governar,aliás está em ótimo estilo por sua etnia,o maior centralizador de seres humanos do planeta.Ora,quem os alimentaria essa massa enorme senão eles próprios.Coitados dos ianques,chegaram e chegaram,e depois deficitários,perdendo terrenos para os nipônicos e agora aos obedientes e ultrapassados chineses, inteligência à toda prova que digam os anais desta remota civilização.Hoje detentores de mais de um trilhão de dólares com mais alguns bilhões, credor dos EUA,expandindo-se ainda mais é aquela história de um povo trabalhador sem muitas vaidades por sua natureza sua índole,mas que agora pode-se dar al luxo com escala de moderação,se quiserem.Gosto deste povo,deste país do velho mundo.Sejam bem-vindos!!!!

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Blog em WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa.org

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

DIRECT e-DEMOCRACY NOMOCRACY & EQUALITY LAWS..! THE RULE OF LAW

Are we going to allow chinese dictators to own the whole planet?

looking beyond borders

Looking at foreign policy differently

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

O Vigia

O blog retrata os meus pensamentos do dia a dia e as minhas paixões, o FLOSS, a política especialmente a dos EUA, casos mal explicados, a fotografia e a cultura Japonesa e leitura, muita leitura sobre tudo um pouco, mas a maior paixão é mesmo divulgação científica, textos antigos e os tais casos ;)

A Educação do meu Umbigo

Gaveta aberta de textos e memórias a pretexto da Educação que vamos tendo. Este blogue discorda ortograficamente. Contacto: guinote@gmail.com

Promocão e difusão da língua portuguesa

Blogvisão

"Qualidade de informação para qualidade de opinião!"

geoeconomia

Just another WordPress.com site

Egídio G. Vaz Raposo

Media Scholar | Communication Consultant | Trainer

Mudar as coisas...

vivemos no presente, e é nele que devemos mudar. mudarmo-nos é condição necessária para mudar as coisas…

Um Jardim no Deserto

Um minúsculo oásis no imenso deserto físico, mental e espiritual em que se está a transformar Portugal

Extraterrestres ARQUIVO

Seja bem vindo ao Site Extraterrestres Arquivo - Volte Sempre

Muralha Verde SCP

Em prol da defesa e do ataque do Sporting!

Pitacos De Um Torcedor Corinthiano

Louco por ti Corinthians!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 4.713 outros seguidores

%d bloggers like this: