Hoax: Cancelamento do programa PAK-FA

PAk-FA

(Representação hipotética do PAK-FA in http://defesabr.com)

Corre desde o dia 6 de Abril uma notícia – supostamente da RIA Novosti – e que consistia no seguinte texto (traduzido do inglês):

“MOSCOVO, 12 de Abril (RIA Novosti) – O comandante supremo da Força Aérea Russa Aleksandr Zelin anunciou o cancelamento do programa PAK-FA de 20 biliões de dólares depois de 20 anos de custos crescentes, problemas técnicos e redesenhos sem que fosse fabricado um único protótipo.

O PAK-FA, anunciado em tempos como o caça de próxima geração da Rússia, tinha consumido 13,9 biliões. O custo estimado de cada avião tinha sido de 87,2 milhões a partir de um preço inicial de 30 milhões.

“Teve uma história longa e turbulenta”, afirmou Alexei Arbatov, um membro da Duma que lidera o comité da câmara baixa para a Defesa.

O PAK-FA, um conceito para um novo avião de caça de nova nova geração, foi desenhado para ser comparável quer ao F-22 Raptor americanos e ao F-35 Lightning II mas foi ultrapassado pela necessidade de reforçar as forças nucleares estratégicas russas.

Reconhecendo que o PAK-FA já não se enquadra nas necessidades da Rússia, a Força Aérea afirmou que preferia gastar esse dinheiro a melhorar o seu atual sistema de aviação. Se fôr aprovado pela Assembleia da Federação, os fundos irão directamente para a aquisição de 400 Su-34 Adicionais, Su-35 e outros aviões e para atualizar e modernizar os 1400 aparelhos atualmente em serviço. Misseis Terra-Ar serão também uma prioridade.

“Trata-se de manter uma força disuasora efectiva”, disse o coronel da Força Aérea Alexander Zelin, “É uma grande decisão. Nós sabemos que é uma grande decisão, mas é a decisão correcta”.
O fim do PAK-FA reflecte também o reconhecimento pelo Ministério da Defesa que simplesmente não pode pagar todos os programas que deseja. O movimento implica o reconhecimento do facto de que o Ministério da Defesa deve começar a economizar à medida que os custos dos novos sistemas de armas aumentam e que a procura cresce, declararam alguns analistas da industrias.

A Força Aérea deveria gastar 20 biliões no programa PAK-FA até 2012 sem obter aviões significativamente mais capazes que o SU-35 atualizado, declaram oficiais da Força Aérea.

Alguns representantes da Duma Estatal reagiram furiosamente a este cancelamento.

“Estou indignado com esta decisão de terminar o programa PAK-FA tendo em conta que a Força Aérea argumentava há muito tempo que era um sistema de armas crítico que jogaria um papel central na nossa Defesa”, disse o deputado da Duma Estatal (State Duma) Vladimir Medinsky. “O que mudou? E como é que os militares planeiam recuperar as capacidades perdidas?”

Alexei Arbatov, o Presidente do Comité de Defesa da Duma Estatal. disse que a decisão “reflecte a dificuldade que os Serviços estão a encontrar com o custo das necessidades de modernização.”

O cancelamento foi um golpe nos principais contratantes do PAK-FA, a Sukhoi e a NPO Saturn.

Um alto representante da Duma disse que o Ministério da Defesa esperava dispender entre 450 e 680 milhões em multas pelo cancelamento à Sukhoi e à NPO Saturn.”

A eliminação do programa, contudo, poderia beneficiar as duas empresas. A Força Aérea pensa agora injectar mais dinheiro no Su-34 e Su-35, e acelerar a modernização dos aviões já em serviço o que deverá manter as duas empresas ocupadas no futuro mais próximo”.”

Bem…

A minha tese é que isto é uma completa falsidade, um Hoax, em suma…:

1. No site da RIA Novosti não se encontra esta notícia, ou aliás, qualquer outra idêntica… pelo contrário! A notícia sobre o PAK-FA mais recente indica até que os seus voos vão começar em 2009 !(ver AQUI) Se fosse verdadeira, a notícia surgiria, após esta primeira. Aliás, a notícia também não pode ser encontrada em nenhum site ligado à aviação ou à Defesa, o que aponta na mesma direcção do embuste (hoax).

2. Porque os Su-35 já estão em serviço… e não ainda em desenvolvimento, como daqui se infere.

3. O Su-35 BM que está em desenvolvimento servirá como plataforma de testes para as tecnologias de 5ª geração do PAK-FA, nomeadamente para os novos motores Saturn AL-41F com super-cruzeiro e 15 toneladas de impulso.

4. Alexei Arbatov e Aleksandr Zelin ocupam as posições indicadas no artigo… Contudo, essas correcções factuais, não provam nada. Provam apenas que a notícias foi criada por alguém que conhece de perto a realidade russa… Outros indícios apontam para uma origem russa deste texto em inglês: expressões como “Duma Estatal”, “Federação” e outras indicam que foi redigido de dentro da Rússia. Provavelmente com o objectivo de denegrir o governo de Medvedev que entra agora em funções, substituindo Putin e ligando-o já com uma decisão que iria prejudicar seriamente a operacionalidade das forças russas nas próximas décadas.

5. O PAK-FA não está a ser fabricado para a Força Aérea Russa… Mas para esta e para a da União Indiana e – provavelmente – também para a Força Aérea Brasileira… Logo o cancelamento não poderia provir de um parceiro, que – parece – assume apenas 1/3 do financiamento do programa e não a sua totalidade. É certo que parece que o PAK-FA não é exactamente o mesmo aparelho de 5ª geração, mas uma evolução directa a partir do russo PAK-FA, mas a notícia omite este aspecto importante na totalidade, e o PAK-FA estritamente “russo” já está encerrado há muito tempo… desde que a Índia assinou o “protocolo de entendimento” com a Rússia em Janeiro de 2007 (ver AQUI).

6. O cancelamento do PAK-FA faria com que a Rússia, país que detêm atualmente, graças à Sukhoi e à MiG uma posição de notável liderança no campo da tecnologia aeronáutica militar a perdesse… A Rússia poderia continuar a afirmar-se como potencia média se não tivesse nos próximos 10-20 anos nenhum aparelho de 5ª geração capaz de concorrer com o F-35 e o F-22?

7. O projecto ainda não gastou – nem de perto – os distos 13,9 biliões de dólares… Já que ainda não há sequer um protótipo a voar, nem nenhum AL-41F pronto!

8. Há rumores de que dois protótipos estão a ser preparados para os primeiros testes a realizar em 2009 (esta informação dos testes em 2009 surge em várias fontes oficiais), supostamente os novos motores Saturn Al-41F estariam já prontos, também, e seriam testados brevemente num Su-35M, antecipando a sua posterior instalação nos dois protótipos PAK-FA. Se o programa está assim tão avançado, não seria um erro colossal abortá-lo a meses de colocarem um PAK-FA no ar?

9. A notícia refere também o cancelamento dos novos motores da NPO Saturn… Isso deixaria a Rússia sem motores de super-cruzeiro para as próximas décadas e implicaria também um sério retrocesso na tecnologia russa… além de uma falência quase certa para o seu fabricante, a NPO Saturn.

Adenda:

A notícia falsa que circula na Internet:

MOSCOW, April 12 (RIA Novosti) – Russian air force commander-in-chief Aleksandr Zelin has announced the cancellation of the $20-billion PAK-FA program after 20 years of escalating costs, technological glitches and redesigns failed to produce a single prototype aircraft.
The PAK-FA, once billed as Russia’s next-generation fighter, had consumed $13.9-billion. The estimated cost of each aircraft had soared to $87.2-million from an original target of $30-million.
“It’s had a long and troubled history,” said Alexei Arbatov, a senior Duma official who heads the lower house committee for defense.
The PAK-FA, a new generation fighter aircraft concept, was designed to be comparable to both the American F-22 Raptor and F-35 Lightning II and has been overtaken by the need to strengthen Russia’s strategic nuclear forces.
Acknowledging that the PAK-FA no longer fit into the requirements of Russia, the Air Force said it would rather spend the money on an overhaul of its aviation system. If approved by the Federal Assembly, the funds would be directed instead to buy over 400 additional SU-34, SU-35 and other aircraft and to upgrade and modernize 1,400 aircraft already in service. Surface-to-air missiles also would be a priority.
“It’s about having an effective deterrent force,” said Air Force Colonel General Alexander Zelin. “It’s a big decision. We know it’s a big decision, but it’s the right decision.”
The end of the PAK-FA also reflects an acknowledgement by the Ministry of Defence that it simply cannot afford all the programs it wants. The move underscores the fact that the Ministry of Defence must begin economizing as the cost of new weapon systems increase and demands on military spending grow, industry analysts said.
The Air Force would have spent $20-billion on the PAK-FA program through 2012 without getting aircraft significantly more capable than the upgraded SU-35 it already plans to buy, Air Force officials said.
Some officials of the State Duma reacted angrily to the cancellation.
“I am outraged by the decision to terminate the PAK-FA program given that the Air Force has long argued that it is a critical weapons system that plays a pivotal role in our defence,” said State Duma deputy Vladimir Medinsky. “What has changed? And how does the military plan to make up for the lost capabilities?”
Alexei Arbatov, Deputy Chairman of the Defence Committee of the State Duma, said the decision “reflects the difficulty that the services are facing with the cost of modernization requirements now coming to the fore.”
The cancellation was a blow to the PAK-FA’s prime contractors, Sukhoi and NPO Saturn.
A senior Duma official said the Ministry of Defense expects to have to pay a $450-million to $680-million termination fee to Sukhoi and NPO Saturn.
The program’s elimination, however, could benefit the two companies. The Air Force now plans to pour more money into the SU-34 and SU-35, and ramp up the upgrade of aircraft already in service which would keep both companies busy for the foreseeable future.

Fontes:

http://en.rian.ru/russia/20080403/102931062.html

http://www.npo-saturn.ru/!new/

http://sukhoitribute.blogspot.com/2008/03/sukhoi-su-35-bm-t-10-bm.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Russian_Air_Force#Structure

About these ads
Categories: Brasil, DefenseNewsPt, Hoaxes e Mitos Urbanos | Tags: | 30 Comentários

Navegação de artigos

30 thoughts on “Hoax: Cancelamento do programa PAK-FA

  1. Não tem a ver com o post mas vê lá este avião russo equipado com thrust vectoring technology, impressionante as manobras que fazem com os aviões:

    http://englishrussia.com/?p=1899

    abraço

  2. gaitero

    Seria engrassado a pouco tempo Brasil anunciar que iria entrar no PaK-Fa e agora a Russia falar que este foi cancelado, acho isso uma besteira, o PaK-Fa vai continuar.
    Até por que ja foi muita grana para o seu desenvolvimento, nenhum país gasta toda essa grana e abandona o porjeto quando esta quase em faze final.

  3. gaitero

    A respeito do C-390 – parece que tem alguem observando nossos pedidos, primeiro o paK-Fa e agora o C-390 em portugal.

    Notícias vindas recentemente a público, referiram a possibilidade de a aeronave brasileira vir a ser montada em Portugal, pela empresa OGMA, em Alverca, a qual tem capital maioritariamente controlado pela empresa brasileira, e onde se realizam operações de manutenção e assistência técnica a aeronaves da empresa.

    Foi igualmente referida com insistência a possibilidade de a Embraer adquirir as instalações da antiga fábrica da General Motors na Azambuja, onde se poderiam fabricar componentes. Reuniões exploratórias com o próprio Presidente da Câmara Municipal terão mesmo já sido realizadas.

  4. gaitero:
    sem dúvida… seria uma ironia e tanto…
    bem, quanto a projectos abortados a meio… não faltam…
    quanto ao c-390… seria ouro sobre platina:

    “Embraer espera ajuda do governo para desenvolver cargueiro militar
    Patrícia Nakamura
    Valor Econômico
    3/12/2007

    O desenvolvimento do C-390, cargueiro militar que está sendo projetado pela Embraer, deverá exigir investimentos do governo brasileiro de cerca de R$ 800 milhões. De acordo com o presidente da Embraer, Frederico Curado, a cifra corresponde a dois terços do valor do projeto. A liberação desses recursos depende do aval do Congresso Nacional para ser incluída no orçamento da União no ano que vem. Se aprovados, os recursos serão incluídos no Plano Estratégico Nacional de Defesa, que prevê a compra de novos caças e o reaparelhamento militar. A previsão é de investimentos superiores a US$ 2 bilhões.

    Curado afirmou que a expectativa é de que a liberação do dinheiro aconteça no segundo semestre de 2008. Segundo o executivo, a participação do governo brasileiro é crucial para o prosseguimento da elaboração do C-390. “Os governos costumam se envolver no desenvolvimento de veículos militares e emprega-los em suas Forças Armadas”, disse. “Dessa forma, fica mais fácil atrair o interesse de outros países para o projeto”.

    Enquanto espera a definição do governo brasileiro, a Embraer também negocia com três países emergentes a participação no desenvolvimento e produção de partes e peças do cargueiro. O presidente da fabricante de aviões não quis revelar o andamento das discussões. Mas a Ogma, subsidiária da Embraer em Portugal, poderá fazer parte do projeto caso algum país europeu ingresse no projeto.

    O C-390 será a primeira aeronave de transporte militar a ser produzida pela Embraer. Estudos preliminares apontam que o projeto consumirá entre US$ 500 milhões e US$ 600 milhões. O desenvolvimento e produção do C-390 deverão levar cerca de quatro anos a partir da data de aprovação do projeto.

    O avião de carga será desenvolvido a partir da família Embraer 170/190. Será equipado com uma rampa traseira para facilitar o transporte de diversos tipos de carga, como veículos blindados e será preparado para pousos em lugares não regulares. Poderá também ser reabastecido em vôo e ser usado para reabastecer outras aeronaves em vôo. Outro emprego para o C-390 é o transporte de feridos ou doentes em missões de evacuação médica. O C-390 deve competir diretamente com outros jatos de transporte militar, sobretudo com o Hercules C 130J, produzido pela americana Lockheed Martin, e o C275, da russa Alenia. O preço dessas aeronaves, que têm capacidade de carga de até 20 toneladas, é avaliado em US$ 80 milhões, em média. O modelo da Embraer deve custar US$ 50 milhões e será capaz de transportar 19 toneladas. ”

    http://clipping.planejamento.gov.br/Noticias.asp?NOTCod=397308

  5. jnpnhr

    Nesse caso, de um cancelamento do programa PAK-FA, tenho minhas dúvidas. Os russos ficarão com um pé atrás depois que a China começou a comercializar produtos pirateados da sua tecnologia aeroespacial e temeria que o mesmo ocorrece com Brasil-India.
    Esse recuo Russo, com intuito de desenvolver o caça com recursos próprios a exemplo dos USA, é possivel com petróleo nas alturas e a CEI grande exportador do mesmo.
    Se persistir o atraso do programa fx2 brasileiro, com um suposto cancelamento do PAK-FA, poderá ser a ultima oportunidade dos pilotos da FAB pilotarem um caça moderno. Os próximos engenhos voadores de defesa e ataque seram uav’s controlados à distância ou mesmo autônomos. Só restará os cargueiros pra pilotar ou não?

  6. jnpnhr:
    também eu. muitas mesmo!
    tudo indica que é uma notícia falsa, com possíveis motivações políticas internas russas…
    há apenas a possibilidade de ser a noticia deturpada do verdadeiro cancelamento de um pak-fa estritamente russo, já que o projecto é hoje multinacional. apenas isso…

    quanto aos aviões de 6ª geração…
    sim, é minha plena convicção de que serão ucavs.
    na Europa, aliás nem se trabalha em aviões de 5ª, porque os fabricantes estão totalmente empenhados em desenvolver ucavs, como os EUA, aliás.

  7. Anónimo

    a FAB nunca anunciou que participaria do programa.

  8. Já foi confirmado em todos os princiapais sites militares e de defesa do Mundo.

  9. sony

    Brasil no PAK-FA….até a FAB já confirmou!!
    Sócios no céu e em órbita

    Ministro Mangabeira Unger firma acordo para participação no desenvolvimento de avião militar de última geração. Parceria estratégica envolve também programa espacial

    Pedro Paulo Rezende
    Da equipe do Correio

    O Brasil vai participar do programa de desenvolvimento de um avançado avião de combate, o PAK-FA T-50, que será fabricado pela empresa russa Sukhoi. O aparelho, invisível ao radar, promete desempenho igual ou superior ao caça F-22 Raptor, fabricado pelos Estados Unidos (o mais caro do mundo, ao custo unitário de US$ 225 milhões), e deve fazer seu primeiro vôo em, no máximo, dois anos.

    A construção da nova aeronave é apenas parte de um amplo memorando de entendimento, negociado em Moscou em fevereiro e assinado ontem pelo ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, e pelo secretário do Conselho de Segurança da Federação Russa, Valentin Alekseevitch. O acordo-quadro lança uma ampla cooperação entre os dois países, inclusive de tecnologias consideradas sensíveis. Na área espacial, estão previstas a construção de um novo veículo lançador e de satélites de comunicação e sensoriamento remoto. O uso da Base Aeroespacial de Alcântara por uma nova empresa binacional também será contemplado pelo tratado.

    Ao falar do PAK-FA, Mangabcerca de US$ 20 bilhões, a ser dividido em cotas entre Rúeira destacou que “será um caça de quinta geração”. O custo total previsto é de ssia, Brasil e Índia, que também participa do programa. O preço unitário, mais baixo que o dos caças europeus de quarta geração, ficará emUS$ 80 milhões, aproximadamente.

    Os aviões de combate de quinta geração, além de invisíveis ao radar, também são capazes de atingir velocidade supersônica usando meia potência do motor, o que reduz o gasto de combustível, amplia o raio de ação e diminui o tempo de engajamento do inimigo. Atualmente, apenas os norte-americanos possuem aparelhos com essas características em operação, os F-22 Raptor. Um modelo mais barato, o F-35 Lightning, que custa US$ 135 milhões, está em fase de certificação. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou a ver uma demonstração do caça em sua visita aos EUA, mas o aparelho foi descartado por não oferecer transferência de tecnologia.

    “Não estamos interessados em comprar bens acabados, mas em parcerias que possam fortalecer a capacidade tecnológica de ambos”, destacou o ministro. Além da Rússia, China e Japão também trabalham em aviões de quinta geração, mas o projeto PAK-FA, que começou há 10 anos, é o que se encontra em estágio mais avançado.

    VLS

    A Rússia já colabora com o Brasil na área espacial. Um grupo de especialistas encontra-se em São José dos Campos, onde assessora o programa do Veículo Lançador de Satélites (VLS). Os russos participam do projeto de um novo primeiro estágio, a combustível líquido em lugar de sólido, para o foguete, que coleciona uma série de fracassos desde a primeira tentativa de disparo, em 1997. O país mantém ainda programas de transferência tecnológica com a Ucrânia, para a produção de foguetes, e com a França, que pretende fabricar helicópteros médios em Minas Gerais e submarinos no Rio de Janeiro.

    http://www.defesanet.com.br/md1/pac_12.htm

    http://www.patricksaviation.com/photos/ricardo.ricjam/24426/

    http://www.revistaasas.com.br/index.php?ASA=show_news&id=491&LE=atual

    http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=543

  10. sony

    Sócios no céu e em órbita

    Ministro Mangabeira Unger firma acordo para participação no desenvolvimento de avião militar de última geração. Parceria estratégica envolve também programa espacial

    Pedro Paulo Rezende
    Da equipe do Correio

    O Brasil vai participar do programa de desenvolvimento de um avançado avião de combate, o PAK-FA T-50, que será fabricado pela empresa russa Sukhoi. O aparelho, invisível ao radar, promete desempenho igual ou superior ao caça F-22 Raptor, fabricado pelos Estados Unidos (o mais caro do mundo, ao custo unitário de US$ 225 milhões), e deve fazer seu primeiro vôo em, no máximo, dois anos.

    A construção da nova aeronave é apenas parte de um amplo memorando de entendimento, negociado em Moscou em fevereiro e assinado ontem pelo ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, e pelo secretário do Conselho de Segurança da Federação Russa, Valentin Alekseevitch. O acordo-quadro lança uma ampla cooperação entre os dois países, inclusive de tecnologias consideradas sensíveis. Na área espacial, estão previstas a construção de um novo veículo lançador e de satélites de comunicação e sensoriamento remoto. O uso da Base Aeroespacial de Alcântara por uma nova empresa binacional também será contemplado pelo tratado.

  11. sony

    Ao falar do PAK-FA, Mangabcerca de US$ 20 bilhões, a ser dividido em cotas entre Rúeira destacou que “será um caça de quinta geração”. O custo total previsto é de ssia, Brasil e Índia, que também participa do programa. O preço unitário, mais baixo que o dos caças europeus de quarta geração, ficará emUS$ 80 milhões, aproximadamente.

    Os aviões de combate de quinta geração, além de invisíveis ao radar, também são capazes de atingir velocidade supersônica usando meia potência do motor, o que reduz o gasto de combustível, amplia o raio de ação e diminui o tempo de engajamento do inimigo. Atualmente, apenas os norte-americanos possuem aparelhos com essas características em operação, os F-22 Raptor. Um modelo mais barato, o F-35 Lightning, que custa US$ 135 milhões, está em fase de certificação. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou a ver uma demonstração do caça em sua visita aos EUA, mas o aparelho foi descartado por não oferecer transferência de tecnologia.

    “Não estamos interessados em comprar bens acabados, mas em parcerias que possam fortalecer a capacidade tecnológica de ambos”, destacou o ministro. Além da Rússia, China e Japão também trabalham em aviões de quinta geração, mas o projeto PAK-FA, que começou há 10 anos, é o que se encontra em estágio mais avançado.

    VLS

    A Rússia já colabora com o Brasil na área espacial. Um grupo de especialistas encontra-se em São José dos Campos, onde assessora o programa do Veículo Lançador de Satélites (VLS). Os russos participam do projeto de um novo primeiro estágio, a combustível líquido em lugar de sólido, para o foguete, que coleciona uma série de fracassos desde a primeira tentativa de disparo, em 1997. O país mantém ainda programas de transferência tecnológica com a Ucrânia, para a produção de foguetes, e com a França, que pretende fabricar helicópteros médios em Minas Gerais e submarinos no Rio de Janeiro.

    http://www.defesanet.com.br/md1/pac_12.htm

    http://www.patricksaviation.com/photos/ricardo.ricjam/24426/

    http://www.revistaasas.com.br/index.php?ASA=show_news&id=491&LE=atual

    http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=543

  12. sony

    Ao falar do PAK-FA, Mangabcerca de US$ 20 bilhões, a ser dividido em cotas entre Rúeira destacou que “será um caça de quinta geração”. O custo total previsto é de ssia, Brasil e Índia, que também participa do programa. O preço unitário, mais baixo que o dos caças europeus de quarta geração, ficará emUS$ 80 milhões, aproximadamente.

    Os aviões de combate de quinta geração, além de invisíveis ao radar, também são capazes de atingir velocidade supersônica usando meia potência do motor, o que reduz o gasto de combustível, amplia o raio de ação e diminui o tempo de engajamento do inimigo. Atualmente, apenas os norte-americanos possuem aparelhos com essas características em operação, os F-22 Raptor. Um modelo mais barato, o F-35 Lightning, que custa US$ 135 milhões, está em fase de certificação. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou a ver uma demonstração do caça em sua visita aos EUA, mas o aparelho foi descartado por não oferecer transferência de tecnologia.

    “Não estamos interessados em comprar bens acabados, mas em parcerias que possam fortalecer a capacidade tecnológica de ambos”, destacou o ministro. Além da Rússia, China e Japão também trabalham em aviões de quinta geração, mas o projeto PAK-FA, que começou há 10 anos, é o que se encontra em estágio mais avançado.

  13. sony

    VLS

    A Rússia já colabora com o Brasil na área espacial. Um grupo de especialistas encontra-se em São José dos Campos, onde assessora o programa do Veículo Lançador de Satélites (VLS). Os russos participam do projeto de um novo primeiro estágio, a combustível líquido em lugar de sólido, para o foguete, que coleciona uma série de fracassos desde a primeira tentativa de disparo, em 1997. O país mantém ainda programas de transferência tecnológica com a Ucrânia, para a produção de foguetes, e com a França, que pretende fabricar helicópteros médios em Minas Gerais e submarinos no Rio de Janeiro.

    http://www.defesanet.com.br/md1/pac_12.htm

    http://www.patricksaviation.com/photos/ricardo.ricjam/24426/

    http://www.revistaasas.com.br/index.php?ASA=show_news&id=491&LE=atual

    http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=543

  14. Sony:
    Susto!
    Do seu 1º comentário parecia que “Já foi confirmado em todos os princiapais sites militares e de defesa do Mundo.”

    fora CONFIRMADO o fim do pak-fa!

    afinal, depois de ler os links, não! você quer dizer o contrário!
    Ufa!

    reconfirma-se assim o embuste…

  15. Anónimo

    amigos,entendam que existe um PROFUNNNDO fosso entre as FFAA Brasileiras e os indivíduos que tomaramde assalto os diversos setores governamentas. O que o Sr.UNGER diz, por sinal em péssimo português, além do Sr.JOBIM, não pode ser tomado como verdade para a FAB.

  16. gaitero

    Ta oque os ucavs que possivelmente serão os avioes de 6 geração, tem haver com não existirem avioes de 5 geração a serem produzidos na europa……
    Quer dizer então o Brasil não precisa se modernizar dexa assim até a chegada dos UCAVS????????
    Ou melhor dexa quieto e espera a chegada dos avioes de 7 geração, olhe quanta economia…..

    Os Ucavs ainda estão LOOOOOOOOONGE MAS BEEEEM LOOOOOONGE de competirem com caças, muito menos caças de 5 geração.

  17. não… a tecnologia ainda tem que evoluir muito para dar a um ucav as mesmas capacidades de um caça de 4,5 geração atual… hoje, a sua maior vantagem é o facto de custarem menos por unidade do que um aparelho tripulado (a perda de um piloto treinado é um “custo” não desprezível, em termos de sofrimento humano, mas também logístico).

    mas são o caminho do futuro, com o aumento da capacidade computacional e do fluxo de dados que se espera para os próximos anos…

  18. gaitero

    Mas de qualquer forma, não deve-se ter apenas uma frota de aeronaves não tripuladas. Afinal a estratégia e a capacidade que um piloto possui, não se comprara às funções que se espera de uma maquina guiada por terra. Como seria um combate entre 2 UCAVS….. será que a capacidade de ataque, de mudança de planos, de raciocínio rapido não serão afetados?

  19. ainda…
    é tudo uma questão da autonomia da IA e de capacidade de processamento.
    Em teoria já hoje um computador pode reagir e cometer menos erros que um piloto humano, mas na prática, falta-lhe a criatividade e a espontâneadade…
    mas nem sempre será assim…
    talvez na véspera do… Terminator!

  20. gaitero

    Podem estar criando uma arma com personalidade então, quais os riscos de ser realizar tal ação, será mesmo que devemos confiar a segurança nacional a um exercito de máquinas?????

  21. os riscos são os que o Sá Morais (nosso comentador habitual) apontou… o destas máquinas muito desenvolvidas chegarem ao ponto de considerarem os seus operadore humanos de…
    redundantes…

  22. Sidnei Tives

    Operadores humanos redundantes …
    lembra aquele filme “Stealth – A Ameaça Invisível” .

    Como posso encontrar o comentário sobre UCAV´s do Sá Morais dentro do blog ?

  23. Nos comentários a este artigo:

    http://movv.org/2008/05/02/o-secretario-da-defesa-dos-eua-robert-gates-critica-publicamente-o-desempenho-da-usaf/

    onde precisamente Robert Gates criticava os generais da USAF por não usarem mais UAVs e UCAVs… Muito em contexto, portanto…

  24. gaitero

    Stealth – A Ameaça Invisível
    era ai que eu queria chegar.

    Andei pensando esta noite, para se criar um ucav, com características de um caça, a base para contrução seria o vcav ou um caça stealth?

    Quero dizer, os moldes para se produzir tal aeronave, teriamos que tranformar F-22 em Ucavs, ou Ucavs em F-22????????

  25. Eu sei! Até já fiz um quid sobre ele…

    http://www.sonypictures.com/homevideo/stealth/

    não creio que pudesse ser um avião tripulado… todo o seu desenho pressupõe uma cabine, sistemas de protecção da mesma, de manutenção de vida, etc, etc

    um uav seria um ponto de partido mais razoável, já que de princípio é pensado para não ter piloto.
    Aliás, os EUA já estão a armar alguns dos seus UAV com mísseis ar-ar e ar-terra

  26. gaitero

    Chegue a ve-los já, muito bonitos, parece que agora eles querem substituir sua helice por uma turbina oque aumentaria sua capacidade de manobrabilidade, carga e velociade

  27. Decisão Firme e Coragem Imbatível (Já Atualizado ) !!!

    Precisamos de capacidade e determinação para mudarmos o Planejamento Estratégico da nossa Lei Orçamentária. O Plano Estratégico de Defesa já foi assinado, muito bem !!!. Agora precisamos programar, com disciplina e certa urgência, o comportamento legal das nossas despesas orçamentárias públicas, ou, vamos concluir, logicamente, que o citado Plano não é importante para a soberania nacional. Não restam dúvidas que decisão e coragem são importantes para o governo tornar a execução do Plano Estratégico possível, com isso ele governo deverá mudar seu pensamento de “fome zero”,” PAC disto ou PAC daquilo” para centrar no cumprimento legal do orçamento, e notadamente, com o Plano Estratégico que ele próprio aprovou. Deve ficar entendido que as Fas do Brasil, com este rearmamento bélico não pretende invadir nenhum país, ou anexar territórios, nem tampouco, se preparar para conter a suposta invasão do nosso grande “aliado” e “mui” “amigo”, mas simplesmente, operar viaturas e armamentos novos. Mas, assim, mesmo, vamos investir pesado nas Fas, se forem necessários 1 bilhão, para renascer a industria bélica, vamos coloca-los imediatamente à disposição do EB, se para a MG forem necessários 4 bilhões e para FAB, 8 bilhões vamos aplicar nosso plano de redução de custos orçamentários na gestão pública, assim:

    1)-diminuir o tamanho da estrutura organizacional dos Poderes Legislativo ( podíamos extingui-los de vez, pois, só roubam ), Executivo, Judiciário;
    2)- acabar com as despesas públicas que estejam fora da Lei Orçamentária, isto é, “PACs” de todos os tipos;
    2)- acabar com as despesas orçamentárias de cunho político demagógico;
    3)-canalizar, em emergência, financiamentos e investimentos de recursos do BNDES, CAIXA ECONÔMICA, PETROBRÁS, PRÉ-SAL, E INSTITUIR um TRIBUTO específico para o rearmamento nacional, e, cadeia para os ladrões nacionais = este somatório de recursos ( economia de custos ) direcionar para um FUNDO de RESERVA NACIONAL p/ INVESTIR PESADO nas Fas;

    Por que assinar um contrato com a IVECO para construção de blindados sob rodas? Não seria mais estratégico renascer, com outro nome, a principal empresa produtora de material bélico ?
    A falta de dinheiro é uma coisa presente nas finanças do Brasil, mas incompetência crassa, é outra coisa!! Temos ainda vivas a AVIBRÁS e a IMBEL. A AVIBRÁS recentemente construí o Guará, blindado de 4×4, mas o EB não se interessou. Quem mostrou competência para fazer um 4×4, certamente, poderá fazer um 6×6, um 8×8, ou até um 10×10, até anfíbio. Repito o que disse, nossos engenheiros militares são muito competentes. Se por acaso, for necessário assinamos, um acordo militar com a Alemanha ( não seria a 1ª tentativa ) ou Rússia, para acelerar a assimilação de conhecimentos atuais sobre blindados. Temos no passado, projetos bem realizados do, URUTU, do Ogum, do Charrua, do Sucuri, do Tamoio, do Osório, do Jararaca, e do CASCÁVEL cuja experiência resultante e o conhecimento de nossos engenheiros e técnicos militares, apesar do tempo ter passado, não se perderam, e nem, faliram. Competência não nos falta. O Centauro italiano é uma cópia descarada do Sucuri brasileiro.
    A IMBEL é a herdeira judicial dos acervos da ENGESA, da BERNARDINI, e da MOTO PEÇAS. A substituição do transporte blindado de tropas infantes M-113 do EB, poderia ser feito, também, usando-se o modelo aperfeiçoado do CHARRUA 01, construído agora pela AVIBRÁS ou a IMBEL, ou ambas as empresas, o blindado anfíbio transporte de tropas, com uma necessária modernização de blindagem, sem perder a condição de ser anfíbio para a região amazônica, com um super-sistema de armamento, artilhados e com mísseis anti-carro, anti-aéreo, ou anti-barcos de desembarques.
    Aliás, esta nova viatura CHARRUA 01, faria frente nas fronteiras da Venezuela ao violento russo BMP -3, a ser comprado pelo exército deste país.
    DEUS queira, que nossas FAs não sejam levadas ao sacrifício inútil, por causa da displicência governamental, nem tudo se resolve, com “tapinhas sindicalistas e cafezinho”. O BMP-3 russo que o Chavez vai comprar ( ou comprou ) é excelente blindado. Se acontecer no futuro, que blindado do EB fará frente a ele na Amazônia ????. Gostaria que alguém do EB me explicasse, pois, de repente existe outra saída, embora seja eu , apenas, um civil consciente de seus devedores ???? Talvez o verdadeiro inimigo ( o grande falso amigo de sempre – com a 4ª Frota ) esteja no NORTE e, não seja o Chavez.
    Falta, na verdade, muito dinheiro para este Plano Estratégico virar realidade !!! Por enquanto é somente discursos políticos irritantes, de quem não quer decidir nada, só ganhar tempo. Vamos alistar e incorporar, os filhos, netos, bisnetos e todos ao parentes próximos de todos os governantes e políticos brasileiros nas nossas FAs e remete-los para frente de combate, mais pesado e violento, na região amazônica, se necessário for !!!
    Assim, com certeza, eles verão e sentirão, com exata realidade as verdadeiras necessidades do EB. Para quem sabe o mínimo da história do povos, sabe que isto pode bem acontecer. !!!!!!!
    Por falar em BMP-3 russo, por que o EB, não se utilizar, da AVIBRÁS e da IMBEL, ou, uma 3ª empresa coligada, nestes procedimentos de fortalecimento bélico do Plano Estratégico de Defesa ???? Luiz

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Blog em WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa.org

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

looking beyond borders

Looking at foreign policy differently

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Parece piada... fatos incríveis, estórias bizarras e outros micos

Tem cada coisa neste mundo... e todo dia surge uma nova!

O Vigia

O blog retrata os meus pensamentos do dia a dia e as minhas paixões, o FLOSS, a política especialmente a dos EUA, casos mal explicados, a fotografia e a cultura Japonesa e leitura, muita leitura sobre tudo um pouco, mas a maior paixão é mesmo divulgação científica, textos antigos e os tais casos ;)

A Educação do meu Umbigo

Gaveta aberta de textos e memórias a pretexto da Educação que vamos tendo. Este blogue discorda ortograficamente. Contacto: guinote@gmail.com

Promocão e difusão da língua portuguesa

Blogvisão

"Qualidade de informação para qualidade de opinião!"

geoeconomia

Just another WordPress.com site

Egídio G. Vaz Raposo

Media Scholar | Communication Consultant | Trainer

Mudar as coisas...

vivemos no presente, e é nele que devemos mudar. mudarmo-nos é condição necessária para mudar as coisas…

Um Jardim no Deserto

Um minúsculo oásis no imenso deserto físico, mental e espiritual em que se está a transformar Portugal

Extraterrestres ARQUIVO

Seja bem vindo ao Site Extraterrestres Arquivo - Volte Sempre

Muralha Verde SCP

Em prol da defesa e do ataque do Sporting!

Pitacos De Um Torcedor Corinthiano

Louco por ti Corinthians!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 4.839 outros seguidores

%d bloggers like this: